https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/issue/feed Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território 2020-06-29T00:00:00-03:00 Kerlei Eniele Sonaglio revistacenario.cet@unb.br Open Journal Systems <p>A <strong>Cenário:</strong> <strong>Revista Interdisciplinar em Turismo e Território</strong> é um periódico que publica artigos inéditos sobre a dinâmica contemporânea de Turismo, Hospitalidade, Lazer e Gastronomia em seus estudos interdisciplinares.</p> <p> </p> https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/32002 Do overtourism à estagnação. Reflexões sobre a pandemia do Coronavírus e o turismo 2020-06-11T16:51:55-03:00 <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt; text-align: justify;"><span style="font-size: 11.0pt; font-family: 'Arial','sans-serif'; color: black;">O presente texto originou-se do convite das editoras da Revista Cenário para que fosse escrito um ensaio sobre como vemos a relação entre a pandemia do coronavírus e o setor de turismo. As reflexões foram feitas a partir das experiências dos autores que, no momento da redação, residiam em três países: Brasil, Costa Rica e Estados Unidos. O texto foi escrito entre 10 de maio e 10 de junho de 2020, período no qual o Brasil e os Estados Unidos se tornaram epicentros da pandemia e a Costa Rica se tornou modelo mundial de correta gestão da crise sanitária mundial. O artigo reflete sobre a importância de se compreender o histórico mundial de crises que afetaram o turismo nos últimos 50 anos. Discute a perspectiva de como um problema que era atual no turismo - o overtourism - perdeu importância e significado de forma abrupta, justamente pelo surgimento de outro problema radical - a redução, ou quase estagnação total, das viagens mundiais. Apresenta a perspectiva que se impõe ao turismo agora uma reformulação do setor, inclusive com forte apelo à sustentabilidade e à distribuição mais igualitária das riquezas por ele geradas. O ensaio deliberadamente não apresenta previsões sobre o turismo, mas sim aponta uma série de questões sobre o momento atual e sobre a possibilidade de retorno à “normalidade”.</span></p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/31770 Entre as solidões da casa e do mundo 2020-06-01T16:49:18-03:00 Humberto Fois-Braga humberto.fois@ufjf.edu.br Leandro Benedini Brusadin leandrobrusa@hotmail.com <p>As viagens pelo mundo representavam, antes da pandemia, uma forma de consumo com a prerrogativa de gozo intenso da vida e, também, de provação social. Nas atuais circunstâncias, a casa, menosprezada por muitos sujeitos como meio anti-social, tornou-se o espaço da preservação da vida e o único meio de relações com o mundo exterior. Este ensaio busca realizar um diálogo quanto ao recolhimento doméstico a partir dos escritos literários setecentistas do francês Xavier de Maistre, em justaposição com as reflexões críticas da modernidade líquida de Zygmunt Bauman e dadas interfaces filosóficas com Jacques Derrida. Consideramos, aqui, que estamos vivendo um rito de passagem diante do confinamento e do distanciamento social os quais podem promover metamorfoses nas relações de alteridades consigo mesmo e com o outros. A solidão da casa, expressa nas viagens pelos cômodos físicos e mentais, pode(ria) promover transformações no atos de hospitalidade.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/31848 O coronavírus reescreverá o turismo rural? 2020-06-01T16:48:25-03:00 Humberto Thomé Ortiz humbertothome@hotmail.com <p>No início de 2020, o surto do vírus SARS COV2, conhecido como COVID-19, atingiu a proporção de uma ameaça à saúde global. A cristalização da pandemia revelou o atraso tecnológico, econômico e social que a humanidade tem de enfrentar contingências em escala global e, com isso, a existência de uma crise civilizacional de grandes proporções. O turismo é uma das atividades produtivas mais afetadas pela paralisia econômica, sendo altamente vulnerável aos riscos à saúde, devido às suas características de superlotação e hipermobilidade. Diante do colapso do setor de turismo, muitas vozes proclamam a reativação de atividades de lazer e recreação, baseadas no turismo de proximidade nas periferias rurais. No entanto, essa posição contém uma forte ambivalência que é debatida entre a necessidade de reativar as economias locais e o risco de contribuir para a disseminação do vírus em contextos de marginalização e pobreza. Por esse motivo, o objetivo deste ensaio é refletir sobre os efeitos da pandemia de coronavírus no turismo rural e suas eventuais transformações, no contexto de uma possível retomada da atividade. A relação entre turismo rural e COVID-19 é analisada, buscando elucidar seus significados e horizontes. A reflexão permite estabelecer que a redescoberta das periferias rurais será um aspecto fundamental no renascimento do turismo, mas para isso é necessário desenvolver uma abordagem crítica que indique uma transformação radical do lazer turístico e garanta a segurança de todos os envolvidos no turismo.