Amor, masculinidades e resistência: uma leitura queer

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/2316-4018615

Palavras-chave:

amor, heteronormatividade, literatura, masculinidade tóxica

Resumo

O estranhamento, o anormal, as diversas expressões de gênero e o abjeto que caracterizam o queer, na medida em que possibilitam novos olhares, sobretudo pela pluralidade de identidades que revelam, desafiam a heteronormatividade, colocam em crise a suposta identidade viril masculina e fazem com que se desconfie das normatividades, das ordens e do que a elas corresponda. Com aporte na teoria queer, a par dessas possibilidades de pensamento, a proposta deste trabalho é apresentar algumas reflexões acerca da experiência amorosa vivida entre os adolescentes Camilo e Cosme, narrada no romance O amor dos homens avulsos, do escritor Victor Heringer, publicado em 2016. A experiência amorosa vivida entre as personagens, quando lida sob a perspectiva do estranhamento queer, mostra-se libertária, ainda que enfrente brutalidades decorrentes dos preconceitos construídos e perpetrados pela lógica heteronormativa. O amor presente na narrativa é tomado como prática de resistência à hegemonia heterossexual, especialmente em um contexto político opressor, e como combate à masculinidade tóxica, fonte de desumanização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, Ana Luísa (2017). “Arder a palavra e outros incêndios”, de Ana Luísa Amaral. Porto, Portugal: ILCML. On-line. Disponível em: http://ilcml.com/arder-a-palavra-e-outros-incendios-de-ana-luisa-amaral/. Acesso em: 10 nov. 2019.

AMBRA, Pedro (2019). Do mito aos horizontes de desconstrução. Cult, São Paulo, ano 22, n. 242, p. 17-19, fev. (Dossiê Cartografias da masculinidade).

ANDRADE, Mario de (2013). Estâncias. In: ANDRADE, Mario de. Poesias completas Mario de Andrade: edição de texto apurado, anotada e acrescida de documentos por Tatiana Longo Figueiredo e Telê Ancona Lopez. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. p. 431-432.

BAUBÉROT, Arnaud (2013). A fábrica da virilidade. In: CORBIN, Alan; COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges (Dir.). História da virilidade: 3. A virilidade em crise?. Tradução de Noéli Correia de Mello Sobrinho e Thiago de Abreu e Lima Florêncio. Petrópolis, RJ: Vozes. p. 185-238.

BUTLER, Judith (2000). Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica. p. 151-165.

BUTLER, Judith (2017). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 15. ed. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

CUNHA, Eduardo Leal (2019). A normalização das homossexualidades e os destinos do masculino. Cult, São Paulo, ano 22, n. 242, p. 25-27, fev. (Dossiê Cartografias da masculinidade).

FOUCAULT. Michel (2010). Os anormais: curso no Collège de France (1974-1975). Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: WMF Martins Fontes. (Coleção Obras de Michel Foucault).

HERINGER, Victor (2016). O amor dos homens avulsos. São Paulo: Companhia das Letras.

LAURETIS, Teresa de (1994). A tecnologia do gênero. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de. Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco.

LOURO, Guacira Lopes (2018). Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica. (Argos).

LUGARINHO, Mário César (2012). Agenciamentos de gênero nas literaturas africanas de língua portuguesa: um caso caboverdiano. In: LUGARINHO, Mário César (Org.). Do inefável ao afável: ensaios sobre sexualidade, gênero e estudos queer. Manaus: EUA Edições. p. 75-86.

MISKOLCI, Richard (2017). Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora; UFOP. (Cadernos da Diversidade, 6).

PRECIADO, Paul B. (2011) Multidões queer: notas para uma política dos “anormais”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 11, jan. Disponível em: https://bit.ly/2ZjDKGQ. Acesso em: 10 nov. 2019.

RICH, Adrienne (2010). Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Tradução de Carlos Guilherme do Valle. Bagoas, UFRN, n. 5, p. 17-44. Título original: Compulsory heterosexuality and lesbian existence. Disponível em: http://www.cchla.ufrn.br/bagoas/v04n05art01_rich.pdf. Acesso em: 10 nov. 2019.

SCOTT, Joan W. (1999). Experiência. In: SILVA, Alcione Leite da; LAGO, Mara Coelho de Souza; RAMOS, Tânia Regina Oliveira (Org.). Falas de gênero: teorias, análises, leituras. Florianópolis: Ed. Mulheres. p. 21-55.

SCOTT, Joan W (1998). A invisibilidade da experiência. Tradução de Lúcia Haddad. Projeto História, São Paulo, v. 16, set. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/revph/article/view/11183. Acesso em: 20 nov. 2019.

SILVA, Leandro Soares da (2019). Victor Heringer - O amor dos homens avulsos. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 56, e5624. Disponível em: https://bit.ly/3bHBPAV. Acesso em: 8 nov. 2019.

SPARGO, Tamsin (2017). Foucault e a teoria queer: seguido de Ágape e êxtase: orientações pós-seculares. Tradução de Heci Regina Candiani. Belo Horizonte: Autêntica. (Argos, 2).

Downloads

Publicado

2020-11-22

Como Citar

Bianca Rosina Mattia. (2020). Amor, masculinidades e resistência: uma leitura queer. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, (61), 1–10. https://doi.org/10.1590/2316-4018615