Como a Política e a Estratégia Nacionais de Defesa de 2016 Dialogam Entre Si?

Main Article Content

Marcelo Antonio Osller Malagutti

Resumo

Os assim-chamados Documentos de Defesa brasileiros permitem o aprofundamento do debate sobre o tema pela sociedade. Entretanto, mesmo em sua terceira geração, ainda apresentam erros e inconsistências na forma e na coerência, interna e entre si, chegando por vezes a serem contraditórios. Este artigo aponta situações presentes nos dois documentos de mais alto nível, a Política e a Estratégia, e propõe algumas melhorias simples que buscam ampliar a objetividade e a consistência dos referidos documentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
Osller Malagutti, Marcelo Antonio. 2021. “Como a Política E a Estratégia Nacionais De Defesa De 2016 Dialogam Entre Si?”. Meridiano 47 - Journal of Global Studies 22 (abril). https://doi.org/10.20889/M47e22005.
Seção
Artigos

Referências

Almeida, Carlos Wellington De. 2010. “Política de Defesa No Brasil: Considerações Do Ponto de Vista Das Políticas Públicas.” Opinião Pública 16 (1): 220”“50.

Almeida, Paulo Roberto de. 2009. “Estratégia Nacional de Defesa: Comentários Dissidentes.” Meridiano 47, no. 104 (March): 5”“9.

Bertonha, João Fábio. 2009. “Uma Política de Defesa Nacional A National Defense Policy.” Meridiano 47, no. 103: 24”“28.

Bobbio, Norberto. 1996. Teoria Do Ordenamento Juridico. 6th ed. Brasília: Editora UnB.

Brasil. 1988. Constituição Federal de 1988. Congresso Nacional.

””””””. 1999. Lei Complementar 97. Brasília: Congresso Nacional.

””””””. 2010. Lei Complementar 136. Brasília: Congresso Nacional.

””””””. 2014. Manual Básico Vol. 1. Rio de Janeiro: ESG.

””””””. 2016. “Política Nacional de Defesa e Estratégia Nacional de Defesa.” Brasília.

Brodie, Bernard. 1959. “The Anatomy of Deterrence.” World Politics 11 (02): 173”“91. https://doi.org/10.2307/2009527.

Ganghua, Xiang, and Wang Yongxian. 2007. “Preferences, Information and the Deterrence Game.” The Chinese Journal of International Politics 1 (3): 309”“45. https://doi.org/10.1093/cjip/pom001.

Jungmann, Raul. 2017. “A Competência Das Forças Armadas Na Constituição Federal de 1988 e o Seu Papel Na Segurança Interna.” Revista Do Ministério Público Militar 42 (27): 71”“81.

Kugler, Richard. 2006. Policy Analysis in National Security Affairs: New Methods for a New Era. National Defense University Press.

Mulgan, Geoff. 2009. The Art of Public Strategy. Oxford University Press.

Nogueira, Armando. 2010. “Escrever é a Arte de Cortar Palavras: De Que Mestre Teria Partido Esta Preciosa Lição?” Portal Da Imprensa. 2010. http://portalimprensa.com.br/noticias/ultimas_noticias/32240/imprensa+republica+artigo+de+armando+nogueira+sobre+o+desafio+da+edicao+de+texto.

Proença Jr., Domício, and Marcus Augustus Lessa. 2018. “Brazilian National Defence Policy and Strategy Reviewed as a Unity.” Revista Brasileira de Política Internacional 60 (2). https://doi.org/10.1590/0034-7329201700210.

Proença Júnior, Domício. 2011. “Forças Armadas Para Quê? Para Isso.” Contexto Internacional 33 (2): 333”“73. https://doi.org/10.1590/s0102-85292011000200004.

Rudzit, Gunther, and Guilherme Stolle Paixão e Casarões. 2015. “Política de Defesa é Uma Política de Governo.” Revista Brasileira de Estudos de Defesa 2 (1): 33”“52. https://doi.org/10.26792/rbed.v2n1.2015.54002.

Schelling, Thomas. 1990. The Strategy of Conflict. Harvard University Press.

””””””. 2008. Arms and Influence: With a New Preface and Afterword. Yale University Press.

Snyder, Glenn. 1961. Deterrence and Defence: Toward a Theory of National Security. Princeton University Press.