Em busca de associações perdidas? Notas sobre híbridos, simetria e romantismo nas políticas de salvaguarda de bens culturais imateriais no Brasil

Autores

  • Kelly Silva Universidade de Brasília
  • Victor Freire Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.26512/museologia.v6i11.17744

Palavras-chave:

patrimônio imaterial, híbridos, fato social total, romantismo, tradição

Resumo

Este artigo discute narrativas de caracterização de bens culturais imateriais produzidas e irradiadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Inspirados pela teoria do ator-rede, argumentamos que o objeto das políticas de registro e salvaguarda de bens imateriais são híbridos constituídos por associações heterogêneas de humanos e não-humanos. A justaposição entre diferentes domínios de ação e a agência de atores ontologicamente distintos na conformação dos bens culturais imateriais registrados como patrimônio nacional é positivada nas narrativas que os descrevem. Tais fenômenos, bem como a apreensão dos bens imateriais como produto de trajetórias históricas singulares e indicadores de tradições que sustentam identidades coletivas, são interpretados como índices de certo romantismo. Somente quando renomeado como tradição, produzido a partir de correlações complexas, o legado colonial figura como actuante na configuração dos bens reconhecidos e passa a ser assim objeto de salvaguarda. No limite, estas políticas elas se voltam à salvaguarda de formas de ação e interação sobre o mundo pré-modernas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARANTES, Antônio. “Sobre Inventários e outros instrumentos de salvaguarda do patrimônio cultural intangível: ensaios de antropologia pública”. In Anuário Antropológico, 2007/2008. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2009.

CALLON, M. Some elements of a sociology of translation domestication of the scallops and the fisherman of St Brieux Bay. In Power, Action and Belief. A New Sociology of Knowledge? (ed. Law, J.) Keele: Sociological Review Monograph, p. 196-229, 1986.

CALLON, M., LASCOUMES, P. and BARTHE, Y. Agir dans un monde incertain: Essai sur la démocratie technique. Paris: Le Seuil, 2001.

COELHO DE SOUZA, Marcela. 2010. A cultura invisível. In Anuário Antropológico/2009 – 1. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, p. 149-174. 2010.

CRONON, W. Nature’s Metropolis: Chicago and the Great West. New York: Norton, 1991.

CUNHA, Manuela Carneiro da & CESARINO, Pedro de Niemeyer (Orgs.). Políticas Culturais e Povos Indígenas. 1. Ed. São Paulo: Editora Unesp, 2016.

DPI/IPHAN. Dossiê do Modo de Fazer Queijo Artesanal de Minas. 1 ed. Brasília: Iphan Sede, 2014. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/Dossie_Queijo_de_Minas_web.pdf

DUMONT, Louis. German Ideology. From France to Germany and back. Chicago, The University of Chicago Press, 1994.

FONSECA, Maria Cecília Londres. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/Minc-Iphan, 2005.

GRAEBER, David. Dívida. Os Primeiros 500 anos. São Paulo, Três Estrelas, 2016.

GONÇALVES, José R. S. Ressonância, materialidade e subjetividade: as culturas como patrimônios. Horiz. antropol. [online]. Porto Alegre: Editora UFRGS, vol.11, n.23. p. 15-36. 2005.

IPHAN. Inventário nacional de referências culturais - INRC: manual de aplicação. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2000. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Manual_do_INRC.pdf

IPHAN, 2006. RESOLUÇÃO n° 001, de 03 de agosto de 2006. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Resolucao_001_de_3_de_agosto_de_2006.pdf

IPHAN. Dossiê da Feira de Caruaru. IPHAN, 2006a. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/bcrE/pages/folBemCulturalRegistradoE.jsf

IPHAN. Dossiê da Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis. IPHAN, 2009. Disponível em: http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Dossie_festa_%20do_divino_pirenopolis.pdf

KEANE, Webb. Christian Moderns. Freedom & Fetish in the mission encounter. 1 ed. Berkeley: University of California Press, 2007.

LATOUR, Bruno. Jamais Fomos Modernos: Ensaio de Antropologia Simétrica. Tradução: Carlos Irineu da Costa. 1ª edição, Rio de Janeiro: Editora 34 – Associada à Editora Nova Fronteira, 1994.

LATOUR, Bruno. Reassembling the Social: An Introduction to Actor-Network-Theory. First Edition, Oxford: Oxford University Press, 2005.

LAW, J. On Power and Its Tactics: A View From The Sociology Of Science. In The Sociological Review. 34/1: p. 1-38. 1986.

LAW, J. On the Method of Long-Distance Control: Vessels, Navigation and the Portuguese Route to India. In Power, Action and Belief. A New Sociology of Knowledge? (ed. Law, J.) Keele: Sociological Review Monograph, p. 234-263, 1986.

MAMDANI, M. Ciudadano y súbdito. África contemporánea y el legado del colonialismo tardío. Madri: Siglo XXI Editores, 1998.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva. In: Mauss, Marcel. Sociologia e Antropologia. (trad. Paulo Neves) São Paulo: COSACNAIFY, 2009 [1902-3] pp. 45-179.

MORAIS, Sara S. Culturas inventariadas: reflexões antropológicas acerca dos processos de patrimonialização de bens imateriais no Brasil. In: XII CONLAB, 2015, Lisboa. Livro de Atas do 1º Congresso da Associação Internacional de Ciências Sociais e Humanas em Língua Portuguesa. Lisboa: Leading Congressos, 2015. v. 1. p. 9446-9460, 2015.

SILVA, Kelly. Global flows of government practices: development technologies and their effects. Vibrant, Virtual Braz. Anthr. Brasília, v. 9, n. 2, p. 70-102, Dec.2012.

SILVA, Renata. Irmandades Negras, reconhecimento e cidadania. Curitiba: Ed. Appris, 2016.

SILVA e FERREIRA. A objetificação da cultura para a construção nacional de Timor Leste. Perspectivas a partir de coleções de tais. Veritas – Revista Científica da Universidade Nacional Timor Lorosa’e, vol. 4, nº 3, p. 43-59. 2016.

SILVA, Kelly; SIMIAO, Daniel. Coping with “traditions”: the analysis of East-Timorese nation building from the perspective of a certain anthropology made in Brazil. Vibrant, Virtual Braz. Anthr., Brasília, v. 9, n. 1, p. 360-381, June 2012 .

STRATHERN, Marilyn. The gender of the gift. Problems with women and problems with society in Melanesia. Berkeley: University of California Press, 1988.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. O mármore e a murta: Sobre a inconstância da alma selvagem. In: Viveiros de Castro, E. A inconstância da alma selvagem e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosaic & Naif, p. 181-264, 2002.

Publicado

2018-03-09

Como Citar

Silva, K., & Freire, V. (2018). Em busca de associações perdidas? Notas sobre híbridos, simetria e romantismo nas políticas de salvaguarda de bens culturais imateriais no Brasil. Ecolinguística: Revista Brasileira De Ecologia E Linguagem (ECO-REBEL), 6(11), 108 - 126. https://doi.org/10.26512/museologia.v6i11.17744

Edição

Seção

Dossiê - Legados Coloniais