IMIGRANTES E MASCATES DE B. KUCINSKI: UMA REFLEXÃO SOBRE A GRAVIDADE DOS PROBLEMAS DE MIGRAÇÃO E REFÚGIO NA ATUALIDADE

Autores

  • Cíntia Carla Moreira Schwantes UnB
  • Graciane Cristina Mangueira Celestino UnB e UNIPLAN http://orcid.org/0000-0001-8683-3887
  • Júlio Edstrom Secundino Santos IDASP/Palmas e UNINASSAU/Palmas

DOI:

https://doi.org/10.26512/aguaviva.v5i3.35810

Palavras-chave:

Imigrantes e mascates. Bernardo Kucinski. Migrantes forçados. Refugiados.

Resumo

Este artigo procura demonstrar a relevância do tema dos migrantes forçados e refugiados, que é considerada a maior crise humanitária da atualidade, já que há mais de 65 milhões de pessoas vivendo em condições de extremo desamparo no mundo, através do diálogo com a obra literária infanto-juvenil Imigrantes e mascates de Bernardo Kucinski. Para tanto foi utilizado o método hipotético dedutivo e análise discursiva para apontar a seriedade da necessidade de proteção e promoção dos refugiados que chegam ao Brasil, através da integração dos fenômenos literários e jurídicos que servem de base para reflexões da própria sociedade brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cíntia Carla Moreira Schwantes, UnB

Possui graduação em Letras pelo Centro de Ensino Universitário de Brasília (1981), mestrado em Literatura pela Universidade de Brasília (1988) e doutorado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul /Indiana University(1998). Atualmente é professor adjunto da Universidade de Brasília. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Comparada, atuando principalmente nos seguintes temas: estudos de gênero, literatura brasileira contemporânea, Bildungsroman, literaturas estrangeiras modernas e literatura comparada. 

Graciane Cristina Mangueira Celestino, UnB e UNIPLAN

Possui graduação em Letras - Licenciatura em Língua Portuguesa e Inglesa e suas respectivas Literaturas pela Universidade Estadual de Goiás (2008), mestrado em Programa de Pós Graduação em Educação - PPGE pela Universidade de Brasília (2015), doutoranda do Programa de Pós Graduação da Universidade de Brasília (UnB), com defesa prevista para a primeira quinzena de dezembro de 2020. Atualmente é professora adjunta III do Centro Universitário Planalto do Distrito Federal, professora das disciplinas de Literatura Brasileira Poesia e Prosa, Literatura Portuguesa Poesia e Prosa, Literatura Inglesa, Literatura Norte-Americana, Literatura Comparada, Literatura Pós Colonial, Leitura e Literatura em Contexto Escolar, Literaturas Africanas de Língua Portuguesa e Semiótica. Professora Efetiva da Secretaria Municipal de Educação de Santo Antônio do Descoberto - GO. Membro do grupo de pesquisa Literatura e Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), editora-gerente da Revista de discentes Água Viva da Universidade de Brasília. Linha de Pesquisa Estudos Literários Comparados, tem experiência na área de Letras atuando como orientadora de Iniciação Científica e Trabalho de Conclusão de Curso, além de coordenar projetos de nivelamento na área de Literatura, atualmente pesquisa os seguintes temas: mitologias do imaginário, educação literária, episteme da leitura borgeana, criação e tradução literárias.

Júlio Edstrom Secundino Santos, IDASP/Palmas e UNINASSAU/Palmas

Doutor em Direito pelo Centro Universitário de Brasília (UNICEUB). Mestre em Direito Internacional Econômico pela UCB/DF. Professor do IDASP-Palmas. Membro dos grupos de pesquisa Núcleo de Estudos e Pesquisas Avançadas do Terceiro Setor (NEPATS) da UCB/DF e Políticas Públicas e Juspositivismo, Jusmoralismo e Justiça Política do UNICEUB.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Infância e história: destruição da experiência e origem da história; tradução de Henrique Burigo. ”“ Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005.

AGAMBEN, Giorgio. Meios sem os fins: Nota sobre politica. São Paulo: Autêntica, 2016.

