Os condicionantes da aceitação e da rejeição à propaganda negativa na eleição presidencial de 2014

Main Article Content

Felipe Borba
Luciane Fernandes Veiga
Flávia Bozza Martins

Resumo

O artigo tem por objetivo avaliar a recepção da propaganda negativa na disputa presidencial de 2014, tendo como marco teórico a discussão derivada da literatura internacional, segundo a qual a recepção da propaganda negativa varia de acordo com o tema em debate, a utilização ou não de evidências, o tipo de orador e se feita de maneira comparativa ou direta. O artigo utiliza a técnica de recepção da propaganda política por meio da realização de quatro grupos focais com eleitores do Rio de Janeiro, que foram estimulados a avaliar comerciais de ataques exibidos no Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral. Os resultados indicam que comerciais com conteúdo político, amparados em evidências que sustentam o conteúdo das acusações e de maneira comparativa é o modelo mais aceito de ataques entre os eleitores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Borba, F., Veiga, L. F., & Martins, F. B. (2018). Os condicionantes da aceitação e da rejeição à propaganda negativa na eleição presidencial de 2014. Revista Brasileira De Ciência Política, (25). Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/rbcp/article/view/16399
Seção
Artigos