A roteirização turística dos destinos sob o olhar do mapeamento participativo: contribuições para a busca de um turismo inclusivo

Main Article Content

Diego Uliano Rocha

Resumo

O presente trabalho busca refletir sobre os processos de roteirização turística pelo olhar do Mapeamento Participativo. Procura-se demonstrar a possibilidade de uso desta metodologia para a construção de roteiros turísticos. Acredita-se que a utilização da técnica ajuda atender a atual necessidade de inclusão social significativa da população residente dos destinos turísticos. Nesta análise é traçado um panorama sobre os atores sociais por trás dos processos de roteirização turística e suas formas de entendimento de tal atividade. Toda a reflexão sobre o assunto é feita por meio de pesquisa documental e bibliográfica especializada. Nas considerações finais são traçados alguns passos gerais para o uso do mapeamento participativo na tentativa de contribuir para a construção de uma roteirização turística mais inclusiva.    

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Uliano Rocha, D. (2021). A roteirização turística dos destinos sob o olhar do mapeamento participativo: contribuições para a busca de um turismo inclusivo. Arquivos Do CMD, 8(1), 118–135. https://doi.org/10.26512/cmd.v8i1.31464
Seção
Artigos de Dossiê

Referências

ACSELRAD, Henri. Introdução. In: ACSELRAD, Henri (org.). Cartografias sociais e território. Rio de Janeiro: UFRJ/IPPUR, 2008.

ACSELRAD, Henri; COLI, Luis Régis. O lugar dos mapas nas abordagens participativas. In: ACSELRAD, Henri (org.). Cartografias sociais e território. Rio de Janeiro: UFRJ/IPPUR, 2008.

AGUIAR, Leila Bianchi. Estado, turismo, cultura e desenvolvimento: organização empresarial e a construção do consenso sobre a importância do turismo para o Brasil. Anais. In: VI Simpósio Nacional Estado e Poder: Cultura, Rio de Janeiro, 2010. Disponível https://www.historia.uff.br/estadoepoder/6snepc/GT1/GT1-LEILA.pdf> Acesso em: 28/06/2020.

BAHL, Miguel. Viagens e roteiros turísticos. Curitiba: Protexto, 2004.

BARBOSA, Luis Guilherme Camfield. Governo Lula e a política econômica brasileira: continuidade ou ruptura? Revista Todavia, Ano 3, nº 4, jul. 2012

BRASIL. Ministério do Turismo. Coordenação Geral de Regionalização. Programa de Regionalização do Turismo - Roteiros do Brasil: Módulo Operacional 7 Roteirização Turística/ Ministério do Turismo. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. Coordenação Geral de Regionalização. – Brasília, 51 p. 2007a.

BRASIL. Ministério do Turismo. Coordenação Geral de Regionalização. Programa de Regionalização do Turismo – Introdução a Regionalização do Turismo/Ministério do Turismo. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. Coordenação Geral de Regionalização. – Brasília, 51 p. 2007b.

CASTRO, Cleber Marques de; FORTUNATO, Rafael Ângelo. Redes populares de turismo e experiências de mapeamento participativo: a atuação da Rede Brasilidade Solidária em Teresópolis (RJ). Revista Continentes (UFRRJ), ano 3, n. 5, p.150-161, 2014.

CHIMENTI, Silvia; TAVARES, Adriana de Menezes. Guia de turismo: o profissional e a profissão. São Paulo: Senac, 2013.

CISNE. Rebecca. Roteiro turístico, do simples ao complexo: necessidade de reflexões. In: Fórum Internacional de Turismo do Iguaçu. Anais. Foz do Iguaçu – PR, jun, 2016. Disponível em: < http://festivaldascataratas.com/wp-content/uploads/2017/04/9.-ROTEIRO-TUR%C3%8DSTICO-DO-SIMPLES-AO-COMPLEXO-A-CESSIDADE-DE-REFLEX%C3%95ES.pdf>. Acesso em: 25/04/2020

CRAMPTON, Jeremy; KRYGIER, John. Uma introdução à cartografia crítica. In: ACSELRAD, Henri (org.). Cartografias sociais e território. Rio de Janeiro: UFRJ/IPPUR, 2008.

DANTAS, José Carlos de Souza. Qualidade do atendimento nas Agências de Viagens. Uma questão de gestão estratégica. São Paulo:Rocca, 2002.

FREIRE – MEDEIROS, Bianca. A favela que se vê e que se vende. Reflexões e polêmicas em torno de um destino turístico. Revista Brasileira de Ciências Sociais - vol. 22 Nº. 65. 2007. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v22n65/a06v2265.pdf>. Acesso em: 07/05/2020.

FREIRE – MEDEIROS, Bianca. Gringo na Laje: produção, circulação e consumo da favela turística. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

HERLIHY, Peter; & KNAPP, Gregory. Maps of, by and for the Peoples of Latin America. Human Organization. Journal of the Society for Applied Anthropology, v. 62, n. 4, inverno de 2003. Disponível em: 182 https://www.researchgate.net/publication/251914689_Maps_of_By_and_For_the_Peopl es_of_Latin_America. Acesso em: 14 jan. 2019.

IRVING, Marta de Azevedo. Turismo, áreas protegidas e inclusão social: uma inclusão necessária em planejamento, no caso brasileiro. In: IRVING, Marta de Azevedo et al. (org.). Turismo, áreas protegidas e inclusão social. Diálogos entre saberes e fazeres. Rio de Janeiro: Folio digital, 2015.

JOLIVEAU, Thierry. O lugar dos mapas nas abordagens participativas. In: ACSELRAD, Henri (org.). Cartografias sociais e território. Rio de Janeiro: UFRJ/IPPUR, 2008.

