Representações sociais do “jeitinho brasileiro” por trabalhadores de repartições públicas de Brasília

Conteúdo do artigo principal

Welliton Caixeta Maciel
Isabelle Alline Lopes Picelli

Resumo


Objetivou-se, neste trabalho, analisar algumas representações sociais do “jeitinho brasileiro” por quinze trabalhadores/as de repartições públicas de Brasília e, mais especificamente: 1) apreender como percebem e interpretam esse modo característico de lidar com as situações bem como as eventuais ocasiões em que esse “modo de navegar” foi utilizado; 2) em diálogo mais aproximado com a Psicologia Social, verificar a ocorrência do fenômeno da dissonância cognitiva e da autojustificação nas respostas dos/as interlocutores/as. À luz dos conhecimentos sócio-antropológicos, do aporte teórico-metodológico propiciado pela Teoria das Representações Sociais e do material empírico estudado, conclui-se que o “jeitinho brasileiro”, enquanto representação social, se constrói não apenas sobre a capacidade representacional desses sujeitos, como também a partir de engendramentos de representações embebidos de práticas sociais, ou seja, de cultura; não devendo, pois, ser entendido fora de uma dimensão de alteridade.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
Maciel, W. C., & Picelli, I. A. L. (2014). Representações sociais do “jeitinho brasileiro” por trabalhadores de repartições públicas de Brasília. Arquivos Do CMD, 2(2). https://doi.org/10.26512/cmd.v2i2.7515
Seção
Artigos Livres
Biografia do Autor

Welliton Caixeta Maciel, Universidade de Brasília

Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de Brasília - PPGSOL/UnB.

Isabelle Alline Lopes Picelli, Universidade de Brasília

Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade de Brasília - PPGPOL/UnB.

Referências

ALMEIDA, A. et al. “Representações Sociais da Adolescência e Práticas Educativas dos Adultos”. In: ALMEIDA, A. M. O. et. alii.(orgs.) Violência, exclusão social e desenvolvimento humano: estudos em representações sociais. Brasília: Ed. UnB, 2006.
ARONSON, E., WILSON, T. D. e AKERT, R. M. Psicologia social. São Paulo: LTC, 2002.
BARBOSA. L. O jeitinho brasileiro: a arte de ser mais igual que os outros. Rio de Janeiro: Campus, 1992
BOURDIEU, P. Esquisse d’une Théorie de la Pratique. Paris: Librairie Droz, 1972.
BUARQUE DE HOLANDA, S. Raízes do Brasil. 26ª Edição. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
CAIXETA MACIEL, W.; PICELLI, I.; SILVA e SOUZA, A.C. O “jeitinho brasileiro” representado por trabalhadores de repartições públicas de Brasília”. Relatório de Pesquisa. Universidade de Brasília, 2006.
CRUZ, F. M. L. “Representações sociais, identidade e exclusão social: o fracasso escolar em matemática” In: ALMEIDA, A. M. O. et. alii.(orgs.) Violência, exclusão social e desenvolvimento humano: estudos em representações sociais. Brasília: Ed. UnB, 2006.
DAMATTA, R. O que faz o brasil, Brasil?. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.
______________. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990.
DURKHEIM, E. As Regras do Método Sociológico. Pensadores. São Paulo: Abril, 1978.
JODELET, D. “Le mouvement de retour vers le sujet et l’approche des représentations sociales».Connexions (Identité et subjectivité), Érés, n.º 89, 2008. pp. 25-46.
JOVCHELOVITCH, S. “Vivendo a vida com os outros: intersubjetividade, espaço público e representações sociais”. In: JOVCHELOVITCH, S. e GUARESCHI, P. (orgs.) Textos em Representações Sociais. Petrópolis: Vozes, 1994.
MELLO, Celso Antônio Bandeira de.Curso de Direito Administrativo. 8 ed., São Paulo: Malheiros Editora, 1996.
MOSCOVICI, S. La psychanalyse, son image et son public. Paris: PUF, 1961.
______________. A máquina de fazer deuses. Rio de Janeiro: Imago, 1996.
______________. “Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, Denise. As Representações Sociais”. Rio de Janeiro: Ed.UERJ, 2001.
______________. “Representações Sociais: investigações em Psicologia Social”. Petrópolis: Ed. Vozes, 2007.
PORTO, M. S. “Crenças, valores e representações sociais da violência”. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, n.º16, jul./dez/ 2006, p. 250-273.
VALA, J. e MONTEIRO, M. B. Psicologia social. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1996.
VELOSO, M. e MADEIRA, A. Leituras Brasileiras: itinerários no pensamento social e na literatura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.
WEBER, Max.Ensaios de Sociologia. 2a edição, Rio de Janeiro, Zahar, 1971.