Povos e comunidades tradicionais em Unidades de Conservação

Conflitos socioambientais e luta por identidade e território

Autores

  • Helmar Spamer Universidade de Brasília (UnB)
  • Ana Tereza Reis da Silva Universidade de Brasília (UnB)

DOI:

https://doi.org/10.26512/interethnica.v22i1.17157

Palavras-chave:

Pomeranos. Povos Tradiconais. Unidades de Conservação. Conflitos Socioambientais.

Resumo

Este artigo discute os conflitos territoriais e socioambientais decorrentes da criação de Unidades de Conservação em terras tradicionalmente ocupadas por povos e comunidades tradicionais. A partir do conflito em torno da criação do Parque Nacional dos Pontões Capixabas, que se sobrepõe ao território de uma comunidade pomerana no município de Pancas, estado do Espírito Santo, o estudo analisa o processo de mobilização e organização da população em defesa do seu território e, de forma associada, o processo de avivamento e afirmação identitária por meio da apropriação da noção de Povos e Comunidades Tradicionais. Em sentido amplo, a análise também oferece elementos para a compreensão das paradoxais relações entre direitos, saberes e modos de vida dos povos e comunidades tradicionais e as políticas de conservação ambiental em curso no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-07-03

Como Citar

SPAMER, H.; SILVA, A. T. R. da. Povos e comunidades tradicionais em Unidades de Conservação: Conflitos socioambientais e luta por identidade e território. Revista de Estudos em Relações Interétnicas | Interethnica, [S. l.], v. 22, n. 1, p. 59–85, 2019. DOI: 10.26512/interethnica.v22i1.17157. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/interethnica/article/view/17157. Acesso em: 30 maio. 2023.

Edição

Seção

Dossiê “Saberes Transformativos em Prática na Academia”