Cacos de resistências: artefatos em vidros lascados por pessoas escravizadas na Charqueada São João, Pelotas, RS

Autores

Palavras-chave:

escravização, resistência, narrativas, artefatos em vidros

Resumo

Os artefatos arqueológicos nos permitem apresentar perspectivas alternativas aos discursos colonialistas sobre a escravização. Por sua vez, as representações sobre o passado participam de agendas políticas contemporâneas. Nossa pesquisa pretende abordar as práticas de resistências que desenvolviam as pessoas escravizadas frente à situação de coerção. Nesse sentido, analisamos os vidros escavados na Charqueada São João (Pelotas, RS) como uma contribuição a um entendimento material da vida cotidiana de escravizados e escravizadas no século XIX. O foco está na produção de artefatos utilitários no âmbito da resistência e na manutenção do sagrado. Discutimos também os motivos contextuais e simbólicos que levariam à manufatura desses artefatos em vidro por pessoas escravizadas na Charqueada São João. Tais resultados foram apresentados numa exposição museológica temporária na Charqueada, aonde retornaram ao seu status como materialidades de resistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lino J. Zabala Ruiz, Universidade Federal de Pelotas (UFPeL), Brasil

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Antropologia (Ppgant) da UFPeL.

Elis Esther Meza, Universidade Federal de Pelotas (UFPeL), Brasil

Doutora em Arqueologia e Antropologia.

Downloads

Publicado

2022-04-19

Como Citar

ZABALA RUIZ, L. J. . .; MEZA, E. E. Cacos de resistências: artefatos em vidros lascados por pessoas escravizadas na Charqueada São João, Pelotas, RS. Revista de Estudos em Relações Interétnicas | Interethnica, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 164–192, 2022. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/interethnica/article/view/25575. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê Resistência Afro na América Latina