A realidade da fantasia e a fantasia da realidade: Borges e a fenda foucaultiana

Main Article Content

Lucas de Mendonça Marques

Resumo

Quais conexões possíveis poderíamos traçar entre a obra literária de Jorge Luis Borges e a filosofia de Foucault? No prefácio de As Palavras e as Coisas, Foucault nos traça algumas sugestões. Neste artigo intento, a partir desta obra de Foucault, explorar algumas destas sugestões,  relacionando-as com suas influências literárias e o modo como essa literatura - focando aqui a de Borges - possibilitou o espaço mesmo onde seu pensamento pôde ser construído. Por fim, a partir do conceito foucaultiano de heterotopia, busco de que modo essas fendas nos fazem questionar nossas próprias realidades, possibilitando-nos pensar o impensável

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Marques, L. de M. (2013). A realidade da fantasia e a fantasia da realidade: Borges e a fenda foucaultiana. Arquivos Do CMD, 1(1). https://doi.org/10.26512/cmd.v1i1.7491
Seção
Artigos de Dossiê
Biografia do Autor

Lucas de Mendonça Marques, Universidade de Brasília

Graduando em Antropologia pela Universidade de Brasília, UnB e participante do Laboratório de Antropologia da Ciência e da Técnica (LACT).

Referências

Agambem, Giorgio. 1996. “O Rosto”. Tradução de: Il volto. In: Mezzisenza fine. Note sulla politica. Bolla-ti Boringhieri: Torino, 74-80. Retirado do blog: http://murilocorrea.blogspot.com.br/2010/02/traducao-o-rosto-de-giorgio-agamben.html.

Borges, Jorge Luis. 1941. “A Biblioteca de Babel”. In: Ficções. Porto Alegre: Editora Globo S.A, 1972.

Borges, Jorge Luis. 1949. “O Aleph”. In.: O Aleph. São Paulo: Companhia das letras, 2008.

Borges, Jorge Luis. 1952. “O idioma analítico de John Wilkins”. In: Outras Inquisições. São Paulo: Companhia das letras, 2007.

Borges, Jorge Luis. 1979. Jorge Luis Borges: cinco visões pessoais. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1985.

Deleuze, Gilles. 1986. Foucault. São Paulo: Brasi-liense, 2005.

Deleuze, Gilles. 1994. “Desejo e Prazer”. Tradução de: Désir et Plaisir. Magazine Littéraire. Paris, n. 325, oct, 57-65.

Foucault, Michel. 1963a. “A linguagem ao infinito”. In: Ditos e Escritos III. Estética: literatura e pintu-ra, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

Foucault, Michel. 1963b. “Distância, Aspecto, Origem”. In: Ditos e Escritos III. Estética: literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

Foucault, Michel. 1966a. As Palavras e as Coisas. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

Foucault, Michel. 1966b. “O Pensamento do Exte-rior”. In: Ditos e Escritos III. Estética: literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

Foucault, Michel. 1967. “Of Other Spaces”. Diacritics, Vol. 16, No. 1. (Spring, 1986), 22-27.

Foucault, Michel. 1971. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

Machado, Roberto. 2000. Foucault, a filosofia e a literatura. 3ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

Menezes, Antonio Basilio Novaes Thomaz de. [2008]. “Foucault, Borges e a experiência da linguagem”. Publicado em SABERES, Natal ”“ RN, v. 1, n.1, dez. 2008.

Molina, Daniel. 1999. “O filósofo que se atreveu a tudo”. Publicado em Buenos Aires: Clarín, Sección “Cultura y Nacion”, 1999. Disponível em: http://vsi-tes.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/bio1.pdf.

Motta, Manuel Barros da. 2009. “Apresentação”. In.: FOUCAULT, Michel. Ditos e Escritos III. Esté-tica: literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.