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/32210 Políticas públicas frente aos impactos econômicos da COVID-19 no Turismo 2020-06-25T14:43:35-03:00 <p>O objetivo desse artigo é apresentar as políticas públicas relacionadas a turismo e viagens que têm sido desenvolvidas no país, principalmente no estado de São Paulo, para reduzir o contágio e minimizar os impactos da pandemia da Covid-19. A metodologia utilizada é a combinação da pesquisa bibliográfica e documental, com a utilização da análise de conteúdo de documentos, tais como legislações, manuais e documentos publicados pelo governo federal, estadual e municipal em São Paulo, além daqueles produzidos por instituições econômicas e da área de turismo. Como resultado, pode-se identificar um impacto econômico representativo com a queda no fluxo de turistas, redução na movimentação de aeroportos e de rodoviárias, assim como cancelamento e adiamento de viagens, feiras e eventos. Dentre as políticas públicas desenvolvidas estão principalmente aquelas com orientações de como lidar com a pandemia, a implantação de quarentena, o isolamento social, os programas de subsídio à população e de crédito às pequenas e médias empresas, sendo o desafio pensar em políticas coordenadas e integradas com as diferentes esferas de governo, pensadas em curto, longo e médio prazo.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/32213 A identidade do território e das fronteiras como turismo cultural 2020-06-25T16:52:15-03:00 Miguel Esteban Valenzuela Robles esteban.valenzuela@uabc.edu.mx <p>Este ensaio descreve uma perspectiva sobre as possibilidades de desenvolver uma estratégia de turismo cultural para a cidade de Mexicali, no estado fronteiriço de Baja California, México; um território adjacente ao sul da Califórnia. Esse aplicativo deriva da situação de fronteira que essa cidade tem com os Estados Unidos e que moldou suas relações sociais e econômicas ao longo de sua história. O objetivo é delinear a ideia de que um desenvolvimento adequado da identidade local pode ser o gatilho para configurar a estratégia em questão; uma vez que esta cidade é um terminal de fluxos migrantes que, principalmente do interior do México, adotaram a cidade como sede. As atuais mudanças econômicas abrem a possibilidade do turismo cultural ser uma opção de desenvolvimento para esta cidade.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/32167 Turismo em tempos de covid-19 2020-06-22T17:40:45-03:00 <p>O presente artigo, de teor ensaística, tem como objetivo discutir a pandemia Covid-19 e seus possíveis desdobramentos em relação ao turismo. Parto de Boaventura de Souza Santos, para quem nos defrontamos com perguntas fortes, para as quais serão dadas respostas fracas, quando em tempos de transição. Para minorar a fraqueza das possíveis respostas, me apoio no próprio professor Boaventura, assim como no geógrafo David Harvey e no historiador Eric Hobsbawn. Para análise considero como indicadores &lt;capitalismo&gt;, &lt;colonialismo&gt; e &lt;patriarcalismo&gt;, para expor os imbricamentos do turismo com/nos mesmos.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/31173 Vocação no turismo de saúde: Caso Los Algodones, Baja California, México 2020-05-25T20:06:49-03:00 SONIA GUADALUPE ZERMEÑO FLORES soniagpez@gmail.com Tomás Jesús Cuervas Contreras tccunam@gmail.com <p>Os destinos turísticos têm um conjunto de atrações que atuam como gatilhos para o fluxo de visitantes de uma região, que determinam sua vocação, juntamente com a cooperação de diferentes agentes ou atores, públicos e privados. Portanto, a presente investigação constitui um estudo de abordagem descritivo qualitativo, cujo objetivo é avaliar se a cidade de Los Algodones (LAL), Baja California, México, possui as condições de uma vocação turística que lhe permite desenvolver-se como destino estratégico no turismo de saúde sob a perspectiva de elementos essenciais como demanda, oferta, atração turística, infraestrutura e superestrutura. Para tanto, foram realizadas tabelas de consulta com os atores do turismo, cujas intervenções foram transcritas e analisadas no software de análise qualitativa Atlas.ti, identificando a vocação turística na área da saúde do território sob a ação conjunta de atores e partes interessadas da localidade que atua no desenvolvimento competitivo dessa atividade econômica.