HÁ UM SENTIDO NO UNIVERSO? A FUNDAMENTAÇÃO DO ARGUMENTO TELEOLÓGICO A PARTIR DA OBRA DE MARIANO ARTIGAS

  • JOÃO PEDRO DA LUZ NETO Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Teleologia; Evolucionismo; Filosofia e Ciência; Ciência e Religião; Mariano Artigas.

Resumo

O presente artigo pretende discutir a fundamentação do argumento teleológico a partir da obra do físico e filósofo espanhol Mariano Artigas. Após observar a prolífica produção de vários cientistas sobre o tema, nota-se que o conceito de “finalidade” deve ser matizado, e verifica-se de que modos podem ser compreendidos pelas ciências empíricas e também pelo pensamento filosófico. Em seguida, encontra-se uma harmonização entre as noções de acaso e finalidade do universo, demonstrando que ambos os aspectos não são incompatíveis. Durante todo o processo, frisa-se a necessidade de avaliar corretamente os avanços das ciências experimentais, de modo a não extrapolar seus estatutos próprios. Ao final, tendo observado de que modo Artigas responde tais questões, o autor do artigo comenta sobre os desdobramentos éticos que ressoam a partir do conceito de finalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

AQUINO, T. D. Suma Teológica. São Paulo: Loyola, v. 1, 2001.

AQUINO, T. D. Commentary on Aristotle's Physics. Disponivel em: <http://dhspriory.org/thomas/english/Physics.htm>. Acesso em: 01 Novembro 2015.

AQUINO, T. D. Commentary on the Metaphysics. Disponivel em: <http://dhspriory.org/thomas/english/Metaphysics.htm>. Acesso em: 01 Novembro 2015.

AQUINO, T. D. Questiones Disputatae de Veritate. Disponivel em: <http://dhspriory.org/thomas/english/QDdeVer.htm>. Acesso em: 01 Novembro 2015.

ARTIGAS, M. Introducción a la filosofia. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra, S.A. (EUNSA), 1984.

ARTIGAS, M. El cientificismo, hoy. Congresso Mundial de Filosofia Cristiana. Quito. 1989. Disponível em: http://hdl.handle.net/10171/7399.

ARTIGAS, M. Filosofia de la naturaleza. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra, S.A. (EUNSA), 2003.

ARTIGAS, M. Las fronteras del evolucionismo. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra, S.A. (EUNSA), 2004.

ARTIGAS, M. ¿Hay un sentido en el Universo? Anuario Filosofico, Pamplona, n. XLI/3, p. 549-575, 2008.

ARTIGAS, M. Filosofia de la ciencia. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra, S.A. (EUNSA), 2009.

ARTIGAS, M.; TURBÓN, D. Origen del hombre: Ciencia, Filosofia y Religión. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra S.A. (EUNSA), 2007.

BÍBLIA de Jerusalém. São Paulo: Paulus, 2002.

CLÉMENT, O. Fontes: Os místicos cristãos dos primeiros séculos. Juiz de Fora (MG): Mosteiro Santa Cruz - Edições Subiaco, 2003.

DARWIN, C. A origem das espécies através da selecção natural ou a preservação das raças favorecidas na luta pela sobrevivência. Leça da Palmeira (Portugal): Planeta Vivo, 2009.

FREUD, S. Uma dificuldade no caminho da psicanálise (1917). In: ______ Obras psicológicas completas de Sigmund Freud: edição standard brasileira. Rio de Janeiro: Imago, v. XVII, 1996.

GLEISER, M. A Criação Imperfeita: Cosmos, vida e o código oculto da natureza. Rio de Janeiro; São Paulo: Record, 2010.

MAYR, E. What Evolution is? Londres: Phoenix, 2002.

MONOD, J. El azar y la necesidad: Ensayo sobre la filosofia natural de la biologia moderna. Barcelona: Ediciones Orbis, S.A., 1985.

RUBBIA, C.; VIDAL, J. R. Carlo Rubbia: “Algo sobrenatural subyace en el mundo de la materia”. El País, 19 jul. 1985.

SAINT-EXUPÉRY, A. Terra dos Homens. 15ª. ed. São Paulo: Livraria José Olympio.

Publicado
2019-02-12
Como Citar
NETO, J. (2019). HÁ UM SENTIDO NO UNIVERSO? A FUNDAMENTAÇÃO DO ARGUMENTO TELEOLÓGICO A PARTIR DA OBRA DE MARIANO ARTIGAS. Revista Brasileira De Filosofia Da Religião, 5(1), 97 - 118. Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/rbfr/article/view/22893