As Mulheres de Atenas: Aristófanes sob a Ótica do Teatro do Oprimido

Main Article Content

Adriane da Silva Duarte

Resumo




O artigo examina a recepção das comédias Lisístrata e Assembleia de Mulheres, de Aristófanes, em As Mulheres de Atenas, de Augusto Boal. Escrita durante o exílio na Argentina (1971-1976), inicialmente intitulada Lisa, a mulher libertado- ra, é contemporânea da publicação do livro de maior projeção do dramaturgo brasileiro, Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas (1975, edição brasileira, 1974, edição argentina), constituindo, de certa forma, uma resposta prática às questões teóricas ali propostas. A peça documenta a recepção da comédia aristofânica no Brasil.




Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
da Silva Duarte, A. (2020). As Mulheres de Atenas: Aristófanes sob a Ótica do Teatro do Oprimido. Dramaturgias, (13), 45-58. https://doi.org/10.26512/dramaturgias.vi13.31054
Seção
Dossiê

Referências

ARISTÓFANES. Duas comédias: Lisístrata e As tesmoforiantes. Tradução, apresen- tação e notas de Adriane da Silva Duarte. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
_______. A greve do sexo (Lisístrata). A revolução das mulheres. Tradução de Mário da Gama Kury. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.
BOAL, A. Duas Peças: A Tempestade, As Mulheres de Atenas. Lisboa: Plátano Editora, 1977.
_______. Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991 (1a edição 1975).
CAMPOS, C. A. “Certo Augusto Boal”. in Literatura e Sociedade, 16.15 (2011): 144-159. Link: http://www.revistas.usp.br/ls/article/view/64552/67197
DUARTE, A. S.. “Lisístrata: cinema e ativismo político no século XXI”. In: Lima, A. C.; Pagotto-Euzebio. M. S.; Almeida, R.. (Org.). Os outros, os mesmos: a alteridade no mundo antigo: XIII Semana de Estudos Clássicos da FEUSP. São Paulo: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2018, p. 138- 162 (online em http://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/ catalog/download/198/179/845-2?inline=1).
_______. “Operação Lisístrata: do teatro ao Ato. A recepção da comédia de Aristófanes durante os anos de chumbo da ditadura brasileira”. in: Phaos. Revista de Estudos Clássicos, v. 15 (2015): 65-79. Link: http://revistas.iel.uni- camp.br/index.php/phaos/article/view/5088/5704
_______. “O destino de Lisístrata. Uma adaptação para o cinema da comédia de Aristófanes.” in Archai, 7 (2011): 123-129.
dos SANTOS, P. F. Pedagogia da atuação. Um estudo sobre o trabalho teatral de Augusto Boal no exílio latino-americano. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, 2015. Link: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27156/ tde-03022016-160234/publico/PatriciaFreitasdosSantosVC.pdf
_______. “O teatro sob a tempestade. Uma leitura crítica de A Tempestade, de Augusto Boal”, in Revista Sala Preta, 18.1 (2018): 86-97.