Perfil das condições de vida, saúde e trabalho de catadores de resíduos sólidos da Associação Recicle a Vida em Ceilândia-DF

Autores

  • Vanessa Resende Nogueira Cruvinel Universidade de Brasília Faculdade de Ceilândia. Curso de Saúde Coletiva
  • Ana Carolina Silva Martins Univeridade de Brasília
  • Aldira Guimãraes Duarte Domínguez Universidade de Brasília
  • Wildo Navengantes Araújo Universidade de Brasília Faculdade de Ceilândia. Curso de Saúde Coletiva

Palavras-chave:

Saúde coletiva, saúde do trabalhador, meio ambiente

Resumo

O Distrito Federal produz cerca de 8 mil toneladas de lixo por dia e apenas 1,25% desse montante é reciclado. Além disso, possui cerca de 4 mil pessoas organizadas em 12 associações, dentre elas, a Associação Recicle a Vida.  O presente trabalho faz parte de uma pesquisa realizada no Projeto de Extensão Pare, Pense, Descarte- PPD que identificou em 2013 o perfil dos trabalhadores de uma Associação de catadores de resíduos sólidos da Ceilândia, Distrito Federal. O objetivo deste trabalho foi conhecer o contexto socioeconômico e epidemiológico destes trabalhadores e propor ações de promoção de saúde com a participação ativa destes associados. Em termos metodológicos este estudo é do tipo transversal de natureza descritiva com abordagem quantitativa utilizando questionário do tipo survey. A amostra foi constituída por 40 catadores da Associação Recicle a Vida, totalizando 60% dos Associados. As entrevistas foram realizadas por estudantes extensionistas do projeto. O instrumento de coleta de dados foi validado em 10% da amostra que foi posteriormente descartada.  Os dados foram tabulados pelo software EpiInfo 7. Em seguida, foram realizadas oficinas direcionadas à prevenção e promoção da saúde de acordo com as demandas apresentadas pela população. Os resultados apontaram que: 73,6% dos catadores se declararam pardos ou negros; 63,16% eram do sexo masculino com uma média de 1,62 filhos. A renda mensal era de 1 a 2 salários mínimos sendo que 43% dos entrevistados possuíam o ensino fundamental incompleto. Observou-se que 100% da amostra declarou possuir água tratada em suas residências e 85 % possuíam coleta pública de lixo. As doenças referidas mais prevalentes foram hipertensão 17,3%; insônia 12%; hérnia de disco 8,3%; transtornos do sono 8,5%; e lesão por esforço repetitivo 7,4%. Foram realizadas oficinas tendo como foco o direito e acesso à saúde através do Sistema Único de Saúde - SUS, aconselhamento jurídico coletivo, doenças crônicas e seus fatores de risco. Observou-se que os catadores estavam expostos a diversos fatores de risco. Percebeu-se a necessidade de ações para o empoderamento e melhoria da qualidade de vida e condições de trabalho, bem como a parceria com a Universidade de Brasília foi e continua sendo muito importante para melhorar as condições de vida e saúde destas pessoas, trazendo ainda grandes contribuições na formação integral e humanística dos estudantes participantes do projeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2016-02-27

Como Citar

Nogueira Cruvinel, V. R., Silva Martins, A. C., Duarte Domínguez, A. G., & Araújo, W. N. (2016). Perfil das condições de vida, saúde e trabalho de catadores de resíduos sólidos da Associação Recicle a Vida em Ceilândia-DF. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, (28). Recuperado de https://periodicos.unb.br/index.php/RICI/article/view/16959

Edição

Seção

Artigos

Most read articles by the same author(s)