Notícias

Chamada dossiê “Saberes transformativos em prática na academia"

2018-08-19

Este dossiê pretende reunir pesquisadores que apresentem reflexões em torno das experiências do Mestrado em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais, desencadeadas por discentes e docentes da Universidade de Brasília. Trata-se de um curso voltado para estudantes oriundas/os de comunidades tradicionais (indígenas, quilombolas e outras) e/ou que atuem profissionalmente junto ou em parceria com essas comunidades. Nesse sentido, a proposta visa demonstrar o potencial das produções dessas/es estudantes em desafiar os saberes acadêmicos hegemônicos por meio de suas proposições, tanto por meio de seus formatos de trabalho, quanto pelos novos conceitos, teorias e metodologias que são acionados nas pesquisas. Por outro lado, pretende trazer discussões que as/os professoras/es do curso vêm produzindo sobre saberes docentes em práticas pedagógicas, em sala de aula e ambientes de orientações, movidas/os pelas provocações desencadeadas pelas/os estudantes. O dossiê se refere a saberes que se mobilizam na experiência a que são submetidos esses sujeitos, tanto docentes quanto discentes, inseridos em um processo que anuncia outras epistemologias no âmbito acadêmico.

 Prazo de submissão de trabalhos: 10 de novembrode 2018.

Organização: Cristiane Portela (GDF), Mônica Nogueira (CDS-UnB) e Sílvia Guimarães (DAN-UnB)

Saiba mais sobre Chamada dossiê “Saberes transformativos em prática na academia"

Edição Atual

v. 21 n. 2 (2018): DOSSIÊ "Poder, resistência e lutas indígenas no século XXI: Desafios e perspectivas da política interétnica"

Nesta edição, apresentamos o dossiê apresentamos o dossiê "Poder, resistência e lutas indígenas no século XXI: Desafios e perspectivas da política interétnica", que reuniu quatro pesquisas e um estudo abrangendo as lutas indígenas em Oaxaca no México, no altiplano e no chaco bolivianos e em Roraima no Brasil. Desta maneira, temos quatro macrorregiões latino-americanas metonimicamente representadas, respectivamente, a Mesoamérica, os Andes, o Chaco e as savanas das guianas ou “lavrado”. Por fim, apresenta um diálogo teórico que aproxima a análise do Sistema Mundo e a perspectiva decolonial para promover uma abordagem de longa duração à violência e resistência indígena no Brasil. Os trabalhos, em conjunto, iluminam aspectos jurídicos das legislações indigenistas nacionais e das convenções e tratados internacionais sobre o direito de consulta entre os povos indígenas; problematizam a história das relações interétnicas envolvendo povos indígenas, estados e sociedades nacionais; tematizam a centralidade da educação para formação política e para a elaboração de projetos interculturais possíveis para assegurar o futuro e a autonomia dos povos indígenas; e percorrem, com profusão de dados etnográficos, questões etnológicas e etnohistóricas complexas que demonstram a sofisticação do pensamento político indígena contemporâneo.

Incluímos também o artigo "Mito da Modernidade e Alucinações Eurocêntricas: colóquio entre Enrique Dussel e Achille Mbembe", que apresenta críticas ao princípio de raça, alucinação eurocêntrica, construção ideológica para definir papéis sociais entre colonizador e colonizado, entre branco e negro.

Publicado: 2018-08-30
Ver Todas as Edições

Interethnica acompanha a crescente e intensa atividade dos pesquisadores e pesquisadoras sobre relações interétnicas e raciais nas Ciências Sociais e humanidades, contribuindo com a divulgação científica e o diálogo intercultural entre sujeitos epistêmicos das sociedades e grupos identitários e da academia.

Sua missão é contribuir com a divulgação de produção científica desse campo e contribuir com sua compreensão e o desenvolvimento teórico. Também busca abrir espaços de diálogo intercultural e multidisciplinar sobre temas correlatos às relações inter étnico-raciais compreendidas em termos abrangentes.

A revista é editada pelos pesquisadores e pesquisadoras do Laboratório e Grupo de Estudos em Relações Interétnicas (LAGERI) e do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Movimentos Indígenas Políticas Indigenistas e Indigenismo (LAEPI), ambos do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Brasília (UnB). respectivamente vinculados ao Departamento de Antropologia (DAN) e ao Departamento de Estudos Latino-americanos (ELA). O LAGERI e o LAEPI são espaços de pesquisa e extensão que promovem diversas atividades de debate sobre investigações em elaboração ou em andamento, além de trabalhos finalizados e publicações acadêmicas.

No quadriênio 2013-2016, a Interethnica foi classificada no Qualis Periódicos, avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), como: B2 em Antropologia.

Indexações: OJS, Qualis, PKP/Index, Sumários, Diadorim, Livre.

Apoio institucional UnB: UnB, ICS, ELA, DAN, LAEPI, LAGERI, BCE, Portal de periódicos UnB.

PARCERIAS

Rede de Estudos Ameríndios (REA)

Esta parceria editorial, vigente desde 7 de outubro de 2013, busca promover os seguintes objetivos:

  1. O planejamento e publicação bilíngue de textos e números especiais entre dois ou mais periódicos da rede de acordo com suas normas editoriais;
  2. A indicação de pareceristas para dinamizar e internacionalizar o processo de aprovação, revisão e publicação de textos e números especiais bilíngues nos periódicos da rede e em conformidade com suas normas editoriais;
  3. O planejamento e realização de conferências, seminários, encontros e oficinas em reuniões científicas para promover os estudos ameríndios; e
  4. A divulgação e distribuição dos periódicos nas comunidades antropológicas, organizações indígenas e indigenistas, movimentos indígenas e povos indígenas da América Latina, América do Norte e Caribe.

Este acordo se origina da iniciativa dos seguintes periódicos:

Esses periódicos são livres para promover o contato direto com um ou mais periódicos da rede para a realização das atividades aqui previstas, sem que para isto seja necessário realizar consultas prévias junto aos demais participantes da REA.