Trajetória individual na pesquisa na área da cultura entre a comunicação social, as políticas públicas e a sociologia

Main Article Content

Resumo

Este é um texto autorreflexivo sobre como me constitui pesquisadora na área da sociologia da cultura. Disponho de memórias da trajetória profissional e acadêmica e sua interlocução com instituições e modos hegemônicos de construção do conhecimento para compreender o contexto político-social dos estudos da cultura nas primeiras décadas do século XXI no país. Aponto, especialmente, a importância das trocas intelectuais com integrantes do grupo de pesquisa Cultura, Memória e Desenvolvimento (CMD) para a construção de meu objeto de estudo circunscrito na circulação cultural e do conhecimento e seu desenvolvimento durante o doutorado. Por fim, o texto traz algumas notas sobre a circulação de realizadores/as e obras audiovisuais em festivais internacionais de cinema e seus desdobramentos na produção de significados de cinema(s) brasileiro(s), discutindo o contexto de emergência de novos/as realizadores/as a partir da experiência de circulação de filmes da produtora Filmes de Plástico na mostra Quinzena de Realizadores do Festival de Cannes ao mesmo tempo que demonstra sentidos de permanência nos significados do cinema brasileiro ao abordar a experiência de circulação internacional do diretor Walter Salles vinculado à produtora Videofilmes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Vilela, C. (2023). Trajetória individual na pesquisa na área da cultura: entre a comunicação social, as políticas públicas e a sociologia. Arquivos Do CMD, 10(1), 56–80. Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/CMD/article/view/51671
Seção
Artigos de Dossiê
Biografia do Autor

Cleide Vilela, IFB

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade de Brasília. Mestra em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional pela Universidade de Brasília (2016) e graduada em Produção Cultural pela Universidade Federal da Bahia (2009). Atualmente é professora do Instituto Federal de Brasília e desenvolve pesquisa sobre a participação de realizadores/as audiovisuais em festivais de cinema. Tem experiência nas áreas de políticas culturais, produção e gestão cultural.

Referências

ALVES, Elder P 2017. Mercados culturais no Brasil: BNDES e o financiamento das empresas culturais brasileiras. In: Ciências Sociais Unisinos 53, janeiro-abril 2017. Acesso em: http://revistas.unisinos.br/index.php/ciencias_sociais/article/view/csu. 2017.53.1.03/5959

BERNARDET, Jean-Claude. Brasil em tempo de cinema: ensaio sobre o cinema brasileiro. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976

CANDIDO, Marcia Rangel; DAFLON, Verônica Toste; FERES JUNIOR, João. Cor e gênero no cinema comercial brasileiro: uma análise dos filmes de maior bilheteria. In: Revista do Centro de Pesquisa e Formação, n 3, novembro 2016. P. 116-135 Disponível em: https://www.sescsp.org.br/files/artigo/7372045f-ff0c-47aa-87f8-b5efe65cf575.pdf. Acesso em: 01 fev 2023.

CANCLINI, Néstor Garcia. 2008 [1989]. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Editora Universidade de São Paulo.

CARMO, Cleide Mara Vilela do. Instrumentos e políticas públicas de cultura: o caso dos editais do fundo de apoio à cultura do Distrito Federal no período de 2011 a 2014. 2016. 150 f., il. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sociedade e Cooperação Internacional). Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

DAGNINO, Evelina. Construção democrática, neoliberalismo e participação: os dilemas da confluência perversa. In: Política e Sociedade, 2004.

ELSAESSER, Thomas. European Cinema: face to face with Hollywood. Amsterdam University Press, 2005.

FANON, Frantz. 2008. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA.

FARIAS, E. (2016). O protocolo de pesquisa da circulação na sociologia da cultura, no Brasil. Sociedade E Estado, 31(3), 583–614. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/sociedade/article/view/6163 . Acesso em 10 fev. 2023.

GIL, Gilberto. No woman, no cry. In: Realce. Elektra Records. 1979.

GABRIEL, Teshome H. Towards a Critical Theory of Third World Films, Critical Interventions, 5:1, 187-203. 2011. DOI: 10.1080/19301944.2011.10781409.

GIL, Gilberto. Pela Internet. In: Quanta. Mesa/Bluemoon Recordings, 1996.

