As “epifanias” de Paulo Henriques Britto e a poesia de “arrancar os olhos”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/2316-40186111

Palavras-chave:

uso, objeto, crise, Paulo Henriques Britto

Resumo

Neste artigo, recorreremos a textos de filósofos e críticos literários para formular uma leitura crítica que consiga abarcar de modo suficiente alguns questionamentos estéticos que são implicitamente abordados na poesia de Paulo Henriques Britto. Tais tópicos são construídos por meio de uma subversão das noções de sujeito e objeto, o que nos leva a imaginar que é uma nova relação de uso que está evidenciada em sua poesia. Esse conceito convoca outros procedimentos que se ligam à especificidade da poesia como forma de ver o mundo além dos sentidos. A percepção transmutada e relativizada dos objetos responde a uma exigência da poética de Paulo Henriques Britto: a de expor a aparente vida comum como um palco em que a crise se apresenta como um substrato da reflexão estética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, Hannah (1979). Entre o passado e o futuro. Tradução de Mauro W. Barbosa. São Paulo: Perspectiva.

ARENDT, Hannah (2007). A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

AGAMBEN, Giorgio (2012). O homem sem conteúdo. Tradução de Cláudio Oliveira. São Paulo: Autêntica.

AGAMBEN, Giorgio (2017). O uso dos corpos. Tradução de Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo.

BRITTO, Paulo Henriques (1997). Trovar claro. São Paulo: Companhia das Letras.

BRITTO, Paulo Henriques (2003). Macau. São Paulo: Companhia das Letras.

BRITTO, Paulo Henriques (2007). Tarde. São Paulo: Companhia das Letras.

BRITTO, Paulo Henriques (2012). Formas do nada. São Paulo: Companhia das Letras.

BRITTO, Paulo Henriques (2017). Nenhum mistério. São Paulo: Companhia das Letras.

PEDROSA, Célia (2015). Poesia e crítica de poesia hoje: heterogeneidade, crise, expansão. Estudos Avançados, São Paulo, v. 29, n. 84, p. 321-333.

SISCAR, Marcos (2010). Poesia e crise: ensaios sobre a “crise da poesia” como topos da modernidade. Campinas: Editora da Unicamp.

Downloads

Publicado

2020-11-22

Como Citar

Fernando Mendonça Serafim. (2020). As “epifanias” de Paulo Henriques Britto e a poesia de “arrancar os olhos”. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, (61), 1–8. https://doi.org/10.1590/2316-40186111