Chamada Aberta: Literaturas africanas e afrodiaspóricas: escritas emancipatórias (Cerrados 61 - 1/2023)

04-04-2022

Literaturas africanas e afrodiaspóricas: escritas emancipatórias (Cerrados 61 - 1/2023)

As literaturas africanas e afrodiaspóricas vêm alcançando um reconhecimento sem precedentes no meio acadêmico contemporâneo, no qual se nota a intensificação de pesquisas sobre elas, conduzidas por especialistas, sobretudo nas últimas duas décadas. O interesse é também crescente entre leitoras e leitores não especializados, como demonstram séries e coleções lançadas por editoras e os indicativos de leitura da atualidade. Tal expansão, ressalta-se, abrange tanto as literaturas africanas e afrodiaspóricas publicadas no século XXI quanto aquelas de épocas anteriores, reavivadas por movimentos de recuperação de memórias literárias historicamente excluídas. O que explica a proeminência das escritas africanas e afrodiaspóricas nas esferas acadêmicas e editoriais hoje é a consolidação de uma percepção geral: a necessidade de revisar a predominância de um pensamento eurocêntrico que se tornou hegemônico no mundo, pautado em um cânone literário que notadamente colocava às margens as literaturas consideradas menores, nos termos de Deleuze e Guattari.

Tendo em vista este cenário, a Revista Cerrados propõe, por meio deste dossiê, reunir artigos sobre literaturas africanas e afrodiaspóricas de todas as épocas, que enfoquem sobretudo seu aspecto emancipatório, presente na prosa de ficção, na poesia e no teatro. A compreensão do que vem a ser o caráter “emancipatório” de uma expressão literária é vasta, podendo envolver formas literárias e temáticas em consonância com os ideais de liberdade humana, de transgressão de poderes opressores, da noção de independência e autonomia, em todas as suas dimensões.  Assim, o objetivo principal do dossiê aqui proposto é estabelecer interlocuções críticas entre as literaturas africanas e afrodiaspóricas, bem como destas e outras tradições literárias, a partir de abordagens teóricas diversas,  sempre orbitando ao redor da noção de “escrita emancipatória”. Nesses diálogos estão incluídas, por exemplo, teorias e conceitos de decolonialidade e descolonização, pós-colonialidade, resistência e antirracismo, que revigoram subtemas como identidade, negritude, história, memória, diáspora, além de: feminismo negro, imaginação especulativa negra, ecocrítica, necropolítica, tensões de gênero, interseccionalidade e revisões do cânone, entre outros vieses.

  • Ao menos um dos autores da contribuição enviada deverá ter o título de doutor.
  • Revista Cerradosaceita textos em português, inglês, espanhol, italiano e francês.
  • A submissão precisa seguir os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores - submissões em desacordo serão rejeitadas.
  • Lançamento previsto para maio de 2023

 

Prazo final para envio: 30/11/ 2022

 

Comissão Organizadora:

Prof. Dr. Cláudio Roberto Vieira Braga - Presidente (UnB)

Profa. Dra. Gláucia Renate Gonçalves (UFMG)

Profa. Dra. Fernanda Guida (Spelman College - EUA)