UMA PROPOSTA DE INVESTIGAÇÃO DA CATEGORIA “LIBERDADE MATERIALISTA” EM MARX

Palavras-chave: Liberdade. Marxismo. Materialismo. Trabalho. Atividade Vital.

Resumo

Este texto propõe reflexões acerca da categoria “liberdade materialista”, sugerida por Marx em seus escritos de juventude, propondo-a como um importante parâmetro a todo o projeto marxiano de crítica à economia política. Será defendido que o amadurecimento metodológico do materialismo dialético não implicará em um abandono da liberdade como um importante objeto na crítica marxiana, mas antes a uma mudança de elementos empíricos objetivos a partir dos quais a investigação passa a se desenvolver. A categoria da liberdade materialista, ainda que não formulada de maneira sistemática, estaria presente como um parâmetro da crítica marxiana para apontar as relações entre o capitalismo e o comprometimento da liberdade “real” do indivíduo que se contrapõe ao “reino da liberdade” com o qual Marx identifica o comunismo. Nesse sentido, a categoria da liberdade materialista serve para definir parâmetros capazes de facilitar a realização das condições materiais que permitirão a superação em direção ao modo de produção comunista, bem como para definir as próprias práticas sociais e políticas que caracterizam a comunidade política do “reino da liberdade”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Mario Dantas Bastos Filho, Universidade Federal da Bahia

Professor, Advogado e Filósofo, com foco na pesquisa de filosofia política, marxismo e questões raciais e de classe no Brasil. Doutorando e Mestre em Filosofia pela UFBA. Ex-Secretário da Comissão de Direitos Humanos da OAB-BA. Professor de Metodologia Científica, Filosofia do Direito, Ciência Política e Direito Constitucional. Diretor Acadêmico do Instituto HORI.

Referências

ALTHUSSER, Louis. A Favor de Marx. 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

_____. A Querela do Humanismo. Crítica Marxista, Campinas, n. 9, p. 09, ago. 1999. Disponível em: <https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/artigo59Artigo1.pdf>. Acesso em: 08 jul. 2018.

_____. A Querela do Humanismo II. Crítica Marxista, Campinas, n. 14, p. 48, jan. 2002. Disponível em: <https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/artigo85artigo3.pdf>. Acesso em: 08 jul. 2018.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho. Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 1ª ed. 9ª reimpressão. São Paulo: Boitempo, 2007.

_____. Trabalho uno ou omni: a dialética entre o trabalho concreto e o trabalho abstrato. Argumentum, Vitória, v. 2, n. 2, p. 09-15, Jul./Dez. 2010.

BLACKLEDGE, Paul. Marxism and Ethics. Freedom, Desire, and Revolution. Albany: SUNY Press, 2012.

MARX, Karl. O Capital. Livro 1. Tomo 1. Rio de Janeiro: Nova Cultural, 1996.

_____. O Capital. Livro 1. Tomo 2. Rio de Janeiro: Nova Cultural, 1996b.

_____. O Capital. Livro 2. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

_____. O Capital. Livro 3. Tomo 1. 2ª ed. São Paulo: Nova Cultural. 1986.

_____. O Capital. Livro 3. Tomo 2. São Paulo: Nova Cultural. 1986b.

_____. A Ideologia Alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

_____. Manuscritos Econômico-Filosóficos. 2ª reimpressão. São Paulo: Boitempo, 2008.

MOURA, Mauro Castelo Branco de. Marx y la felicidad. In ATIENZA, Carmen Trueba. La felicidad: perspectivas antiguas, modernas y contemporáneas. México: Siglo XXI, 2011, p. 312-327.

_____. Marx e o Determinismo. In NÓVOA, Jorge. Incontornável Marx. Salvador: EDUFBA; São Paulo: UNESP, 2007, p. 389-399.

SAES, Décio Azevedo Marques de. Althusserianismo e Antropologia. Lutas Sociais, São Paulo, vol.18 n.33, p.63-73, jul./dez. 2014. Disponível em: < https://revistas.pucsp.br/index.php/ls/article/download/25741/18376>. Acesso em: 09 nov. 2018.

Publicado
2019-02-28
Como Citar
FilhoA. M. D. B. (2019). UMA PROPOSTA DE INVESTIGAÇÃO DA CATEGORIA “LIBERDADE MATERIALISTA” EM MARX. PÓLEMOS – Revista De Estudantes De Filosofia Da Universidade De Brasília, 7(14), 20 - 41. https://doi.org/10.26512/pól.v7i14.18950
Seção
Artigos