ARENDT, Hannah. Nós, os Refugiados. Covilhã: Universidade da Beira Interior, 2013

BAUMAN, Zygmnunt. Estanhos à nossa Porta. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. ”“ Brasília: MEC, SEB,DICEI, 2013.

CALSING, Renata de Assis; SILVA, Viviane Luiza; SANTOS, Júlio Edstron Secundino. Refugiados no Brasil: Estamos preparados para a proteção humanitária dessas pessoas? In Revista do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFC v. 37.2, jul./dez. 2017

DALVI, Maria Amélia; REZENDE, Neide Luzia; JOVER-FALEIROS, Rita (Orgs.). Leitura de literatura na escola. São Paulo: Parábola, 2013.

DALCASTAGNE, Regina; LICCARIÃO, Berttoni; NAKAGOME, Patricia. Literatura e Resistência. Porto Alegre: ZOUK, 2018.

DALCASTAGNE, Regina; DUTRA, Paula Q.; FREDERIDO, Graziele. Literatura e Direitos Humanos. Porto Alegre: ZOUK, 2018.

INSTITUTO PAULO MONTENEGRO. Indicador de Analfabetismo Funcional ”“ INAF: estudo especial sobre alfabetismo e mundo do trabalho. São Paulo: Instituto Paulo Monenegro, 2016. Disponível em: <http://acaoeducativa.org.br/wp-content/uploads/2016/09/ INAFEstudosEspeciais_ 2016_Letramento_e_Mundo_do_Trabalho.pdf>. Acesso em: 21 mar. 2017.

INSTITUTO PRÓ-LIVRO. Retratos da leitura no Brasil. 4. ed. São Paulo: Instituto Pró-Livro, 2016. Disponível em: <http://prolivro.org.br/home/images/2016/ Pesquisa_ Retratos_da_Leitura_no_Brasil_-_2015.pdf>. Acesso em: 21 mar. 2017.

JOUVE, Vincent. Por que estudar literatura? São Paulo: Parábola, 2012.

KUCINSKI, Bernardo. Imigrantes e mascates; ilustrações de Maria Eugênia. ”“ 1ªed. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2016.

LINDGREN-ALVES, José Augusto. É preciso salvar os direitos humanos! São Paulo: Perpsctiva, 2018.

MAZZUOLI, Valério de Oliveira. Curso de Direitos Humanos, 5 ed. São Paulo: Editora Método, 2018.

NASCIMENTO, Luiz Sales do. A cidadania dos refugiados no Brasil. 2 ed. São Paulo: Verbatim, 2014.

OLINTO, Heidrun Krieger; SCHOLLHAMMER, Karl Erik (orgs). Literatura e Cultura. Rio de Janeiro. Ed: PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2003.

ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERIANOS (OEA) Declaração de Cartagena. Disponível em: https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/portugues/BD_Legal/Instrumentos_Internacionais/Declaracao_de_Cartagena.pdf acesso em 10 janeiro 2019

PETIT, Michèle. A arte de ler ou como resistir à adversidade; tradução de Arthur Bueno e Camila Boldrini ”“ São Paulo: Ed. 34, 2009

ROITMAN, Isaac e RAMOS, Neves Mozart. A Urgência da Educação. São Paulo: Moderna,2011.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado; PEYTRIGNET, Gierard; SANTIAGO, Jaime Raiz. Las Tres Vertientes de La Protección Internacional de los derechos de la persona humana: derechos humanos, derechos humanitário, derecho de los refugiados. Ciudad del México: Editorial Porrua México, 2003.

Downloads

Publicado

2020-12-29

Como Citar

SCHWANTES, Cíntia Carla Moreira; CELESTINO, Graciane Cristina Mangueira; SANTOS, Júlio Edstrom Secundino. IMIGRANTES E MASCATES DE B. KUCINSKI: UMA REFLEXÃO SOBRE A GRAVIDADE DOS PROBLEMAS DE MIGRAÇÃO E REFÚGIO NA ATUALIDADE. Revista Água Viva, [S. l.], v. 5, n. 3, 2020. DOI: 10.26512/aguaviva.v5i3.35810. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/aguaviva/article/view/35810. Acesso em: 18 abr. 2024.