A permanência do Regionalismo na literatura brasileira contemporânea

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/2316-4018593

Palavras-chave:

Regionalismo, região, literatura brasileira contemporânea

Resumo

Este artigo analisa a permanência de marcas do Regionalismo na prosa da literatura brasileira contemporânea. Considerado ultrapassado pela crítica literária e renegado pelos escritores, o Regionalismo entrou para a história da literatura brasileira como sinônimo de arte de baixa qualidade estética. No entanto, percebe-se que os temas regionais nunca deixaram de ser matéria para a narrativa ficcional brasileira, desde Guimarães Rosa, Erico Verissimo e Josué Guimarães, até Luiz Antonio de Assis Brasil, Antônio Torres e Milton Hatoum. Observa-se que a diferença entre o presente e o passado reside na ênfase dada pelos escritores ao contexto e ao espaço regionais, em um primeiro momento ufanistas em relação às particularidades da terra, e na contemporaneidade preocupados com a problematização dos contrastes culturais. Conclui-se que a literatura brasileira contemporânea deve muito à tradição regionalista, sem que isso implique questionamentos de qualidade estética, e que cabe à crítica investigar os temas e as formas da narrativa como chaves de interpretação para problemas históricos que perduram.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, João Cláudio (2015). Notas sobre regionalismo e literatura regional: perspectivas conceituais. Todas as Letras Z, São Paulo, v. 17, n. 2, p. 110-126, maio/ago.
ASSIS BRASIL, Luiz Antonio de (2002). O pintor de retratos. 6. ed. Porto Alegre: L&PM.
ASSIS BRASIL, Luiz Antonio de (2003). A margem imóvel do rio. Porto Alegre: L&PM.
ASSIS BRASIL, Luiz Antonio de (2006). Música perdida. Porto Alegre: L&PM.
ASSIS BRASIL, Luiz Antonio de (2012). Figura na sombra. Porto Alegre: L&PM.
BOSI, Alfredo (2011). História concisa da literatura brasileira. 42. ed. São Paulo: Cultrix.
CANDIDO, Antonio (2007). Formação da literatura brasileira: momentos decisivos, 1750-1880. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul.
CHIAPPINI, Ligia (1995). Do beco ao belo: dez teses sobre o regionalismo na literatura. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 8, n. 15, p. 153-159. Disponível em: https://bit.ly/2L6BwUf. Acesso em: 3 jun. 2010.
COUTO, Mia (2010). Personagem em busca de um autor. [Entrevista a] Ricardo Prado. Carta Capital, 8 dez. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/educacao/personagem-em-busca-de-um-autor Acesso em: 10 abr. 2017.
CURY, Maria Zilda Ferreira (2009). Topografias da ficção de Milton Hatoum. In: RAVETTI, Graciela; CURY, Maria Zilda Ferreira; ÁVILA, Myriam (Org.). Topografias da cultura: representação, espaço e memória. Belo Horizonte: Editora UFMG. p. 41-62.
FIGUEIREDO, Eurídice (2013). Literatura comparada: o regional, o nacional e o transnacional. Revista Brasileira de Literatura Comparada, n. 23, p. 31-48. Disponível em: https://bit.ly/2rMHxhO. Acesso em: 13 jan. 2014.
FISCHER, Luís Augusto (2007). Conversa urgente sobre uma velharia ”“ uns palpites sobre vigência do Regionalismo. Cultura e Pensamento, Brasília, n. 3, dez.
GALVÃO, Walnice Nogueira (2008). Mínima mímica: ensaios sobre Guimarães Rosa. São Paulo: Companhia das Letras. p. 91-118.
GAMA, Rinaldo (2013). Vidas secas e outras vidas. Revista Bravo!, Caderno Literatura, ed. 191, jul. Disponível em: http://bravonline.abril.com.br/materia/vidas-secas-e-outras-vidas Acesso em: 12 out. 2013
