Compósitos a partir de materiais de fontes renováveis como alternativa para o desenvolvimento de produtos

Autores

  • Eliana Paula Calegari Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Branca Freitas de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.18472/SustDeb.v7n1.2016.17623

Palavras-chave:

Compósitos, Materiais de fontes renováveis, Design de produto

Resumo

A preocupação ambiental tem gerado interesse na pesquisa de novos materiais que estejam alinhados com os princípios da sustentabilidade. Entre esses materiais, atualmente, encontram-se os compósitos produzidos a partir de recursos de fontes renováveis. Este artigo apresenta os resultados de um estudo de caso acerca de produtos em que são empregados os referidos compósitos. Realizou-se uma pesquisa na rede mundial de computadores usando a ferramenta de buscas google sobre produtos fabricados com esses compósitos e comparou-se com produtos fabricados a partir de materiais usualmente utilizados na indústria, tais como polímeros, metais e cerâmicas. Constatou-se que os compósitos feitos a partir de fontes renováveis estão sendo, principalmente, aplicados em embalagens, na produção de ferramentas para jardinagem e vasos para plantas. Dessa forma, observou-se que os referidos compósitos podem substituir materiais comumente empregados na indústria atendendo aos requisitos funcionais e estéticos demandados na confecção desses produtos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliana Paula Calegari, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui mestrado em Design pelo Programa de Pós- Graduação em Design com Ênfase em Design e Tecnologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013), graduação em Desenho Industrial - Projeto de Produto (2011) e Técnico em Informática pela Universidade Federal de Santa Maria (2007). Atuou como docente no Centro Universitário Ritter dos Reis no curso Técnico em Computação Gráfica e foi professora substituta na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Design com Ênfase em Design e Tecnologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde desenvolve pesquisas na área de design e materiais.

Branca Freitas de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui pós-doutorado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2006), doutorado em Engenharia Civil pela UFRGS (2004), mestrado em Engenharia Civil pela UFRGS (1999) e graduação em Engenharia Civil pela UFRGS (1996). Atualmente é professora associada da UFRGS, bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq e Consultora ad hoc do CNPq. Tem experiência nas áreas de Engenharia Civil e Mecânica, com ênfase em Mecânica das Estruturas, atuando principalmente nos seguintes temas: novos materiais, materiais compósitos, elementos finitos, modelos constitutivos, falha, envelhecimento, dano, viscoelasticidade e plasticidade.

Referências

AVÉROUS, L.; BOQUILLON, N. Biocomposites based on plastificized starch: thermal and mechanical beharviours. Carbohydrate Polymers, v. 52, p. 111-122, 2004.

BRITO, G. F. et al. Biopolímeros, Polímeros Biodegradáveis e Polímeros Verdes. Revista Eletrônica de Materiais e Processos, v. 6.2, 127-13, 2011.

CALEGARI, E. P. Estudo da aplicação de compósitos biodegradáveis à base de biopolímero e fibras de curauá no design de produto. Mestrado (Dissertação). Programa de Pós-Graduação em Design com ênfase em Design e Tecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

CALLISTER, W. D. Ciência e Engenharia de Materiais: uma introdução. São Paulo: LTC, 2006.

CÂNDIDO, L. H. A. Estudo do ciclo de reciclagem de materiais em blendas acrilonitrila-butadieno-estireno/policarbonato. Doutorado (Tese). Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais – Escola de Engenharia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

CARVALHO, L. F. M. Tratamentos de fibras de carnaúba [copernicia prunífera (miller) H. E. moore] para o desenvolvimento de compósito biodegradável com matriz de polihidroxibutirato. Doutorado (Tese). Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais, UFRN. Natal, 2011.

CPT. Embalagem ecológica é novidade na comercialização de ovos. Disponível em: < http://www.cpt.com.br/noticias/embalagem-ecologica-novidade-comercializacao-ovos> Acesso em: 12 jul. 2015.

DESIGN MAGAZINE & RESOURCE. Student spotlight: Hannah Dow's biodegradable temp tools. Disponível em: <http:www.core77.com/blog/sustainable-design/student_spotlight_hannah_dows_biodegradable_temp_tools_24720.asp> Acesso em: 10 nov. 2015.

EBERSPACHER, G. Designer cria embalagens biodegradáveis com caroço de ameixa: Embalagens são indicadas para produtos relacionados à jardinagem. 2013. Disponível em: <http://atitudesustentavel.com.br/blog/2011/11/21/designer-cria-embalagens-biodegradaveis-com-caroco-de-ameixa/> Acesso em: 10 jul. 2015.

ECODESENVOLVIMENTO. Projeto une recuperação ambiental e inclusão social. 2011. Disponível em: <http://www.ecodesenvolvimento.org/posts/2011/setembro/florestas-inteligentes#ixzz1YQ6f1gHx> Acesso em: 10 jul. 2015.

ECOVASO. Vasos de plástico para plantas. Disponível em: < http://www.ecovaso.com.br/> Acesso em: 12 jul. 2015.

