A lingua francesa antes e depois da revolução

  • Paul Lafargue
Palavras-chave: Revolução Francesa; língua francesa; adaptação; inovação; evolução; neologismo.

Resumo

Este artigo escrito em 1894 discute a questão da língua antes, durante e após a Revolução Francesa, mostrando as transformações por que ela passou. Essas transformações se dão no contexto da concepção de língua como organismo que nasce, cresce e morre. Mas, como organismo que é, adapta-se sempre ao meio natural e social em que se encontra. Uma das inovações mais conspícuas é a que se dá no nível do léxico. Introduzem-se palavras novas, mas, sobretudo, derivam-se palavras ainda não usadas de outras já existentes. Foi uma época em que os prefixos des- (-) e re- passaram a ser usados na formação de muitos neologismos. Também o sufixo –izar (iser-). A maioria dessas inovações entraram também na língua portuguesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paul Lafargue

Revolucionário jornalista socialista franco-cubano, médico, escritor e ativista político, autor de várias obras sobre a história do marxismo. Foi um dos fundadores do Partido Operário Francês em 1879. Na 1ª Internacional ocupou o cargo de secretário correspondente para Espanha entre 1866 e 1868 e foi membro fundador das secções francesa, espanhola e portuguesa. Casou-se com Laura Marx, filha de Karl Marx.

Publicado
2019-02-10
Como Citar
LafargueP. (2019). A lingua francesa antes e depois da revolução. Ecolinguística: Revista Brasileira De Ecologia E Linguagem (ECO-REBEL), 5(1), 46-84. Recuperado de http://periodicos.unb.br/index.php/erbel/article/view/22807
Seção
Artigos