O OUTONO DE NUNO JÚDICE SOB A ÓTICA DA FENOMENOLOGIA DE ROMAN INGARDEN

Autores

  • Juliana Braga Guedes Universidade Federal do Ceará

Palavras-chave:

Nuno Júdice, Roman Ingarden, fenomenologia

Resumo

O presente trabalho faz uma breve análise do poema “Outono” de Nuno Júdice. O poema pertence à primeira obra poética do autor publicada em 1972 e intitulada A Noção de Poema. Cada estrofação é analisada passo a passo constituindo ao final uma inter-relação que assegura a unidade do poema. O título do poema refere-se a uma estação do ano na qual as folhas caem das árvores e são secas em tons amarelados e marrons. Ao longo do poema percebe-se que o eu lírico faz uma gradação climática. O objetivo central é restringir o poema a uma reflexão em torno de sua materialidade literária. Optou-se por seguir os estudos fenomenológicos de Roman Ingarden (1965) e aplicar seus quatro estratos heterogêneos que constituem a produção de uma obra literária. São eles: o estrato das formações fônico-linguísticas, o estrato das unidades de significação, o estrato das objetividades apresentadas e o estrato dos aspectos esquematizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BORDINI, Maria da Glória. Fenomenologia e teoria literária. São Paulo: Edusp, 1990.

INGARDEN, Roman. A obra de arte literária. Trad. Albin E. Beau, Maria Conceição Puga e João F. Barrento. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1973.

JÚDICE, Nuno. Noção de Poema. Lisboa: Dom Quixote, 1972.

Downloads

Publicado

2023-01-30

Como Citar

BRAGA GUEDES, Juliana. O OUTONO DE NUNO JÚDICE SOB A ÓTICA DA FENOMENOLOGIA DE ROMAN INGARDEN. Revista Água Viva, [S. l.], v. 7, n. 1, 2023. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/aguaviva/article/view/42699. Acesso em: 17 abr. 2024.