FARUK, O. et al. Biocomposites reinforced with natural fibers: 2000-2010. Progress in Polymer Science, 2012.

FORMOLO, M. C. et al. Polihidroxialcanoatos: biopoliésteres produzidos a partir de fontes renováveis. Revista Saúde e Ambiente, Joinville, v. 4, 14-21, 2003.

GURUNATHAN, T.; MOHANTY, S.; NAYAK, S. K. A review of the recent developments in biocomposites based on natural fibres and their application perspectives. Composites: Part A 77, p. 1–25, 2015.

HUEVOSINMACULADA. Huevo a granel. Disponível em: < http://huevosinmaculada.com/ficha.asp?id=1> Acesso em: 12 dez. 2015.

INFOBIOS. Importância da embalagem na manutenção da qualidade pós-colheita de frutas. 2014. Disponível em: < http://www.infobibos.com/Artigos/2014_1/frutas/> Acesso em: 10 jul. 2015.

LESKO, J. Design Industrial Materiais e Processos de Fabricação. Editora Edgard Bluncher, 2004.

LIMA, M. A. M. Introdução aos Materiais e Processos para Designers. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., 2006.

MACEDO, J. de S. Desenvolvimento de biocompósitos à base de polihidroxibutirato e resíduos do processamento de fibras de casca de coco. Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica e de Materiais, COPPE, UFRJ. Rio de Janeiro, 2010.

MACHADO, M. L. C. et al. Estudo das Propriedades Mecânicas e Térmicas do Polímero Poli-3-Hidroxibutirato (PHB) e de Compósitos PHB/Pó de Madeira. Polímeros: Ciência e Tecnologia, v. 20, n. 1, p. 65-71, 2010.

MATÉRIA BRASIL. Materioteca. Disponível em: < http://materiabrasil.com.br/> Acesso em: 23 mai. 2015.

MOHANTY, A. K. et al. Natural Fibers, Biopolymers, and Biocomposites: An Introduction. Taylor & Francis, 2005.
MOHANTY, A. K.; MISRA, M.; HINRICHSEN, G. Biofibres, biodegradable polymers and biocomposites: An overview. Macromol. Mater. Eng. 276/277, p. 1-24, 2000.

MONTEIRO, S. N.; DE DEUS, J. F.; D'ALMEIDA, J. R. M. Mechanical and Structural Characterization of Curaua Fibers, In: Characterization of Minerals, Metals & Materials - TMS Conference, San Antonio, USA, CD - Rom, p. 369 - 375, 2006.

MORAIS, G. A. C.; CARASCHI, J. C. Compósitos de polihidroxibutirato (PHB) reforçado com resíduos agroindustriais. Disponível em: <http://www.instructor.com.br/unesp2005/files/CICEM/trabalhos/6.pdf> Acesso em: 2 nov. 2015.

NETO, F. L; PARDINI, L. C. Compósitos Estruturais. Ciência e Tecnologia. Ed. Edgard Blücher, 2006.

PAPANEK, V. Arquitetura e design: ecologia e ética. Lisboa: Edições 70, 2002.

ROWELL, R. M. et al. Utilization of natural fibers in plastic composites: Problems and Opportunities. Lignocellulosic – Plastics Composites. Edited by: LEÃO, A.; CARVALHO, F. X.; FROLLINI, E. São Paulo, p. 23 - 51. 1997.

SATYANARAYANA, K. G. Biodegradable polymer composites based on brazilian lignocellulosic. Revista Matéria, v. 15, n. 2, p. 088-095, 2010.

SCANDOLA, E. Z. M. Green Composites: An Overview. Polymer Composites, p. 1906 - 1915, 2011.

SILVA, V. da. Desenvolvimento de biocompósitos de poli(3-hidroxibutirato-co-3-hidroxivalerato) (PHBV) com resíduos de madeira. Dissertação – Programa de Mestrado em Engenharia de Processos, Univille. Joinville, 2009.

TAKEIDEA. Vasos biodegradáveis. 2013. Disponível em: <http://takeidea.com.br/design/vasos-biodegradaveis/> Acesso em: 10 dez. 2015.

TIROL PLANTAS. Vasos de cerâmica para plantas. Disponível em: < http://www.tirolplantas.com.br/loja/Default.aspx?cid=265> Acesso em: 13 dez. 2015.

TRAMONTINA. Ferramentas para jardinagem. Disponível em: < http://www.tramontina.com.br/pt/> Acesso em: 13 dez. 2015.

VILAPLANA, F.; STRÖMBERG, E.; KARLSSON, S. Environmental and resource aspects of sustainable biocomposites. Polymer Degradation and Stability, 95, p. 2147-2161, 2010.

Publicado

2016-04-30

Como Citar

Calegari, E. P., & Oliveira, B. F. de. (2016). Compósitos a partir de materiais de fontes renováveis como alternativa para o desenvolvimento de produtos. Revista Ibero-Americana De Ciência Da Informação, 7(1), 140 - 155. https://doi.org/10.18472/SustDeb.v7n1.2016.17623

Edição

Seção

Artigos