RELAÇÕES DE PODER: O AUTORITARISMO EM 1984, DE GEORGE ORWELL, E CORAÇÃO DE AÇO, DE BRANDON SANDERSON

Autores

  • Antônio Leonardo Alves Bezerra Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN)
  • José Jayslan Souza do Nascimento Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN)
  • Lauren de Novais Silva Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN)

DOI:

https://doi.org/10.26512/aguaviva.v6i3.41793

Palavras-chave:

Autoritarismo, Distopia, Memória

Resumo

Este artigo busca analisar de que modo as configurações de poder são dispostas nos objetos de estudo, 1984 (ORWELL, 2009) e Coração de Aço (SANDERSON, 2016), e como o autoritarismo controla a sociedade em todos os aspectos. Foram instrumentais para a consecução do trabalho a análise do discurso autoritário e a alienação da massa, e como contribuem para uma alteração da memória e da história e o importante papel destes dois elementos para a permanência do sistema totalitário. Os conceitos em que nos debruçamos foram os de: intertextualidade nas distopias; relações de poder nas obras analisadas, refletindo fenômenos visíveis e invisíveis da realidade social e da memória; tempo como historicidade e alienação como forma de alteração e manipulação de memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Antônio Leonardo Alves Bezerra, Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN)

Graduação em Letras – Língua Portuguesa e Língua Inglesa e suas respectivas Literaturas, pelo Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN).

José Jayslan Souza do Nascimento, Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN)

Graduação em Letras – Língua Portuguesa e Língua Inglesa e suas respectivas Literaturas, pelo Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN).

Lauren de Novais Silva, Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN)

Graduação em Letras – Língua Portuguesa e Língua Inglesa e suas respectivas Literaturas, pelo Centro Universitário Planalto do Distrito Federal (UNIPLAN).

Referências

BENJAMIN, Walter. Anjo da história. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2012.

BERRIEL, Carlos E. O. Utopia, distopia e história. Morus – utopia e renascimento, n. 2, 2005, p. 4-10. disponível em: https://www.unicamp.br/~berriel/arquivos/berriel_prod_3.pdf. Acesso em: 20 out. 2020.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Editora Perspectiva, 2015.

_____. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2014.

CARVALHAL, Tania franco. Literatura comparada. São Paulo: Ática, 2006.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

_____. Vigiar e punir. Petrópolis: Editora Vozes, 1987.

KRISTEVA, Julia. Introdução à Semanálise. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2012.

LUKÁCS, Georg. História e consciência de classe. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2019.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo Editorial, 2004.

_____. O capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2015.

ORWELL, George. 1984. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PAVLOSKI, Evanir. As sete décadas de 1984, de george orwell: um breve estudo sobre a utopia totalitária no século das distopias. Uniletras, Ponta Grossa, v. 40, n. 2, p. 177-198, jul./dez. 2018 disponível em:<https://revistas2.uepg.br/index.php/uniletras/article/view/13545. acesso em: 10 nov. 2020.

SANDERSON, Brandon. Coração de Aço. São Paulo: Aleph, 2016

Downloads

Publicado

2022-02-02

Como Citar

BEZERRA, A. L. A.; NASCIMENTO, J. J. S. do; SILVA, L. de N. RELAÇÕES DE PODER: O AUTORITARISMO EM 1984, DE GEORGE ORWELL, E CORAÇÃO DE AÇO, DE BRANDON SANDERSON. Revista Água Viva, [S. l.], v. 6, n. 3, 2022. DOI: 10.26512/aguaviva.v6i3.41793. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/aguaviva/article/view/41793. Acesso em: 9 ago. 2022.