Reflexões sobre políticas de livro e leitura de secretarias municipais de educação do Estado do Rio de Janeiro

Autores

  • Patrícia Corsino Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Rafaela Vilela Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Sônia Travassos Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.1590/2316-40185022

Resumo

Este artigo se propõe a analisar questões referentes à composição de acervos e à organização de bibliotecas de escolas das redes públicas municipais de ensino dos municípios do Estado do Rio de Janeiro. As análises apresentadas fazem parte dos resultados da pesquisa “Infância, linguagem e escola: a leitura literária em questão”, desenvolvida no PPGE-UFRJ, obtidos a partir das respostas ao questionário distribuído a 92 secretarias municipais de educação do Estado do Rio de Janeiro e respondido por 62 (67%). Para sustentar as análises sobre constituição de acervo, buscou-se interlocução com Britto (2011), Chartier (1996), Corsino (2010) e Paiva (2012). E para tecer considerações sobre biblioteca, o trabalho ancorou-se nos estudos de Campello (2010), Mollo e Nobrega (2010) e Perrotti (2004). Alguns resultados se destacaram: o importante lugar ocupado pelas secretarias municipais de educação na compra de acervos para as escolas públicas municipais, desde a creche; a opção pela compra de impressos e por livros de literatura infantil; e a biblioteca como espaço de livro e leitura prioritariamente nas escolas de ensino fundamental. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBERNAZ, Maria Beatriz (2008). Sete desafios da biblioteca escolar. In: BRASIL. Ministério da Cultura. Fundação Biblioteca Nacional. Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler). Brasília: MEC, p. 35-48. (Coleção Cursos da Casa de Leitura)

BAKHTIN, Mikhail (2003). Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes.

BELMIRO, Celia Abicalil. Entre modos de ver e modos de ler, o dizer. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 4, p. 105-131, 2012.

BENJAMIN, Walter (1994). Obras escolhidas I: magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense.

BRITTO, Luis Percival (2011). O papel da biblioteca na formação do leitor. Boletim Salto para o Futuro ”“ Biblioteca escolar: que espaço é esse?, Rio de Janeiro, ano 21, n. 14, p.18-25.

CAMPELLO, Bernadete (2010). A biblioteca escolar como espaço de aprendizagem. In: PAIVA, Aparecida; MACIEL, Francisca; COSSON, Rildo (Coord.). Literatura: ensino fundamental. Brasília: MEC, SEB, p. 127-142. (Coleção Explorando o Ensino)

CANDIDO, Antonio (2011). O direito à literatura. In: CANDIDO, Antonio. Vários escritos. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul.

CHARTIER, Roger (1994). Do códex à tela: as trajetórias do escrito. In: CHARTIER, Roger. A ordem dos livros. Brasília: Editora da UnB.

CORSINO, Patrícia (2010). Literatura na educação infantil: possibilidades e ampliações. In: PAIVA, Aparecida; MACIEL, Francisca; COSSON, Rildo (Coord.). Literatura: ensino fundamental. Brasília: MEC, SEB, p. 127-142. (Coleção Explorando o Ensino)

CORSINO, Patrícia; BRANCO, Jordanna; VILELA, Rafaela (2014). Reflexões sobre espaços e lugares de livro e leitura em escolas de educação infantil e ensino fundamental I. In: CORSINO, Patrícia (Org.). Travessias da literatura na escola. Rio de Janeiro: 7 Letras, p. 241-256.

CORSINO, Patrícia (Org.) (2014). Travessias da literatura na escola. Rio de Janeiro: 7 Letras.

GUIMARÃES, Daniela (2009). Educação infantil: espaços e experiências. In: CORSINO, Patrícia (Org.). Educação infantil: cotidiano e políticas. Campinas: Autores Associados, p. 93-104.

MOLLO, Glaucia; NOBREGA, Maria José (2011). Introdução. Boletim Salto para o Futuro ”“ Biblioteca escolar: que espaço é esse?, Rio de Janeiro, ano 21, n.14, p.4-11.

NOBREGA, Nanci (2002). De livros e bibliotecas como memória do mundo: dinamização de acervos. In: YUNES, Eliana. Pensar a leitura: complexidades. São Paulo: Loyola.

PAIVA, Aparecida (2012). Políticas públicas de leitura: pesquisas em rede. In: PAIVA, Aparecida (Org.). Literatura fora da caixa: o PNBE na escola ”“ Distribuição, circulação e leitura. São Paulo: Editora UNESP.

PERROTTI, Edmir (2004). Lugares da leitura: a escola como espaço de leitura. Boletim Salto para o Futuro ”“ Espaços de leitura, Rio de Janeiro, p. 8-18.

RAMOS, Clériston et al. (2011). Imagem e percepção: alternativa aplicada na classificação da literatura infantojunvenil de uma biblioteca escola. Perspectivas em Ciências da Informação, v. 16, n. 4, p.55-72.

TRAVASSOS, Sonia (2010). Biblioteca escolar: muito além de estantes arrumadas. In: BRASIL. Ministério da Cultura. Fundação Biblioteca Nacional. Biblioteca e mediação da leitura. Brasília: MEC, 2008. p. 35-48. (Coleção Cursos da Casa de Leitura)

TRAVASSOS, Sonia (2013). Lobato, infância e leitura: a obra infantil de Monteiro Lobato em diálogo com crianças na escola da atualidade. 238 f. Dissertação (Mestrado em Educação) ”“ Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

VIANNA, Márcia (2002). A organização da coleção. In: CAMPELLO, Bernadete et al. A biblioteca escolar: temas para uma prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica.

VIEIRA, Adriana; FERNANDES, Célia (2010). O acervo das bibliotecas escolares e suas possibilidades. In: PAIVA, Aparecida; MACIEL, Francisca; COSSON, Rildo (Coord.). Literatura: ensino fundamental. Brasília: MEC, SEB, p. 127-142. (Coleção Explorando o Ensino)

Downloads

Publicado

2017-01-28

Como Citar

Corsino, P., Vilela, R., & Travassos, S. (2017). Reflexões sobre políticas de livro e leitura de secretarias municipais de educação do Estado do Rio de Janeiro. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, (50), 351–377. https://doi.org/10.1590/2316-40185022

Edição

Seção

Seção Temática