GIL, Gilberto. Pela Internet 2. In: Ok, Ok, Ok. Rio de Janeiro: Gege Produções Artísticas, 2018.

IBGE. Censo da Educação Superior. 2010.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2005.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2021.

IKEDA, Marcelo Gil. Das garagens para o mundo: movimentos de legitimação no cinema brasileiro dos anos 2000. Tese (Doutorado em Comunicação). Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2021.

ISRAEL, Shalom. Cabeça de Gelo. In: Cabeça de Gelo Macaia Records, 2020.

LASCOUMES E LES GALÈS. Sociologia da ação pública. Maceió: EDUFAL, 2012 [2007].

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador; Bauru: Edufba-EDUSC, 2012 [2005].

LIMA, Luciana; ORTELLADO, Pablo. Da compra de produtos e serviços culturais ao direito de produzir cultura: análise de um paradigma emergente. Revista Dados, n. 56 – jun 2013. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0011-52582013000200004 Acesso em 10 fev. 2023.

MATO, Daniel. 2007. Actores sociales transnacionales, organizaciones indígenas, antropólogos y otros profesionales en la producción de representaciones de Cultura y Desarrollo. In: MATO, D. (Coord.). Políticas de identidades y diferencias sociales en tiempos de globalización. Caracas: Facultad de Ciencias Económicas y Sociales: Universidad Central de Venezuela, 2003. p.331-354. Disponible en: . Acesso en: 09 sept.19.

MICELI, Sergio. Intelectuais à brasileira. São Paulo, Companhia das Letras, 2001.

MOSQUERA, Gerardo. Caminar con el diablo: textos sobre arte, internacionalismo y culturas. Madrid: Exit Publicaciones, 2010.

MUNIZ JR., J. de S., & SZPILBARG, D. (2016). Edição e tradução, entre a cultura e a política:: Argentina e Brasil na Feira do Livro de Frankfurt. Sociedade E Estado, 31(3), 671–692. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/sociedade/article/view/6167 Acesso em 10 fev. 2023.

NERY, S. (2016). Interdependências e interpenetrações civilizatórias: os aromas e sua magia. Sociedade E Estado, 31(3), 693–716. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/sociedade/article/view/6168 Acesso em 10 fev. 2023.

NICHOLS, Bill. 1994. Discovering Form, Inferring Meaning: New Cinemas and the Film Festival Circuit. In: Film Quarterly, Vol. 47, No. 3, p. 16-30 University of California Press. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/1212956. Acesso em: 31 ago 2019.

NICOLAU NETTO, Michel. O discurso da diversidade: a definição da diferença a partir da World Music. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Estadual de Campinas , Campinas, 2012.

OLIVEIRA, Maria Carolina Vasconcelos. "Novíssimo" cinema brasileiro: práticas, representações e circuitos de independência. Tese (Doutorado em Sociologia) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

ORTIZ, Renato. Universalismo e diversidade: contradições da modernidade-mundo. São Paulo: Boitempo, 2015.

PANTOJA, Wallace W. Rodrigues ; DA SILVA, Edilene Américo ; MAKIUCHI, Maria de Fátima Rodrigues . Percurso metodológico da pesquisa em políticas públicas culturais. In: Maria de Fátima Rodrigues Makiuchi. (Org.). Políticas Culturais, Desenvolvimento e Construção Democrática. 1ed.Brasília: Athalaia Gráfica e Editora, 2016, v. 1, p. 73-92.

PITOMBO, Mariella; Barbosa, Frederico. Linguagem da Paixão: intelectuais e políticas culturais no Brasil. Repocs, v.15, n.31 – jan./jul. 2019. Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rpcsoc/article/view/12891/6952 Acesso em 10 fev. 2023.

RUBIM, Antonio Albino Canelas. Políticas culturais no Brasil: tristes tradições. Revista Galáxia, São Paulo, n. 13, p. 101-113 – jun. 2007. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/galaxia/article/view/1469/934 Acesso em 10 fev. 2023.

VILELA, Cleide. #FICAMINC: algumas considerações sobre políticas culturais e participação social no Brasil. Anais do VIII Congreso Internacional en Gobierno, Administracion y Politicas Publicas. GIGAPP, 2017 Disponível em: https://www.gigapp.org/index.php/comunidad-gigapp/publication/show/2723 Acesso em 10 fev. 2023.