LAZARINI, Ricardo; BARRETTO, Margarita. Políticas públicas para no Brasil para um Turismo Responsável. Revista Turismo - Visão e Ação – eletrônica, vol . 16 - n. 1 - Jan. - abr. 2014. Disponível em:< https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rtva/article/view/5945. Acesso em: 07 jul. 2020.

LINHARES, Talita dos Santos. Diagnóstico do potencial turístico em comunidades tradicionais a partir da gestão participativa. 2016. 57 p. Dissertação (mestrado em Engenharia Ambiental) Instituto Federal de Ciência e Tecnologia Fluminense – IFF. Disponível em: < http://portal1.iff.edu.br/pesquisa-e-inovacao/pos-graduacao-stricto->. Acesso em: 29/04/2020.

MACHADO, Eliel. Governo Lula, neoliberalismo e lutas sociais. Revista Lutas Sociais. n°23, Puc- São Paulo jul, 2009. Disponível em:< https://revistas.pucsp.br/ls/issue/view/1198/showToc>. Acesso em: 25/06/2020.

MELO, Marisa Egrejas de. Roteirização diagonal: a construção de roteiros turísticos com a participação da comunidade local. 2014. 163 p. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Disponível em:< http://www.pep.ufrj.br/index.php/en/theses-and-dissertations/doutorado/2014-1. > Acesso em: 05/05/2020.

MOESCH, Marutschka. A produção do saber turístico. São Paulo: Contexto, 2002.

PETROCCHI, Mário; BONA, André. Agências de turismo. Planejamento e gestão. São Paulo: Futura, 2003.

PICKLES, John. 2004. A History of Spaces. Cartographic Reason, Mapping and the Geo-Coded World. London: Routledge. Disponível em: < https://epdf.pub/queue/a-history-of-spaces-cartographic-reason-mapping-and-the-geo-coded-world-frontier.html>. Acesso em: 07/05/2020.

RAMOS, Silvana Pirillo. Apresentação. In: Ramos, Silvana Pirillo (org.). Planejamento de Roteiros turísticos. Porto Alegre, RS: Asterisco, 2012.

RAMOS, Silvana Pirillo; SANTOS, Angela Meire dos. Traçando itinerários para um turismo de experiência: o caso do caminho de lagunar – AL. In: Ramos, Silvana Pirillo (org.). Planejamento de Roteiros turísticos. Porto Alegre, RS: Asterisco, 2012.

REJOWSKI, Mirian. Teorizações do turismo em direção a novas abordagens: uma discussão preliminar. Anais. In: Seminário da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo (ANPTUR). São Paulo, 12. 2015.Anais [...]. São Paulo: ANPTUR, 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication /309728259_Teorizacoes_do_turismo_em_direcao_a_novas_abordagens_uma_disc ussao_preliminar. Acesso em: 07 jul. 2020.

ROCHA, Diego Uliano. Quer conhecer a Finlândia? Vá a Penedo! Uma proposta de roteiro turístico cultural. 2019. 190 p. Dissertação (mestrado em Bens Culturais e Projetos Sociais) Centro de Pesquisa e Documentação em História Contemporânea – CPDOC, Fundação Getúlio Vargas – FGV. Disponível em: < https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/27460/disserta%c3%a7%c3%a3o%20vers%c3%a3o%20definitiva.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 04/05/2020.

SEBRAE. Roteiros de turismo. Resposta técnica (2014). Disponível em: < http://www.sebraemercados.com.br/wp-content/uploads/2015/11/2014_08_13_RT_Agosto_Turismo_CriacaoRoteiros_pdf.pdf>. Acesso em: 21/04/2020.

SOLHA, Karina Toledo. Evolução do Turismo no Brasil. In: REJOWSKI, Mirian (org.). Turismo no percurso do tempo. São Paulo: Aleph, 2002.

SOUZA, Celina. “Estado da Arte” da área de Políticas Públicas: Conceitos e principais tipologias. Anais. XXVII Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS); GT: Políticas Públicas. Caxambu, MG 21-25 de outubro de 2003. Disponível em:< https://anpocs.com/index.php/papers-27-encontro-2/gt-24/gt14-16/4232-csouza-estado-da/file>. Acesso em: 28/06/2020

SUPLICY, Marta. Apresentação. In: BRASIL. Ministério do Turismo. Coordenação Geral de Regionalização. Programa de Regionalização do Turismo - Roteiros do Brasil: Módulo Operacional 7 Roteirização Turística/ Ministério do Turismo. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. Coordenação Geral de Regionalização. – Brasília, 51 p. 2007.

TAVARES, Adriana de Menezes. City Tour. São Paulo: Aleph, 2002.

TRENTIN, Fábia; FRATUCCI, Aguinaldo C. Política nacional e turismo no Brasil da municipalização à regionalização. Book of proceedings. International Conference on Tourismo & Management Stuies, Algarve 2011. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/1990063/mod_resource/content/1/Pol%C3% ADtica%20Nacional%20de%20Turismo%20no%20Brasil%20da%20municipaliza%C 3%A7%C3%A3o%20%C3%A0%20regionaliza%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 07 Jul. 2020.

URRY, John. O olhar do Turista. Lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. São Paulo: Studio Nobel: SESC, 2001.

ZAI, Clotilde; SAHR, Cicilian Luiza Lowen. Roteirização turística como instrumento de desenvolvimento territorial: o roteiro ‘verde que te quero verde’ De Campo Magro/ Paraná (Brasil). Revista Finisterra, LIV(110), 2019, pp. 135-154. Disponível em: < http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0430-502. Acesso em: 20/04/2020.