Unidade e diferença

Os Ye’kwana e suas relações com a fronteira binacional

  • Karenina Andrade
Palavras-chave: Ye’kwana, fronteiras internacionais, alteridade

Resumo

Neste artigo reflito sobre a constituição de uma unidade sociológica ye’kwana e da consequente matriz de relação destes com seus Outros, à luz do conceito nativo de weichö, que traduzo aqui como “modo de vida”. O exame de como o “modo de vida” ye’kwana se constitui e opera é fundamental para se compreender a relação que estes estabelecem com a fronteira internacional que corta seu território tradicional, bem como as relações entre as comunidades ye’kwana situadas em território brasileiro e venezuelano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRADE, K. V. 2007. A Ética Ye’kuana e o Espírito do Empreendimento.
Tese de Doutorado, PPGAS/UnB.
ANDRADE, K. V. 2010. “Construindo lugares, transformando pessoas. A dialética do espaço entre os Ye'kuana”. In: TRAJANO FILHO, Wilson. (Org.). Lugares, Pessoas e Grupos: as lógicas do pertencimento em perspectiva internacional. Brasília: Athalaia.
ANDRADE, K. V. 2011. “Jogando com espelhos: os Ye'kuana e seus outros”. In: COFFACI DE LIMA, E. & CÓRDOBA, L. (orgs). Os Outros dos Outros: Relações de alteridade na Etnologia Sul-Americana. Curitiba: Editora UFPR.
ANDRADE, K. V. 2012 A vontade de saber - a escola e o mundo das profissões entre os Ye'kuana. Revista Brasileira do Caribe (Impresso), v. XIII, p. 43-71.
ANDRADE, K. V. 2013. Alteridades (in)corporadas: notas sobre a chefia Ye'kuana. Anuário Antropológico, v. 2012/I, p. 59-82.
ANDRADE, K. V. 2014. Acumulando saberes - o processo de escolarização no contexto ye'kuana. Teoria & Sociedade (UFMG), v. Especial, p. 202-218.
ARVELO-JIMÉNEZ, N. 1974. Relaciones políticas em uma sociedad tribal. México:Instituto Indigenista Interamericano.
___________.1990. Indigenismo Y debate sobre desarollo amazónico. Reflexiones a partir de la experiencia venezolana. Série Antropologia 106. Departamento de Antropologia, Universidade de Brasília.
__________. 2001. “Perspectivas y lecciones”. In Simeón Jiménez e Nelly Arvelo-Jiménez (orgs.), Atlas Dekuana. Caracas: Asociación Kuyujani Originário y Asociación Outro Futuro.
__________. 2014. Movimientos etnopolíticos contemporáneos y sus raíces organizacionales en el sistema de interdependencia regional del Orinoco. Anuário Antropológico 2014/II: 133-160.
ARVELO-JIMÉNEZ, N. & MORALES MÉNDEZ, F., 1981. Hacia un modelo de estructura
social caribe. América Indígena XLI (4): 603-626.
ARVELO-JIMÉNEZ, N., MORALES MÉNDEZ, F., & CASTILLO, H. B. 1989. Repensando la historia del Orinoco. Revista de Antropología 5(1-2): 155-173.
BARANDIARÁN, D. de. 1981. Introducción a la cosmovisión de los Índios Ye’kuana-Makiritare. Caracas: Universidad Católica Andrés Bello, Instituto de Investigaciones Históricas, Centro de Lenguas Indígenas.
COPPENS, W. 1971. Las relaciones comerciales de los Yekuana del Caura-Paragua. Antropologica 30: 28-59.
__________.1979. The anatomy of a land invasion scheme in Yekuana territory, Venezuela. Copenhaguen: IWGIA Document 09.
ERIKSON, P. 2011. “Prólogo”. In. Coffaci de Lima, E. & Córdoba, L. (orgs). Os Outros dos Outros: Relações de alteridade na Etnologia Sul-Americana. Curitiba: Editora UFPR.
EVANS-PRITCHARD, E. E. 1993 [1940]. Os Nuer. São Paulo: Perspectiva.
GADAMER, H-G. 2008. Verdade e Método I, Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Petrópolis: Vozes.
GOODY, J., 2008. O roubo da história. São Paulo: Contexto.
GONGORA, M. F. 2017. Ääma ashichaato, replicações, transformações, pessoas e cantos entre os Ye’kwana do Rio Auaris. Tese de Doutorado, PPGAS/USP.
GUSS, D. 1990. To Weave and Sing – Art, Symbol and Narrative in the South American Rain Forest. Berkeley: University of California Press.
LEACH, E. 1995 [1954]. Sistemas Políticos da Alta Birmânia. São Paulo: Edusp.
LÉVI-STRAUSS, C. 1993. História de lince. São Paulo: Companhia das Letras.
RAMOS, A. R. (org.). 1980. Hierarquia e simbiose. Relações intertribais no Brasil. São Paulo: Hucitec.
SILVA M, N. R. 2015. Poder, Parentesco y sociedade entre los Ye’kwana del Caura-Venezuela. Quito: Abya-Yala.
Publicado
2018-11-23
Como Citar
AndradeK. (2018). Unidade e diferença. Anuário Antropológico, 43(2). https://doi.org/10.4000/aa.3170