O PONTO DE VISTA A PARTIR DO QUAL TEMOS DE ENXERGAR A ANTIGUIDADE

Fridrich Hölderlin

Palavras-chave: Formação. Impulso de formação. Originalidade. Estética. Filosofia.

Resumo

Trata-se de uma tradução do alemão para o português do referido texto de Fridrich Hölderlin (datado de 1799). Faz parte do corpus hölderliano, além dos poemas, das obras em prosa, das cartas e das tragédias (as várias versões de A morte de Empédocles), uma série de escritos (muitas vezes fragmentados e inacabados) de teor estético-filosófico, nos quais se discorre, sobretudo, a partir dos liames entre a mentalidade grega arcaica e o espírito romântico. O texto ora traduzido se insere nesse âmbito. O cerne de seu percurso (por sinal, inacabado, mas de extrema importância) se desdobra a partir da noção de Bildung (“formação”), a qual é disposta no contexto da originalidade própria de cada tempo/povo (no caso, o romântico) e da herança que a perpassa (no caso, a da Antiguidade grega). O meio vivo entre esses dois eixos, por sua vez, é examinado a partir da noção de Bildungstrieb (“impulso de formação”), foco do desenvolvimento do texto. A tradução está inserida em um projeto de tradução dos demais textos da obra de Hölderlin.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Felipe Gonçalves Correia, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Possui Bacharelado, Licenciatura Plena e Mestrado em Filosofia pela Universidade Federal da Paraíba. Dedica-se ao estudo das seguintes áreas: crítica à metafísica, hermenêutica filosófica, pensamento grego arcaico, romantismo alemão e história da filosofia. Vem desenvolvendo pesquisas e traduções no entorno dos discursos filosóficos de língua alemã, sobretudo nas obras de Nietzsche e de Hölderlin. Faz parte da comissão editorial da revista "Trágica - Estudos de filosofia da imanência" (B1) e da revista "Ítaca" (B4)

Referências

Friedrich Hölderlin, Sämtliche Werke: Kleine Stuttgarter Ausgabe. Hrsg. von F. Beissner (ed.). Stuttgart Kohlhammer, 1958.

Publicado
2019-02-28
Como Citar
Gonçalves CorreiaA. F. (2019). O PONTO DE VISTA A PARTIR DO QUAL TEMOS DE ENXERGAR A ANTIGUIDADE. PÓLEMOS – Revista De Estudantes De Filosofia Da Universidade De Brasília, 7(14), 201 - 206. https://doi.org/10.26512/pól.v7i14.9963
Seção
Traduções