https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/issue/feed Paranoá 2022-02-16T13:26:53-03:00 Carolina Pescatori Candido da Silva paranoa@unb.br Open Journal Systems <p style="text-align: justify;">A Paranoá é um periódico científico mantido pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília que publica trabalhos de pesquisa originais dentro de um escopo multidisciplinar das diferentes áreas acadêmicas da Arquitetura e Urbanismo, incluindo: Projeto e Planejamento; Teoria, História e Crítica; Tecnologia, Ambiente e Sustentabilidade. A Paranoá publica artigos em fluxo contínuo, nos idiomas português, espanhol e inglês, e não cobra taxas sobre submissão, processamento e disponibilização dos artigos.</p> https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/41996 Torpor na aurora 2022-02-16T13:26:53-03:00 Henri-Pierre Jeudy elanerib@hotmail.com Elane Ribeiro Peixoto elanerib@hotmail.com Alice Maria de Araújo Ferreira malice4869@gmail.com Albertina Vicentini albertinavicentini61@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Henri-Pierre Jeudy é sociólogo, desenvolveu sua carreira como pesquisador do Centre national de la recherche scientifique e da Maison de Sciences de l’Homme em Paris. Seus trabalhos sobre memória social e suas reflexões sobre o patrimônio cultural repercutiram entre os pesquisadores brasileiros, ensejando diálogos profícuos. Ao lado de seus trabalhos acadêmicos, Jeudy tem um percurso pela literatura, onde experimenta fusões entre sua formação teórica e suas experiências pessoais, resultando em textos-relatos como os publicados em Percorrer a cidade (2010)</span> <span style="font-weight: 400;">[</span><em><span style="font-weight: 400;">Parcourir la Ville</span></em><span style="font-weight: 400;">, 2002] e este, Torpor na aurora</span><em><span style="font-weight: 400;"> [Torpeur à l’ aurore</span></em><span style="font-weight: 400;">, 2020] que ora traduzimos. </span></p> <p> </p> <p><span style="font-weight: 400;">Neste pequeno texto, a morte é um centro de gravidade, em cuja órbita flutuam imagens memoriais, sensações corporais... temas sobre os quais nosso autor se debruçou. Nossa tradução continua uma parceria estabelecida há algum tempo, uma parceria intelectual selada pelos laços da amizade. Buscamos com a tradução de </span><em><span style="font-weight: 400;">Torpeur à l’autore</span></em><span style="font-weight: 400;"> [Torpor na aurora] nos posicionarmos eticamente diante de seu autor. Não iremos aqui discutir as importantes questões sobre a tradução e seus embates teóricos. Todavia, esclarecemos que nos pautamos pelo entendimento de que as traduções são diálogos entre culturas, um movimento que implica o sair de si em direção ao outro para, depois, retornar a si modificado (BERMAN, A. 2002). Elas também se situam entre o ofício e a arte, porque não traduzimos só discursos, mas também uma forma. Com esta disposição nos dirigimos ao encontro de Henri-Pierre Jeudy.</span></p> 2022-02-16T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Paranoá https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/41718 Patrimônio e plano diretor: as perspectivas para o patrimônio histórico em Anápolis/GO 2022-02-08T09:57:34-03:00 Mário Calaça pcjmario@icloud.com Adriana Mara Vaz de Oliveira amvoliveira@uol.com.br <p>Discute-se a política patrimonial em Anápolis-GO, cidade média localizada entre Goiânia e Brasília. Historicamente, há pouco reconhecimento do valor dos seus edifícios históricos e, após 114 anos de existência, a cidade possui apenas doze edifícios tombados e uma trajetória de destruição do seu acervo arquitetônico. Investiga-se o que o poder municipal, por meio do Plano Diretor, propõe ao patrimônio histórico da cidade. Para avaliação, elege-se o bairro Vila Industrial que possui um conjunto de edificações históricas ligadas à ferrovia e indústria. Recorre-se à pesquisa documental, com levantamento histórico e bibliográfico e análise do Plano Diretor de 2006 (revisto em 2016) de Anápolis. Assim, observa-se a fragilidade na preservação do acervo patrimonial da cidade, em que as medidas propostas pelo atual Plano Diretor não contemplam de forma satisfatória os edifícios históricos.</p> 2022-02-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Paranoá https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/41410 Marcha para Oeste: Colônias Agrícolas Nacionais 1941-1948 2021-12-29T11:39:46-03:00 Lucas Felício Costa lucascosta.arq@ufg.br <p>Este texto é uma transcrição da última apresentação realizada pelo querido professor e doutorando do PPG-FAU-UnB Lucas Felício Costa. Nesta apresentação, feita por ocasião do Minicurso da rede Cronologia do Pensamento Urbanístico, no dia 24 de setembro de 2021, Lucas apresentou aspectos de sua importante pesquisa sobre cidades novas de Colônia Agrícola. Lucas era graduado em Arquitetura e Urbanismo pela UEG (2013), mestre em Projeto e Cidade pela Faculdade de Arte Visuais - UFG (2016), doutorando em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Brasília, tendo ingressado em 2019 sob orientação do professor Ricardo Trevisan. Professor do curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade de Artes Visuais da UFG, era membro-articulador do projeto de extensão “Laboratório de Projetos - Projeto participativo de ampliação/melhoria habitacional no Bairro Tempo Novo na Cidade de Goiás”. Atuou no “ZÉU - Zona de Experimentações Utópicas, Escritório Público de projetos de Arquitetura, Urbanismo e Design da UFG” (2014-2016). Era pesquisador dos grupos “Entrópicos” (UFG) e “Topos – Paisagem, Projeto, Planejamento” (UnB). Lucas faleceu dia 11 de outubro de 2021, deixando esposa Fernanda e seu pequeno filho Pedro. Que a energia, o entusiasmo, a dedicação de Lucas com as atividades de ensino, pesquisa e extensão ressoem em produções futuras, por aqueles, que de algum modo, irão continuar as tramas e tessituras de suas realizações. Ao nosso querido Lucas, boas vibrações. Teremos seu sorriso e sua vivacidade para sempre em nossas memórias</p> 2021-12-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Paranoá https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/41176 Esboços de um arquivo I: Corpo ressequido 2021-12-10T12:34:16-03:00 Mário Luís Carneiro Pinto de Magalhaes mario.mag1978@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Este primeiro ensaio de três, a guisa de provocação, busca o diálogo da obra de Eça de Queirós, A Relíquia, com uma tradição de reflexão sobre a memória e os corpos. Seja pelo debate sobre o arquivo em Derrida, seja por via patrimonial em Choay, ambos tributários de Freud e a literatura arqueológica desde XIX. Ao mesmo tempo, explora o arquivo de uma escrita de si.</span></p> 2022-05-09T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Paranoá https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/40649 Métodos de pesquisa para a profissão arquitetônica: uma resenha crítica 2021-11-05T14:04:55-03:00 Edgardo Moreira Neto edgardo.arq@gmail.com <p>O presente trabalho apresenta uma resenha crítica do livro Research methods for the architectural profession, Métodos de pesquisa para a Profissão Arquitetônica, lançado em 2021. O livro, ainda sem tradução para o português, aborda aspectos importantes sobre as pesquisas voltadas à arquitetura, tanto no âmbito acadêmico quanto no sentido da prática profissional. O campo da pesquisa em arquitetura ainda se ressente de volumes que apontam caminhos metodológicos claros, de modo que o livro pode ser considerado uma importante peça para suprir essa demanda. A resenha se divide em cinco partes: apresentação, composição da obra, conteúdo, ponderação crítica e sobre a autora. Desenvolvemos essa resenha como duplo convite, para que se conheça sobre o livro e para que outros pesquisadores se encorajem a contribuir sobre pensamentos metodológicos da pesquisa em arquitetura, sobretudo àquelas voltadas a chamada: metodologia da pesquisa arquitetônica baseada na prática, da qual a autora é pioneira.</p> 2022-02-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Paranoá https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/38998 Ferrovia e cidade transformações urbanas em cidade de médio porte no sul do Brasil 2021-11-10T16:22:52-03:00 Pricila Spagnollo pricispa@hotmail.com Caliane Christie Oliveira de Almeida caliane.silva@imed.edu.br <p class="resumo">A implantação do sistema ferroviário no Brasil, a partir do século XIX, teve grande influência no crescimento econômico e populacional, bem como no desenvolvimento e na modernização de muitas cidades. Neste contexto, o objetivo deste manuscrito é analisar as transformações urbanas a partir da presença da ferrovia, visando compreender a influência da sua implantação/realocação na morfologia e na consolidação da cidade de Passo Fundo/RS-Brasil. Para tanto, foi realizada pesquisa documental e bibliográfica, partindo do resgate histórico acerca do tema, bem como da busca por registros fotográficos para a comparação cronológica. Logo, observa-se que houve, em recortes temporais distintos, relação de troca e dependência entre ferrovia e cidade. As cidades contempladas pelo trem se beneficiaram em algum momento com a inovação, agilidade e poder atrativo do sistema, que foi capaz de fortalecer núcleos existentes, instigar a criação de novos aglomerados e, em alguns casos, resultar na decadência de centros urbanos distantes de sua abrangência.</p> 2022-02-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Paranoá https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/38166 O Inventário como ferramenta de reconhecimento e preservação do patrimônio cultural das comunidades rurais de Santo Antônoi do Palma/RS, Brasil 2021-07-16T15:25:50-03:00 Adilson Giglioli adilsongiglioli@gmail.com Dirceu Piccinato Junior dirceu.piccinato@imed.edu.br Henrique Aniceto Kujawa henriquekujawa@gmail.com <p>O patrimônio cultural é objeto de interesse de diversos mecanismos e ferramentas que visam o seu registro, reconhecimento, preservação, bem como sua promoção, entre esses mecanismos, o inventário é um dos recursos comumente utilizados para se atingir esses fins. Assim, este artigo tem por objetivo inventariar e debater acerca da atual condição do patrimônio material e imaterial, sobretudo, do saber-fazer, presente nas comunidades rurais de descendentes de imigrantes italianos e poloneses no município de Santo Antônio do Palma, Rio Grande do Sul, Brasil. A metodologia adotada para a pesquisa constituiu-se a partir de uma abordagem conceitual bibliográfica e a estruturação de uma ficha de inventário do patrimônio material e imaterial, a qual foi preenchida com os dados coletados durante as pesquisas de campo. A partir da coleta dos dados e da realização das fichas foi possível obter um panorama do atual cenário cultural do município supracitado, onde avaliou-se como relevante os esforços que vem sendo feito pelos atores locais nos últimos anos, a fim de manter vivas as memórias, as histórias, assim como o saber-fazer herdados de seus antepassados. São empenhos que contribuem para a manutenção da identidade local, bem como podem contribuir para o desenvolvimento cultural dessas comunidades.