Candombe das resistências: história, conventillos e lindo quilombo

Autores

Palavras-chave:

candombe, história, resistência, memória

Resumo

O artigo procura apresentar uma breve trajetória da origem, dinâmica e resistência do candombe, ritmo e performance afro-uruguaia, utilizada como discurso de afirmação política da sua identidade e cultura. O trabalho é também resultado parcial de uma profunda investigação sobre o ritmo em Montevidéu e Buenos Aires, avaliando em que medida, e a partir de quais elementos discursivos, o candombe configura um dispositivo de narrativa decolonial capaz de ressignificar sua identidade e memória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nestor Gomes Mora Cortés, Universidade Federal Fluminense (UFF), Brasil

Doutor em Antropologia e professor da UFF. Coordenador da Rede de Estudos da Diáspora Africana na América do Sul (Reedaas) e membro do Laboratório de Etnografia e Estudos em Comunicação, Cultura e Cognição (LEECCC).

Downloads

Publicado

2022-04-19

Como Citar

CORTÉS, N. G. M. Candombe das resistências: história, conventillos e lindo quilombo: . Revista de Estudos em Relações Interétnicas | Interethnica, [S. l.], v. 23, n. 1, p. 193–217, 2022. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/interethnica/article/view/25574. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Dossiê Resistência Afro na América Latina