https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/issue/feed Revista Eletronica Gestão & Saúde 2020-08-27T21:09:24-03:00 Andrea Gonçalves gestaoesaude@unb.br Open Journal Systems <p align="justify">Órgão oficial de divulgação científica do Núcleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos – NESPROM do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares – CEAM da Universidade de Brasília. Missão: promover a disseminação do conhecimento científico nas áreas de enfermagem, gestão e políticas de saúde através da publicação arbitrada de artigos que contribuam para a expansão destas áreas e para a fundamentação das atividades dos profissionais.&nbsp;</p> https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/29441 Políticas de saúde, organização e mobilidade social em uma região rural brasileira 2020-06-29T14:39:27-03:00 Angela Bolognesi angelaabolognesi@gmail.com Bruna Pavan dos Santos brunapssjc@hotmail.com Kátia Terezinha Alves Rezende katialvesrezende@gmail.com Paula Sylvana Martins da Silva paula.sylvana.martins@gmail.com <p>Esta investigação objetivou analisar as políticas de saúde, a comunicação e a mobilidade social em uma região rural pertencente à área de abrangência de uma Unidade de Saúde da Família (USF), utilizando-se para coleta de dados o Método de Estimativa Rápida Participativa, por meio de entrevistas semiestruturadas com informantes chave, sendo 13 membros das associações de moradores e seis trabalhadores de uma Equipe de Saúde da Família (EqSF). Para o processamento dos dados, empregou-se a análise de conteúdo, modalidade temática, evidenciando os núcleos de sentido, que foram agrupados em temas: programa do governo municipal ineficaz frente às necessidades de saúde; desafios no acesso aos serviços de saúde dos diferentes níveis de atenção à saúde; a polaridade em relação ao processo de trabalho na Atenção Básica à Saúde (ABS); desafios frente à implementação dos Conselhos de Saúde; limites e possibilidades do acesso dos moradores da área rural à urbana. Esse processo permitiu identificar insatisfação com a atuação do poder público, limitações e potencialidades da USF no atendimento às necessidades de saúde e desinformação sobre a organização e funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS): desafios para a promoção do cuidado na perspectiva da integralidade.</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/29163 Absenteísmo entre técnicos de enfermagem de uma unidade de pronto atendimento 2020-05-28T11:50:54-03:00 Renata Bastos Peres rbperes88@hotmail.com Marília Alves marilix@terra.com.br Silvia Miranda Amorim silvia.miranda.amorim@gmail.com <p class="Default" style="text-align: justify; line-height: 150%;">O presente estudo buscou compreender situações do cotidiano de vida e de trabalho que influenciam no absenteísmo entre técnicos de enfermagem do setor de urgência e emergência de um Hospital Universitário de Belo Horizonte. Foi realizado um estudo de caso único<span style="color: #0070c0;">,</span> de abordagem qualitativa, cujos sujeitos foram técnicos de enfermagem que atuam no setor de Pronto Atendimento. Os dados foram coletados por meio de uma entrevista<span style="color: #0070c0;">,</span> com roteiro semiestruturado<span style="color: #0070c0;">,</span> e foram submetidos à análise de conteúdo. Os resultados apontaram um cotidiano de serviço dinâmico, agitado e imprevisível e demonstraram que as questões de saúde não são os únicos motivos do absenteísmo, pois surgiram relatos da influência de diversas questões familiares, além de motivos relacionados à mobilidade urbana, estresse profissional, problemas de relacionamento interpessoal, riscos à própria saúde e compromissos inadiáveis. Ao final, <span style="color: #0070c0;">é</span> discutido como estes resultados podem subsidiar diminuição nas taxas de absenteísmo, especialmente no desenvolvimento de políticas gerenciais, visando um melhor ambiente de atendimento e de trabalho.</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/31417 Administração da Saúde Pública por Organizações Sociais (OS) 2020-06-29T14:35:51-03:00 Lizandra Shimizu lizandra.saude@gmail.com RAFAELA JULIA BATISTA VERONEZI contato@rafaelaveronezi.com.br <p>O objetivo do estudo foi revisar experiências na área de gestão pública em saúde, com ênfase na mudança de paradigmas da cultura organizacional pública a partir da gestão do trabalho e da inserção das Organizações Sociais no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A análise dos estudos demonstrou que, apesar de relatos de experiências gerenciais exitosas, ainda persistem muitos questionamentos e dúvidas quanto à implantação do modelo de terceirização da gestão em saúde. A transição para o modelo precisa ser amparada em criterioso estudo de viabilidade, e os resultados, da mesma forma, precisam ser rigorosamente monitorados para que se garanta transparência e lisura na aplicação de recursos públicos. Alguns estudos apontam a necessidade de a gestão pública se modernizar e introduzir saberes e inovações administrativas que agreguem qualidade e eficiência e, sobretudo, garantir a continuidade do SUS não apenas como sistema, mas como benefício social.