</p> 2022-01-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Paranoá https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/37796 Blocos de concreto com resíduos de PET: alternativa para sustentabilidade urbana 2021-06-10T11:42:37-03:00 Pâmella Mirélla de Souza Schilive pamella_schilive@hotmail.com Ivan Julio Apolonio Callejas ivancallejas1973@gmail.com Luciane Cleonice Durante luciane.durante@hotmail.com Emeli Lalesca Aparecida da Guarda emeliguarda@gmail.com <p>Pesquisas que foquem em incorporar materiais recicláveis na produção de elementos e componentes construtivos são importantes com vistas a reduzir o consumo de recursos naturais não renováveis. Objetiva-se demonstrar a viabilidade técnica de produção de concretos secos com incorporação de resíduos de polietileno tereftalato (PET) para a fabricação de blocos de concreto simples do tipo vazado. Seguiu-se as seguintes etapas metodológicas: estudo de dosagem, confeccionado corpos de prova com concreto seco substituindo a areia por resíduo de PET nas percentagens de 0, 5, 10 e 15%; avaliação das propriedades físicas e mecânicas dos corpos de prova; e, produção dos blocos de referência e com substituição de areia por flakes de PET; avaliação das propriedades físicas e mecânicas dos blocos. A introdução progressiva de PET na matriz cimentícia do concreto elevou a absorção de água e de índice de vazios nos traços, reduzindo a massa específica e resistência à compressão. Os blocos atenderam aos requisitos dimensionais e físicos. Para atendimento da resistência, a porcentagem de incorporação de PET no traço deve ser reduzida para 7%. A reciclagem de PET é tecnicamente viável para produção de blocos de concreto, evitando sua destinação a áreas ilegais e aterros, contribuindo com a sustentabilidade urbana.</p> 2021-07-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Paranoá: cadernos de arquitetura e urbanismo https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/37693 Da “forma” à “memória”. Das casas sem sítio para a cidade como determinante nos projetos de Peter Eisenman 2021-06-11T10:12:23-03:00 Carolina Carvalho carolina.carvalho@fau.ufrj.br <p><span style="font-weight: 400;">Ao longo dos anos, a abordagem de Peter Eisenman frente a suas críticas à arquitetura vigente foi se modificando. No recorte englobado por este artigo, no entanto, sua busca nunca deixou de ser a autonomia da arquitetura, partindo, inicialmente, do suporte na arte conceitual e na linguística, e, posteriormente, migrando para as interpretações pós-estruturalistas. A crítica que antes se configurava em uma arquitetura desprovida de referenciais externos depois passa a ter no contexto urbano o grande agente da concepção de seus projetos. Assim, o presente artigo visa apresentar a arquitetura crítica de Eisenman e discutir como esta deixa de ser tão excludente de seus elementos contextuais para passar a se relacionar à memória dos locais em que está inserida. Para tanto, buscou-se a leitura de autores que influenciaram o trabalho de Eisenman, bem como de textos do próprio arquiteto e de seus críticos, na intenção de melhor compreender o ambiente e as reflexões que propiciaram tais produções arquitetônicas, além da transição de uma para a outra. Neste estudo, foram identificadas as principais diferenças entre ambas atuações, mas também concluiu-se a existência de uma conversão no que se refere ao afastamento do observador/usuário das duas diferentes séries de projeto abordadas.</span></p> 2021-12-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Paranoá https://periodicos.unb.br/index.php/paranoa/article/view/37584 O entorno do Conjunto Urbanístico de Brasília: Uma análise a partir de seus mirantes naturais 2021-07-28T14:40:52-03:00 Mariana Freitas Priester maripriester@gmail.com Ana Elisabete de Almeida Medeiros ana@unb.br <p>O artigo aborda a temática do entorno, instrumento de proteção de bens culturais. Tem como objeto de estudo a poligonal de entorno do Conjunto Urbanístico de Brasília (CUB) definida pela Portaria n°68 publicada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2012. O objetivo geral é verificar os eixos visuais mencionados na Portaria e em que medida eles estão funcionando para a preservação do CUB. Para isso foram feitos percursos nos limites da poligonal de tombamento do CUB, e na poligonal de entorno para o reconhecimento do território, dos eixos visuais e da paisagem urbana. A pesquisa busca contribuir para a discussão do assunto acrescentando novas abordagens sobre o tema.</p> 2021-12-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Paranoá