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/31174 Perspectiva sobre políticas públicas dos atores em um destino turístico: Caso de Ciudad Juárez, Chihuahua 2020-05-22T16:54:44-03:00 Silvia Gabriela Verdugo-González al134517@alumnos.uacj.mx Isabel Zizaldra Hernández izizaldr@uacj.mx Zyanya Maria Villa-Zamorano zyanya.villa.zamorano@gmail.com <p>O manuscrito explora interações entre os atores do turismo e as políticas públicas (PP) com o patrimônio cultural e o desarrollo em Ciudad Juárez, Chihuahua (CJS). No México, como país adotou uma postura congruente no seu PP. Mientras, no CJS, existe ausencia em acessos pelo beneficio do destino. Realize uma aproximação do fenômeno usando a teoria do ator vermelho. Assim, a presente investigação tem um enfoque qualitativo. Veja a perspectiva dos atores sociais envolvidos no destino do turismo usando uma acomodação na realidade usando a experiência vivida. Se você localizar os atores e atores envolvidos na atividade em grupos focados em fevereiro de 2019. Atreves grupos focados, interpreta o fenômeno social, aplica uma guia com cinco instruções, os depoimentos são processados com o software Atlas.Ti. Os mais diversos possíveis benefícios para o CJS serão evidenciados na medida em que existem políticas públicas no turismo que afetam o patrimônio cultural.</p> <p><strong>Palavras Chave</strong>: Turismo; Políticas Públicas; Teoria do ator-vermelho; Patrimônio Cultural; Norte do México.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/32124 O virus da desídia 2020-06-18T18:18:57-03:00 <p>Este texto apresenta uma síntese das perceções sobre as transformações do turismo neste período de pandêmia do coronavirus.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/31957 O Futuro do Turismo 2020-06-08T15:33:03-03:00 Mozart Fazito Rezende Filho mozart.fazito@gmail.com <p>Este artigo é o produto de um convite feito a mim pela editora da Revista Cenário, Profa. Kerlei Sonaglio, para refletir sobre o futuro do turismo no contexto da pandemia de COVID-19. Por ser uma reflexão, este texto exige o meu posicionamento pessoal, mas faço-o investido da minha condição de professor e pesquisador social, especialista em planejamento do turismo e geografia do desenvolvimento. Muitos autores escreveram, falaram, escreverão e falarão, ainda nas próximas semanas, sobre quando o fluxo turístico irá voltar ao normal, as taxas de ocupação dos hotéis regressarão ao que eram antes da pandemia, sobre arrecadação municipal e a participação do turismo no PIB. Não me interessa falar disso nesse momento. Isso interessa à indústria que apoia o turismo, empresários do ramo de acomodação, alimentação e transportes. Não interessa ao mundo que quero imaginar aqui. Quero refletir sobre o tempo e sobre a ideia de ‘futuro’, e de construção do que seria uma sociedade melhor do que a que temos hoje. Tento me comunicar de forma mais clara, evitando os termos que afastam os leitores de fora da academia, e apresento leituras facilitadas, entrevistas e videoaulas para servirem de referência. Essas referências são apresentadas em notas de rodapé, para fazer fluir a leitura.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território https://periodicos.unb.br/index.php/revistacenario/article/view/32211 Algunas reflexiones sobre la covid-19 y turismo en Cuba. 2020-06-25T15:37:32-03:00 Eros Salinas Chávez salinaschavezeros@gmail.com <p>Cuba é um interessante destino turístico, difícil de analisar pela grande quantidade e variedade de recursos de interesse, assim como por sua privilegiada localização no contexto geográfico do Caribe Insular e Centro América. É também interessante, e muito procurado, pela significativa importância geopolítica ao longo dos últimos 60 anos dentro da América Latina e por suas históricas e contraditórias relaciones com o poderoso vizinho do Norte, os Estados Unidos de Norte América (EE. UU.). O turismo, como fonte de divisas, ocupou o segundo lugar na economia cubana em 2018, com crescimento médio anual de 11% entre 1990 – 2007, e de 6%, mais ajustado com a realidade mundial, até 2016. A partir de 23 de março de 2020 o turismo em Cuba praticamente deixou de existir devido ao fechamento de aeroportos e portos devido ao crescente&nbsp;&nbsp; número de pessoas contagiadas pelo novo coronavírus (SARS COV.2) como resultado do contacto entre cubanos e turistas e emigrados cubanos, muitas das vezes assintomáticos. Desde o começo da COVID-19 em Cuba, o tratamento aos doentes contagiados não teve diferenças entre turistas estrangeiros e residentes nacionais, oferecido totalmente gratuito para ambos, incluindo o teste diagnóstico, medicamentos e interenação hospitalar. Resulta difícil hoje realizar um prognóstico de quanto vai durar o processo de recuperação, no meio de uma forte recessão econômica mundial e as dificuldades adicionais que enfrentará Cuba para conseguir esta recuperação devido ao bloqueio econômico, financeiro e comercial dos EEUU desde 1961. Cuba deverá promover a seguridade e a existência de um sistema de saúde integral e inclusivo, que pode se converter em uma ação positiva para a recuperação do turismo internacional, já que a preocupação do turista com sua segurança no período de pós pandemia vai ser um elemento importante para decidir os destinos a visitar.&nbsp; Esta pandemia demonstra, mais do que qualquer ideologia o discurso, a necessidade e importância iniludível dos bens públicos: saúde, pesquisa, educação… sem esquecer a solidariedade entre as pessoas.</p> 2020-06-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenário: Revista Interdisciplinar em Turismo e Território