GUIMARÃES, Josué. (1988). 3. ed. Porto Alegre: IEL, AGE/Ulbra.
HATOUM, Milton (2005). Cinzas do Norte. São Paulo: Companhia das Letras.
LAJOLO, Marisa (1998). Regionalismo e história da literatura: quem é o vilão da história? In: FREITAS, Marcos Cezar (Org.). Historiografia brasileira em perspectiva. São Paulo: Contexto. p. 297-327.
LEÃO, Allison (2011). Milton Hatoum: regionalismo revisitado ou renegado? In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ABRALIC, 12., Curitiba. Anais [...] Curitiba: Abralic. Tema: Centro, Centros ”“ Ética, Estética. Disponível em: https://bit.ly/2Lb1zcJ. Acesso em: 25 ago. 2011
LORENZ, Günter (1991). Diálogo com Guimarães Rosa. In: COUTINHO, Eduardo. Guimarães Rosa (Coleção Fortuna Crítica). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. p. 62-97.
MARCONDES, Marleine Paula; TOLEDO, Ferreira de (2004). Espaço e preconceito nas obras de Hatoum. In: CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 8., Coimbra. Actas [...] Coimbra: Centro de Estudos Sociais. Disponível em: https://bit.ly/2r6pqUj. Acesso em: 19 jun. 2011.
MECKLENBURG, Norbert (2013). Regionalismo literário em tempos de globalização. In: ARENDT, João Claudio; NEUMANN, Gerson Roberto (Org.). Regionalismus ”“ Regionalismos: subsídios para um novo debate. Caxias do Sul: Educs. p. 173-195.
MORICONI, Italo (2008). Prefácio. In: TORRES, Antônio. Essa terra. Rio de Janeiro: BestBolso. p. 7-10.
PELINSER, André Tessaro (2015). Guimarães Rosa e seus precursores: regionalismo, deslocamentos e ressignificações. 349 f. Tese (Doutorado em Estudos Literários) ”“ Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.
PELINSER, André Tessaro (2017). Guimarães Rosa e o Regionalismo literário brasileiro: revisão crítica sobre um problema perene. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 42, n. 74, p. 2-19, maio/ago. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17058/signo.v42i74.8605. Acesso em: 21 ago. 2019.
PELLEGRINI, Tânia (2002). A ficção brasileira hoje: os caminhos da cidade. Revista de Filología Románica, n. 19, p. 355-370. Disponível em: https://bit.ly/34FyKwL. Acesso em: 7 jun. 2015.
PESAVENTO, Sandra Jatahy. A temporalidade da perda. In: PESAVENTO, Sandra Jatahy; LEENHARDT, Jacques; LEITE, Ligia Chiappini M.; AGUIAR, Flávio (2001). Erico Verissimo: o romance da história. São Paulo: Nova Alexandria. p. 89-102.
POZENATO, José Clemente (2003). Processos culturais: reflexões sobre a dinâmica cultural. Caxias do Sul: Educs.
RADUY, Ygor (2006). Apontamentos sobre Guimarães Rosa e a prática historiográfica: desenraizamento e sacralização. Terra Roxa e Outras Terras ”“ Revista de Estudos Literários, Londrina, v. 7, p. 70-80.
ROSA, João Guimarães (2001a). Ave, palavra. 5. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
ROSA, João Guimarães (2001b). Grande sertão: veredas. 19. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.
SANTINI, Juliana (2011). A “Formação da literatura brasileira” e o regionalismo. O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, v. 20, n. 1, jan./jun. p. 69-85.
TORRES, Antônio (2008). Essa terra. Rio de Janeiro: BestBolso.
VERISSIMO, Erico (1995). Solo de clarineta. 20. ed. São Paulo: Editora Globo. v. 1.

Downloads

Publicado

2020-01-24

Como Citar

Pelinser, A. T. ., & Alves, M. M. . (2020). A permanência do Regionalismo na literatura brasileira contemporânea. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, (59), 1–13. https://doi.org/10.1590/2316-4018593