</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/29407 Necessidades de saúde no período perioperatório 2020-06-03T16:03:10-03:00 Nathália Romeu de Mazzi nathaliarmazzi@gmail.com Silvia Franco da Rocha Tonhom siltonhom@gmail.com Valéria Marli Leonello valeria.leonello@usp.br <p>Durante o período perioperatório é importante que o paciente sinta-se confiante em relação ao processo de cuidado, participando ativamente das ações. A expressão de suas experiências e expectativas fornece direcionamentos à equipe de saúde para a organização e planejamento de uma assistência centrada em suas necessidades. Sendo assim, por meio de um estudo qualitativo, objetivou-se analisar as necessidades de saúde de pacientes no período perioperatório. Foram entrevistados 26 participantes em pós-operatório de cirurgia eletiva, internados em um hospital do interior paulista. As entrevistas foram gravadas, transcritas e organizadas por meio do Discurso do Sujeito Coletivo, sendo utilizada a taxonomia de necessidades de saúde como referencial teórico para análise. As necessidades de saúde no período perioperatório são caracterizadas por compreensão frágil acerca da assistência, visto que há comunicação ineficiente entre os sujeitos, com predomínio de medidas impositivas. Dessa forma, o paciente tem suas necessidades comprometidas em relação à autonomia, vínculo e acesso à tecnologia leve. Espaços para discussão da dinâmica de trabalho tornam-se potentes propulsores no que concerne à práticas mais colaborativas, proporcionando condições para uma atenção centrada no usuário, na busca pela integralidade da assistência.</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/29451 A Gestão na Graduação em Saúde Coletiva e Enfermagem 2020-06-03T13:54:12-03:00 Mariane Sanches Leonel msanchesleonel@gmail.com Mariana Soadrio Cruz mari.sodario@gmail.com Jéssica de Souza Lopes jessicalopes.scunb@gmail.com Weverton Vieira da Silva Rosa Rosa velber35@gmail.com <p>O contexto de reorientação do modelo de atenção à saúde preconizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) proporcionou a antecipação da formação do sanitarista, por meio da criação do curso de graduação em Saúde Coletiva. O profissional egresso desse curso estará apto a atuar na gerência e na gestão dos sistemas de saúde, que pode se configurar como local em comum para outras profissões da saúde. Este estudo teve como objetivo comparar a formação de enfermeiros e sanitaristas de graduação no âmbito gestor e gerencial, a partir de seus Projetos Político-Pedagógicos (PPP) de curso. Foi realizada uma análise dos cursos em quinze universidades brasileiras, priorizando conteúdos e abordagens acerca de habilidades e competências gestoras e gerenciais previstas na formação dos estudantes. Os resultados demonstraram que os dois cursos de graduação formam profissionais com potencial perfil para o gerenciamento e gestão em saúde. Contudo, detectou-se que as competências específicas das duas formações diferem quanto à respectiva abrangência. Enquanto na Enfermagem há o foco no gerenciamento do processo de trabalho dos profissionais dos serviços de saúde, na Saúde Coletiva amplia-se a atuação para os processos macros do sistema de saúde, como a gestão municipal.</p> <p> </p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/33210 Transformar a Gestão do Sistema de Saúde é o Desafio do Futuro 2020-08-10T15:43:52-03:00 João Abreu de Faria Bilhim j.bilhim@sapo.pt <p>Editorial</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/29414 Community health and public health nursing 2020-06-03T14:27:39-03:00 Carmen Maria Santos Lopes Monteiro Cunha carmencunha@campus.esel.pt Andreia Cátia Jorge Silva Costa andreia.costa@esel.pt Maria Adriana Pereira Henriques ahenriques@esel.pt <p>Community health and public health nursing is a relevant issue in the context of the Portuguese National Health System reforms. International organizations, such as the World Health Organization, have emphasized the importance of nurses in community and public health care, and international studies report ongoing changes in this area in many countries. Through a Systematic Literature Review, conducted in early 2019, following an Equator Network protocol, Systematic Reviews, CRD's guidance for undertaking reviews in health care, prepared by York University, we addressed the research issue: what has been published about community health and public health nurse competencies and interventions. The inclusion of articles followed PRISMA 2009 and 36 of the total number of publications were selected. The contributions refer to the expansion of nurses’ competences, events such as health fairs, nutrition, and caries assessments, performance in contexts of natural disasters, development of management skills, understanding and influencing the making of public health policies. With the ongoing public health reform taking place in Portugal, it is also a good opportunity for nursing to investigate, produce, innovate, and recreate itself.