O Satanismo Metodológico: pode um saber compreensivo deixar de se compreender?

Main Article Content

Pedro Martins de Menezes

Resumo

O artigo versa sobre duas maneiras de se conduzir o exercício sociológico: uma em que a sociologia toma o mundo real como pressuposto e intenta se debruçar sobre ele para reproduzir seus sentidos de forma mimética e outra em que a disciplina objetiva se voltar sobre si mesma, abdicando de espelhar sentidos que lhe são exteriores para que instaure os seus próprios. No primeiro caso há uma trajetória retilínea de reprodução (Mimesis), no outro, uma metalinguagem obliqua de criação (Poiesis). Esse texto objetiva mostrar as implicações dessa escolha por parte do pesquisador, interrogando se um saber autorreflexivo pode deixar de se refletir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Menezes, P. M. de. (2015). O Satanismo Metodológico: pode um saber compreensivo deixar de se compreender?. Arquivos Do CMD, 1(1). https://doi.org/10.26512/cmd.v1i1.7492
Seção
Artigos de Dossiê
Biografia do Autor

Pedro Martins de Menezes, Universidade de Brasília

Bacharel em sociologia pela Universidade de Brasília (UnB), mestrando em sociologia pela mesma instituição
e membro do grupo de pesquisa Cultura, Memória e Desenvolvimento (CMD).

Referências

Adorno, Theodor.; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 2006

Baumann, Zygmunt. Legisladores e Intérpretes. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

Bateson, Gregory. NAVEN. São Pualo: Edusp, 2008.

Borges, Jorge Luis. Outras inquisições. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

Bourdieu, Pierre. Coisas Ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.

Deleuze, Gilles. GUATTARI, Felix. O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia I. São Paulo: 34, 2010.

Foucault, Michel. As Palavras e as Coisas. São Pau-lo: Martins Fontes, 2007.

Kuhn, Thomas. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Perspectiva, 2011.

Mannheim, Karl. Ideologia e Utopia. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

Marx, Karl. O Capital. São Paulo: Civilização Brasileira, 2008.

Ortiz, Renato. A Diversidade dos Sotaques: o inglês e as ciências sociais. São Paulo: Brasiliense, 2008.

Viveiros de Castro, Eduardo. O Nativo Re-lativo. Mana. V. 8 N.1 p. 113 ”“ 148, Abril. 2002. Quadrimestral. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104--93132002000100005&script=sci_arttext. Acesso em 29/06/2012.

______. A Imanência do Inimigo. In: A Inconstância da Alma Selvagem. São Paulo: Cosac&Naify, 2011.

Wagner, Roy. A invenção da Cultura. São Paulo: Cosac&Naify, 2010.