Estudo dos exames complementares solicitados pela atenção básica em município de grande porte

  • Ricardo Machado Castanheira de Souza Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
  • Amanda Frias Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
  • Nivaldo Carneiro Junior Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
Palavras-chave: Sistemas de Saúde, Atenção Primária à Saúde, Exames Médicos, Gestão em Saúde, Educação Médica

Resumo

A solicitação não criteriosa de exames complementares nas consultas médicas tem se tornado incompatível com a disponibilidade do Sistema Único de Saúde (SUS), gerando agendamento a longo prazo, exigindo estratégias de intervenção. Nessa direção, surge o Programa “Corujão da Saúde”, em 2017, da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo (SMS-SP), visando zerar as filas de espera de determinados exames solicitados na rede de atenção básica. Este trabalho caracterizou a pertinência dessas solicitações incluídas neste Programa. Foi um estudo transversal e quantitativo, a partir de uma amostra de 2790 exames, procedentes das Unidades Básicas de Saúde, Coordenadoria Regional de Saúde Centro/SMS-SP. As variáveis selecionadas foram: tipo de exame, data de nascimento do usuário, data de solicitação, hipótese diagnóstica. Utilizou-se Excel-Microsoft 2010 para armazenamento dos dados e confecção de relatórios. Dos exames, 73% apresentaram espera de 6 a12 meses para realização. A maioria são usuários entre de 18 a 50 anos. As ultrassonografias representaram 88% do total, sendo que a ultrassonografia mamária bilateral a predominante. Evidencia-se a utilização inadequada de exame nas consultas médicas da atenção primária, o que reforça a importância de, implantação de protocolos clínicos, contribuindo na prevenção de iatrogenias e uma racionalidade eficiente do sistema de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1.PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Prefeitura firma convênio para consultas de reavaliação do “Corujão da Saúde”. São Paulo; 2017 Jan. Acesso 14/04/2017 em: capital.sp.gov.br/noticia/programa-201ccorujao-da-saude201d-comeca-a-funcionar-na-cidade.
2. Arena TRC, Jericó MC, Castro LC, Castilho V, Lima AFC. Gastos com exames complementares desnecessários para hipertensos e diabéticos nos serviços de saúde. Rev. Gaúcha Enferm. 2014 Dez; 35 (4): 86-93.
3. Oosterhuis WP, Bruns DE, Watine J, Sandberg S, Horvath AR. Evidence-Based Guidelines in Laboratory Medicine: Principals and Methods. Clinical Chemistry. 2004 April; 50 (5): 806-818.
4. Mendes A. A longa batalha pelo financiamento do SUS. Saúde e Sociedade. 2013 Dez; 22 (4): 987-990.
5. Del Nero CR. O que é Economia da Saúde. In: Piola Francisco S., Vianna Solon M. (orgs). Economia da Saúde: conceitos e contribuição para a gestão da saúde. Brasília: IPEA, 2002. Pp 5-21.
6. Norman AH, Tesser CD. Prevenção quaternária na atenção primária à saúde: uma necessidade do Sistema Único de Saúde. Cad. Saúde Pública. 2009 Set; 25 (9): 2012-2020.
7. Benseñor I. Anamnese, exame clínico e exames complementares como testes diagnósticos. revistadc [Internet]. 2013 [acesso em 28 Jul 2018]; 92(4):236-41. Disponível em:http://www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/85896.
8. Capilheira MF, Santos IS. Epidemiologia da solicitação de exame complementar em consultas médicas. Rev. Saúde Pública [Internet]. 2006 [acesso em 27 Jul 2018]; 40 (2): 289-297. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102006000200015&lng=en.
9. Ministério da Saúde. Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações / Rede Interagencial de Informação para a Saúde – 2. ed.. Brasília. Organização Pan-Americana da Saúde [Internet], 2008 [acesso em 26 Jul 2018]. Disponível em http://tabnet.datasus.gov.br/tabdata/livroidb/2ed/indicadores.pdf (pp. 279)3.
10. Norman AH, Tesser CD. Prevenção quaternária na atenção primária à saúde: uma necessidade do Sistema Único de Saúde. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2009 [acesso em 27 Jul 2018]; 25(9): 2012-2020. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009000900015&lng=en.
11. Agência Nacional de Saúde. Atributos da Atenção Primária à Saúde [Internet], 2018 [acesso em 25 Jul 2018]. Disponível em http://ans.gov.br/images/stories/Particitacao_da_sociedade/2018_GT_LabDipro/CRIT%C3%89RIOS_DE_AVALAI%C3%87%C3%83O_-_ATRIBUTOS_DA_ATEN%C3%87%C3%83O_PRIM%C3%81RIA_%C3%80_SA%C3%9ADE.pdf.
12. Secretaria Municipal da Saúde. Coordenação de Epidemiologia e Informação - CEInfo. Boletim CEInfo Saúde em Dados | Ano XVII, nº 17, Jun 2018. São Paulo (SP). Secretaria Municipal da Saúde [Internet], 2018 [acesso em 26 Jul 2018]. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/publicacoes/Boletim_CEInfo_Dados_2018.pdf.
13. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de Atenção Primária- Rastreamento. Brasília. Ministério da Saúde [Internet], 2010 [acesso em 28 Jul 2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_atencao_primaria_29_rastreamento.pdf.
14. Martins MA. Check-up do check-up. Rev. Assoc. Med. Bras. [Internet]. 2005 [acesso em 28 Jul 2018]; 51 (3): 121-121. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302005000300001&lng=en.
15. Pimentel Í, Coelho B, Lima J, Ribeiro F, Sampaio F, Pinheiro R, Rocha-Filho F. Caracterização da demanda em uma Unidade de Saúde da Família. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade [Internet]. 2011; [acesso em 25 Jul 2018]; 6(20): 175-181. Disponível em: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/95.
16. Figueiredo W. Assistência à saúde dos homens: um desafio para os serviços de atenção primária. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 2005 [acesso em 27 Jul 2018]; 10 (1): 105-109. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232005000100017&lng=en.
17. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva [homepage na internet]. Câncer da mama [acesso em 26 Jul 2018]. Disponível em: http://www.inca.gov.br.
18. Silva FX, Katz L, Souza ASR, Amorim MMR. Mamografia em mulheres assintomáticas na faixa etária de 40 a 49 anos. Rev. Saúde Pública [Internet]. 2014 [acesso em 27 Jul 2018]; 48 (6): 931-939. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102014000600931&lng=en
Publicado
2019-09-30
Como Citar
1.
Machado Castanheira de SouzaR, Frias A, Carneiro JuniorN. Estudo dos exames complementares solicitados pela atenção básica em município de grande porte. Rev. G&S [Internet]. 30º de setembro de 2019 [citado 15º de outubro de 2019];10(3):375 -390. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/25084
Seção
Artigos Originais