</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/29410 Observação participante nas pesquisas de gestão em enfermagem 2020-06-01T13:44:31-03:00 Ana Carolina de Souza ana_carolina_souza@yahoo.com.br Raquel Gvozd raquelgvozd@yahoo.com.br Sônia Silva Marcon soniasilva.marcon@gmail.com Maria do Carmo Fernandez Lourenço Haddad carmohaddad@gmail.com <p>Esta pesquisa teve como objetivo analisar as evidências científicas disponíveis na literatura sobre a utilização da observação participante nas pesquisas de gestão em enfermagem. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura realizada em janeiro de 2020 a partir de publicações científicas de enfermagem indexadas na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) de 2009 a 2019, onde se utilizaram as palavras-chave ‘observação participante’, ‘gestão’ e ‘enfermagem’. Selecionaram-se quatorze estudos para a análise. A observação participante vem sendo utilizada para avaliar a gestão em enfermagem em hospitais, atenção primária, hemoterapia e serviços de atendimento a doenças infectocontagiosas. Esse método de pesquisa permitiu identificar as fragilidades e potencialidades do processo de trabalho e a subjetividade das relações interpessoais que interferem na gestão de enfermagem. Pressupõe-se que o método observação participante contribui para o conhecimento científico da gestão de enfermagem, o que permite um profundo diagnóstico do processo de trabalho e indica o aprimoramento necessário.</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/29413 Auditoria de Riscos em Saúde 2020-06-05T14:30:15-03:00 Natália de Azevedo Faccio Simionato natalia.simionato83@gmail.com <p>A auditoria baseada em riscos (ABR) detecta riscos e auxilia a implementar estratégias para a segurança dos pacientes nas instituições de saúde, já que estão expostos a vários riscos neste ambiente. O objetivo deste trabalho foi analisar o impacto da ABR na atualidade e, também, comparar o contexto nacional com o internacional. Foi realizada revisão sistemática de literatura de publicações referentes a auditoria de riscos em saúde, a gestão de riscos e segurança do paciente em serviços de saúde, entre 2014 e 2018. Concluiu-se que nos estudos estrangeiros o gerenciamento e a ABR já são parte de políticas administrativas institucionais sistêmicas, onde setores assistenciais e administrativos trabalham em conjunto para elaborar diretrizes, treinamentos e sistemas digitais que reduzam erros e más práticas. No cenário nacional, nota-se ainda a falta de compreensão quanto à abrangência da segurança do paciente e gerenciamento de riscos. É primordial no cenário nacional desenvolver a ABR como ferramenta de qualidade e gestão estratégica, para assim reduzir custos, porém garantindo qualidade.</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/29964 Gestão e governança em saúde 2020-06-29T14:43:14-03:00 Nília Maria de Brito Lima Prado nilia.ufba@gmail.com Hebert Luan Pereira Campos dos Santos hebertluanvph@hotmail.com Josilene Silva Oliveira josinhaso@yahoo.com.br <p>A complexidade do conceito e a transversalidade da utilização dos termos governança em saúde e gestão em saúde têm sido alvo de debates ao longo do tempo. O percurso teórico-conceitual realizado neste ensaio visou a reunir elementos para a análise da governança e alguns aspectos relacionados à gestão em saúde. Dessa forma, algumas questões balizaram a construção do presente estudo tais como: identificar os principais conceitos existentes sobre governança e gestão em saúde e, os princípios e as formas de operacionalização decorrentes da adoção do termo governança no processo de implantação de políticas públicas com foco intersetorial. Assim, objetivou-se identificar o conhecimento produzido sobre gestão e governança na perspectiva da implantação de políticas de saúde. Metodologicamente, trata-se de ensaio teórico construído com base em capítulos de livros e artigos científicos. A análise realizada possibilitou elencar características da gestão e da governança em saúde que permitem diferenciá-las entre si, assim como os limites e as potencialidades para viabilizarem processos decisórios, inclusive compartilhados. Acredita-se que as reflexões sobre tais definições agregadamente, em conjunto, podem proporcionar uma consolidação teórica e abrir perspectivas para efetivar as lógicas de governança em saúde em distintos contextos e realidades plurais.</p> 2020-08-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista Eletronica Gestão & Saúde