A identidade étnica como processo

os índios Suyá E as Sociedades do alto Xingu

Autores

  • Anthony Seeger

Palavras-chave:

Antropologia

Resumo

Minha experiência com os índios Suyá convenceu-me que o trabalho de um antropólogo depois de seu treinamento e sua preparação, tem várias fases distintas. A primeira delas é o trabalho de campo, na qual os fatos sociais múltiplos e ininteligíveis são descritos e interpretados com grande dificuldade. A segunda é o período da descrição minuciosa do que foi coletado e de uma nova interpretação distanciada dos dados brutos ”” freqüentemente uma oportunidade para uma crítica aguda de todos aqueles que trabalharam na área. E, depois, temos o terceiro momento, quando os dados coletados e devidamente interpretados de uma maneira são repensados a partir de um ponto de vista diferente. É quando, de repente, perguntamos a nós mesmos: ”” “Meu Deus! Será que eu realmente deixei passar essas questões básicas?” Uma oportunidade para ponderar a identidade étnica dos Suyá levou-me a este terceiro estágio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

AGOSTINHO , P.
1974 ”” Kwarip: Mito e Ritual no Alto Xingu. São Paulo: E .P .U . , Ed. da Universidade de São Paulo.
B ASTOS, R. de Menezes
1978 ”” A Musicológica Kamayurá: Para uma Antropologia da Comunicação no Alto Xingu. Brasilia: FU N A I.
G A LV AO , E.
1953 ”” “ Cultura e sistema de parentesco das tribos do alto rio Xin gu ”. Rio de Janeiro: Boletim do Museu Nacional, N .S ., Antropologia 14.
I960 ”” “Areas culturais indígenas do Brasil: 1900-1959. “Belém: Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, N .S . , Antropologia 8-1-41.
GR EG OR , T. A.
1977 ”” Mehinaku: The Drama of Daily Life in a Brazilian Indian Village. Chicago: The University o f Chicago Press.
JU NQ U E IR A , C.
1975 ”” Os Índios de Ipavu. São Paulo: Atica.
LA N N A , A.
1967 ”” “Aspectos Econômicos da Organização Social dos Suya”. São Paulo: Revista de Antropologia, volumes 16 e 17, págs. 35-68.
SCHULTZ, H.
1960-1 ”” “Informações etnográficas sobre os índios Suyá 1969” . São Paulo: Revista do Museu Paulista (N .S . ) 13: 315-332.
SEEGER, A.
1974 ”” “Nature and Culture and their Transformations in the Cosmology and Social Organization of the Suyá, a Gê-Speaking Tribe of Central Brazil”. Dissertação de Ph. D., The University of Chicago.
1975 ”” “ The Meaning of Body Ornaments: A Suyá Example”. Pittsburgh: Ethnology, volume 14 n.° 3, págs. 211-224.
STEINEN, K . von den
1942 ”” O Brasil Central. São Paulo: Brasiliana.
VILLAS BOAS, O. e C.
1970 ”” Xingu: Os Indios, Seus Mitos. Rio de Janeiro: Zahar Editores.
VIVEIROS D E CASTRO, E.
1977 _ “indivíduo e Sociedade no Alto Xingu: Os Yawalipíti”. Dissertação de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Museu Nacional ”” UFRJ.
1978 “ Alguns aspectos do pensamento Yawalapíti (Alto X in g u ) : Classificações e Transformações” . Boletim do Museu Nacional, N .S . n.° 26.
ZARUR . G.
1975 ”” Parentesco, Ritual e Economia no Alto Xingu. Brasília: FU N A I.

Downloads

Publicado

2018-01-15

Como Citar

Seeger, A. (2018). A identidade étnica como processo: os índios Suyá E as Sociedades do alto Xingu. Anuário Antropológico, 3(1), 156–175. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/anuarioantropologico/article/view/6056