Da invisibilidade à construção intercultural de política pública para o Dia da Etnia Cigana em Itabuna - BA

Autores

Palavras-chave:

ciganos, políticas públicas, visibilidade cultural

Resumo

Rodeados por mitos e estigmas, os povos ciganos foram tidos como espertalhões e trapaceiros, imagem que terminou por marginalizar e aviltar esses povos e sua história. No município de Itabuna, interior da Bahia, a situação de humilhação e marginalização não era/é diferente. Contudo, a partir de trabalho intercultural desenvolvido com base em parcerias diversas e mais intensamente durante o Mestrado em Ensino e Relações Étnico-Raciais da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), iniciou-se um processo que contribuiu para a visibilidade da comunidade cigana de Itabuna, BA, o que culminou na implantação da Lei no 2.422/2018, que instituiu o Dia Municipal da Etnia Cigana. Falando inicialmente em ciganidade e parcerias interculturais, o presente trabalho demonstra como a institucionalização de políticas públicas pode se configurar como importante ferramenta de visibilidade e legitimação da cultura e das tradições dos povos ciganos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dayse Batista Santos, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Brasil

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação Estado e Sociedade (Ppges) da UFSB.

Francismary Alves da Silva, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Brasil

Doutora em História e professora da UFSB. Membro do Grupo de Pesquisas Avançadas em Materialidades, Ambiências e Tecnologias.

Downloads

Publicado

2022-04-19

Como Citar

SANTOS, D. B.; SILVA, F. A. da. Da invisibilidade à construção intercultural de política pública para o Dia da Etnia Cigana em Itabuna - BA: . Revista de Estudos em Relações Interétnicas | Interethnica, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 244–276, 2022. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/interethnica/article/view/33024. Acesso em: 3 fev. 2023.