AS CONTRIBUIÇÕES DA LITERATURA INFANTIL PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DA CRIANÇA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26512/aguaviva.v8i1.51002

Palavras-chave:

Alfabetização, Educação Infantil, Literatura

Resumo

A alfabetização é um momento que traz novos desafios na vida da criança e, por isso, pode gerar expectativas, angústia e medo, pois cada pessoa tem seu próprio tempo de se alfabetizar. Estudos têm mostrado que a literatura, ao ser incorporada ao processo de ensino e aprendizagem da alfabetização, contribui para o aprendizado da leitura e da escrita. Sendo assim, objetivou-se verificar em que medida o trabalho com a literatura infantil pode contribuir para a alfabetização de crianças que estão no último nível da Educação Infantil. Para tanto, inicialmente, foram aplicados projetos de leitura em duas turmas desse nível de ensino e, posteriormente, verificaram-se os níveis de alfabetização de nove participantes da pesquisa e de sete crianças não participantes. Ao final da pesquisa, verificou-se que os alunos expostos ao projeto literário apresentaram resultados melhores nas habilidades de escrita. Isso pode indicar que o trabalho com literatura na Educação Infantil contribui para o desenvolvimento da escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daniele Augusta Bauer Gomes, Universidade Feevale

Mestre e Graduada em Letras pela FEEVALE, de Novo Hamburgo – RS. Professora no Colégio Sinodal da Paz, de Novo Hamburgo - RS.

Jéssica Maís Antunes, Universidade Feevale

Doutoranda do curso de Diversidade Cultural e Inclusão Social da Universidade Feevale como bolsista CAPES e mestra em Letras da Universidade Feevale (2020). Graduada em Pedagogia Licenciatura Plena pela Universidade Federal do Pampa (2014). Especialista em Mídias na Educação pela Universidade Federal de Pelotas (2016). Professora da educação infantil no município de Campo Bom/RS.

Rosemari Lorenz Martins, Universidade Feevale

Graduada em Letras - Português/Alemão (1993) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) e em Pedagogia (2021) pelo Centro Universitário Ítalo-Brasileiro; Especialista em Linguística do Texto (1996) pela Unisinos e em Psicopedagogia Clínica e Institucional (2021) e em Neuropsicopedagogia clínica e institucional pela Faculdade Metropolitana do Estado de São Paulo; Mestre em Ciências da Comunicação, área de concentração Semiótica (1999), pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos e Doutora em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2013). Coordenadora e professora permanente do Programa em Diversidade Cultural e Inclusão Social e professora do curso de Letras da Universidade Feevale. Atua como pesquisadora nos grupos de pesquisa Linguagens e Manifestações Culturais e Informática na Educação.

Marinês Andrea Kunz, Universidade Federal da Paraíba

Graduada em Letras Português-Alemão pela UNISINOS (1994), Mestre em Ciências da Comunicação pela UNISINOS (1998) e Doutora em Linguística e Letras pela PUC-RS (2004). Foi Diretora do Instituto de Ciências Humanas, Letras e Artes e coordenadora do curso de Letras (2006-2010), na Universidade Feevale, onde também coordenou o PIBID Letras (2010 a 2013), bem como o PPG em Processos e Manifestações Culturais e o Mestrado Profissional em Letras. Integra o Grupo de Pesquisa Linguagem e Manifestações Culturais e o Grupo de Pesquisa Ficção de Machado de Assis: Sistema Poético e Contexto. É membra da ABRALIC, da APSA - American Portuguese Studies Association e da ANPOLL, integrando o GT Estudos da Narrativa. Atualmente, na UFPB, é professora e pesquisadora do Departamento de Metodologia da Educação e do PPG em Letras, do qual é vice-coordenadora. É autora do livro Mosaico Discursivo: a representação de Jacobina Maurer em textos históricos, literários e fílmicos, além de capítulos de livros e de artigos. 

Referências

AGUIAR, Vera Teixeira de. Era uma vez... na escola: formando educadores para formar leitores. Belo Horizonte: Formato Editorial, 2001.

ARROYO, Leonardo. Literatura infantil brasileira. São Paulo: Editora da UNESP, 2011.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Ministério da educação e do desporto. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília, 1998.

BRASIL. Ministério da educação e do desporto. Diretrizes curriculares para a educação infantil. Brasília, 2010.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização e linguística. São Paulo: Scipione, 2002.

CAGLIARI, Luiz Carlos. A respeito de alguns fatos do ensino e da aprendizagem pelas crianças na alfabetização. In: ROJO, Roxane (Org.). Alfabetização e letramento: perspectivas linguísticas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1998. p. 61-86.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura: arte, conhecimento e vida. São Paulo: Petrópolis, 2000.

FERREIRO, Emília. Reflexões sobre alfabetização. Tradução Horácio Gonzales. São Paulo: Cortez, 2000.

FERREIRO, E; Teberosky, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN Regina. Literatura infantil brasileira: história e de histórias. 6. ed. São Paulo: Ática, 1999.

RAMOS, F. B.; NUNES, M. F. Efeitos da ilustração do livro de literatura infantil... Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 48, p. 251-263, abr./jun. 2013. Editora UFPR. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/24680/20639>. Acesso em: 12. mai. 2021.

SARAIVA, J. A.; MÜGGE, E. Literatura na escola. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento. 4. ed. São Paulo, SP: Contexto, 2008.

SOARES, Magda. Alfabetização. A questão dos métodos. São Paulo, SP: Contexto, 2020.

TEBEROSKY, Ana. COLOMER, Teresa. Aprender a ler e a escrever: uma proposta construtivista. Porto Alegre: Artmed, 2003.

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil brasileira. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005

Downloads

Publicado

2023-10-01

Como Citar

GOMES, Daniele Augusta Bauer; ANTUNES, Jéssica Maís; MARTINS, Rosemari Lorenz; KUNZ, Marinês Andrea. AS CONTRIBUIÇÕES DA LITERATURA INFANTIL PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DA CRIANÇA. Revista Água Viva, [S. l.], v. 8, n. 1, 2023. DOI: 10.26512/aguaviva.v8i1.51002. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/aguaviva/article/view/51002. Acesso em: 28 fev. 2024.