Empréstimos em Morfologia Distribuída: termos do inglês em coreano e português

Autores

  • Ana Paula Scher Universidade de São Paulo
  • Raquel Gesqui Malagoli Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

empréstimo, morfologia distribuída, raízes

Resumo

Este artigo pretende analisar o fenômeno dos empréstimos segundo o modelo gerativista da Morfologia Distribuída (MD), visto que algumas características da gramática dos falantes podem ser esclarecidas pelo estudo desses dados. O aparato da MD é capaz de explicar esse fenômeno e suas propriedades de uma maneira bem elegante e condizente com as produções observadas. Nesse contexto, analisamos, principalmente, ocorrências de empréstimos do inglês nas línguas coreana e portuguesa, com o intuito de evidenciar a importância de um estudo dessa natureza fora de um viés lexicalista e/ou diacrônico, dado que a existência de empréstimos é um fenômeno extremamente produtivo e comum a todas as línguas. Dessa forma, nossa hipótese é a de que nossa faculdade da linguagem possui propriedades que explicam o funcionamento dessas formas emprestadas, não importando a tipologia das línguas em foco ou a relação que possam estabelecer entre si.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALVES, Leda Maria. A integração dos neologismos por empréstimo ao léxico português. Alfa, São Paulo, n. 28 (supl.), p. 119-126, 1984.

ALVES, Leda Maria. Empréstimos lexicais na imprensa política brasileira. Alfa, São Paulo, n. 32, p. 1-14, 1988.

AUBERT, Eduardo Henrik; MÓDOLO, Marcelo. Quem testa positivo foi contaminado por estrangeirismo? Jornal da USP[online], São Paulo, 8 mai. 2020. Artigos. Disponível em: https://jornal.usp.br/?p=320977. Acesso em: 1 jun. 2022.

BAK, Jaehee. The light verb construction in Korean. 2011. Tese (Doctor of Philosophy) — University of Toronto, Toronto, 2011. Disponível em: https://tspace.library.utoronto.ca/?refresh=true. Acesso em: 12 jun. 2022.

BOTTA, Mariana Giacomini. Breve estudo sobre os usos dos termos empréstimo e estrangeirismo na tradição linguística em língua portuguesa. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 45, n. 82, p. 150-159, jan./abr. 2020. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/. Acesso em: 12 jun. 2022.

BURKHOLDER, Michèle. Language mixing in the nominal phrase: Implications of a distributed morphology perspective. Languages, v. 3, n. 2, p 1-28, 2018. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/324490308_Language_Mixing_in_the_Nominal_Phrase_Implications_of_a_Distributed_Morphology_Perspective. Acesso em: 12 jun. 2022.

DANIEL, Adam D. Clipping as Morphology: Evidence from Japanese (Unpublished master’s thesis). University of Calgary, Calgary, AB, 2018. Disponível em: https://prism.ucalgary.ca/bitstream/handle/1880/106310/ucalgary_2018_daniel_adam.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 11 jun. 2022.

EMBICK, David. The morpheme: a theoretical introduction. Berlin, München, Boston: De Gruyter Mouton, 2015.

EMBICK, David, MARANTZ, Alec. Architecture and Blocking. Linguistic Inquiry, Cambridge, MA, v. 39, n. 1, p. 1-53, 2008.

FIGUEIREDO SILVA, Maria Cristina; MEDEIROS, Alessandro Boechat de. Para conhecer Morfologia. São Paulo: Contexto, 2016.

GUILBERT, Louis. Théorie du néologisme. Cahiers de l’Association internationale des études françaises, n. 25, p. 9-29, 1973. Disponível em: https://www.persee.fr/collections. Acesso em: 12 jun. 2022.

HALLE, Morris; MARANTZ, Alec. A Morfologia Distribuída e as peças da flexão. Tradução de Beatriz Pires Santana e Maurício Resende. Curitiba: Editora UFPR, 2020 [1993].

HARLEY, Heidi. On the identity of roots. Theoretical linguistics, v. 40, n. 3-4, p. 225-276, 2014.

HASPELMATH, Martin. Lexical borrowing: Concepts and issues. In: HASPELMATH, Martin; TADMOR, Uri. Loanwords in the world’s languages: a comparative handbook. Berlin, New York: De Gruyter Mouton, 2009.

IRWIN, Mark. The morphology of English loanwords. In: KAGEYAMA, Taro; KISHIMOTO,Hideki. Handbook of Japanese lexicon and word formation. Berlin, Boston: De Gruyter Mouton, 2016. v. 3, cap. 5, p. 161-198.

JUNG, Hyun Kyoung. On the verbalizing suffixes in Korean and their implications for syntax and semantics. Lingua, v. 179, p. 97-123, 2016. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0024384116300468. Acesso em: 11 jun. 2022.

LEE, Ki-Moon; RAMSEY, S. Robert. A history of the Korean language. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2011.

LEHMAN, Winfred P. Historical linguistics: An introduction. New York: Holt, Rinehart & Winston, 1962.

MATRAS, Yaron. The borrowability of structural categories. In: MATRAS, Yaron; SAKEL, Jeanette (eds.). Grammatical Borrowing in Cross-Linguistic Perspective. Berlin, New York: De Gruyter Mouton, p. 31-74, 2008. https://doi.org/10.1515/ 9783110199192.31. Disponível em: http://languagecontact.humanities.manchester.ac.uk/YM/downloads/Matras,%20Y.%20(2007)%20The%20borrowability%20of%20structural%20categories.pdf. Acesso em: 11 jun. 2022.

PEDERNEIRA, Isabella Lopes; AQUINO, Rafaela do Nascimento Melo; LEMLE, Miriam. Análise de empréstimos sob a ótica da Morfologia Distribuída. Revista Diadorim, v. 23, n. 2, p. 509-529, 2021. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/diadorim/article/view/ 40799/25030. Acesso em: 12 jun. 2022.

SCHER, Ana Paula. Morfologia Distribuída: formação de palavras na sintaxe. In: FIORIN, J. L. (org.). Novos caminhos da Linguística. São Paulo: Contexto, 2017. p. 37-60.

Downloads

Publicado

07.11.2022