Aportes da etnografia sul-americanista ao entendimento dos suicídios indígenas

Uma tentativa de síntese a partir de noções divergentes de “psique”/“alma”

  • Monica Pechincha
Palavras-chave: Suicídio, povos indígenas, noções de pessoa, psique, ontologias

Resumo

O presente artigo é uma tentativa de síntese de relatos etnográficos produzidos no âmbito da etnologia sul-americanista acerca do problema do suicídio entre indígenas. Parte da hipótese do aparecimento ou aumento de suicídios em ondas, predominantemente entre pessoas jovens, como sintomática de um tempo presente, onde pressões semelhantes estariam atingindo novas gerações. A leitura do material bibliográfico, ainda exíguo, fez-se com foco especial nas racionalizações indígenas acerca das condições vividas e sofridas que poderiam levar uma pessoa a passar ao ato. Nestas, fica patente duas ordens de incidência de perturbações sobrepostas: a de fundo “espiritual” em largo espectro, e a de tensões nas relações intergeracionais e entre afins. Em face da indispensabilidade da consideração da noção de pessoa para a abordagem do fenômeno nestas etnografias, e interrogando o enquadramento do problema dos suicídios indígenas no âmbito da “saúde mental”, o artigo coloca em perspectiva ontologias ameríndias e a da psicanálise. Já que em ambas o suicídio está associado a processos de “despersonalização”, examina a possibilidade ou impossibilidade de simetrização do “psíquico”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACUÑA, Ángel. 2007. “El suicidio entre los YukpaIrapa de la sierra de Perijá (Venezuela): características y factores condicionantes para su comprensión”. Antropológica, 107-108: 89- 114.

APARICIO, Miguel. 2014. Presas do Timbó: cosmopolítica e transformações Suruwaha. 2014. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Amazonas.

_____. 2015. “As metamorfoses dos humanos em presas do timbó. O Suruwaha e a morte por envenenamento”. Revista de Antropologia, 58(2): 314-344.

_____. 2017. “Jesús tomó timbó”: equívocos misioneros en torno al suicidio Suruwaha. In:

APARICIO, Miguel; CAMPO ARAÚZ (org.). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala. pp. 205-228.

BOHANNAN, Paul. (org). 1960. African Homicide and Suicide. Princeton, NJ: Princeton University Press.

BROWN, Michael F. 1984. “La cara oscura del progresso: el suicidio entre los Aguaruna del Alto Mayo”. In: Relaciones Interétnicas y Adaptación Cultural entre Shuar, Achuar, Aguaruna Y Canelos Quichua. Quito, Ecuador: Colección Mundo Shuar. pp. 76-88.

_____. 1986. “Power, gender, and the social meaning of Aguaruna Suicide”. Man, 21(2): 311- 328.

CLASTRES, Pierre. 1974. A sociedade contra o Estado. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

DAL POZ, João. 2000. “Crônica de uma morte anunciada. Do suicídio entre os Sorowaha”. Revista de Antropologia, 43(1): 89-144.

_____. 2017. “Indivíduo e sociedade na Amazônia: sobre o suicídio tópico nos Sorowahas”. In: APARICIO, Miguel; CAMPO ARAÚZ (org). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala. pp. 171-203.

DIETSCHY, Hans. 1976. “Cultura como sistema psico-higiênico”. In: SCHADEN, E. (org.). Leituras de etnologia brasileira. São Paulo: Companhia Editora Nacional. p. 315-322.

DURKHEIM, Émile. O Suicídio. [1898] 1982. Rio de Janeiro, Zahar.

ERTHAL, Regina Maria de Carvalho. 1998. O suicídio Ticuna na região do Alto Solimões – AM. Tese de Doutorado, Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz.

_____. 1999. “Feitiço, doença e morte: o conflito impresso no corpo Ticuna”. Amazônia em Cadernos, 5: 147-174.

_____. 2001. “O suicídio Tikúna no Alto Solimões: uma expressão de conflitos”. Cadernos de Saúde Pública, 17(2): 299-311.

FREUD, Sigmund. [1910] 1969. “Breves escritos: contribuições para uma discussão acerca do suicídio”. In: Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. XI. Rio de Janeiro: Imago. pp. 217-218.

_____. [1920] 1969. “A psicogênese de um caso de homossexualismo numa mulher”. In: Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. XVIII. Rio de Janeiro: Imago. pp. 183-212.

_____. [1920] 1977. “Além do princípio de prazer”. In: Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. XVIII. Rio de Janeiro: Imago. pp. 12-85.

_____. [1915] 2006. “Luto e melancolia”. In: Obras Psicológicas de Sigmund Freud, v. II. Rio de Janeiro, Imago. pp. 99-122.

_____. [1912-1913] 2012. “Totem e Tabu”. In: Obras completas, v. 11: Totem e tabu, contribuição à história do movimento psicanalítico e outros textos (1912-1914). São Paulo: Companhia dasLetras. pp. 13-244.

FIRTH, Raymond. 1971. “Suicide and risk-taking in Tikopia society”. In: GIDDENS, A. (ed.). The Sociology of Suicide: A Selection of Readings. London and Tonbridge: Frank Cass and Co. Ltd. pp. 197–222.

HALBAWCHS, Maurice. [1939] 2002. Les causes du suicide. Paris: Presses Universitaires de France.

HALBMAYER, Ernest. 2001. “Socio-cosmological contexts and forms of violence. War, vendetta, duels and suicide among the Yukpa of North-western Venezuela”. In: SCHMIDT,

B.; Schröder, I. (ed.), The Anthropology of Violence and Conflict. London: Routledge, 2001. pp. 49-75.

_____. 2017. “Del suicidio y las concepciones de la muerte entre los Yukpa y otros pueblos amerindios de las Tierras Bajas Suramericanas”. In: APARICIO, Miguel; CAMPO ARAÚZ (org.). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala. pp. 11-43.

GIDDENS, Anthony. 1971. The Sociology of Suicide: A Selection of Readings. London and Tonbridge: Frank Cass and Co. Ltd.

KEIFENHEIM, Barbara. 2002. “Suicide à la Kashinawa: Le désir de l’au delà ou la séduction olfactive et auditive par les esprits des morts”. Journal de la Société des Américanistes, 88: 91-110.

LACAN, Jacques. [1963] 2005. O Seminário. Livro 10: A angústia. Rio de Janeiro: Zahar.

LANGDON, Esther Jean. 2014. “Os diálogos da antropologia com a saúde: contribuições para as políticas públicas”. Ciência e saúde coletiva, 19 (4): 1020-1029.

LÉVI-STRAUSS, Claude. [1949] 1982. As estruturas elementares do parentesco. 2ª ed. Petrópolis: Vozes.

_____. [1949] 1991. “A eficácia simbólica”. In: Antropologia estrutural. 4ª ed. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro. pp. 215-236.

MAGALHÃES, Aline. 2014. Esquecer-se de si: morte, emoções e autoridades em uma comunidade Ticuna. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

MALINOWSKI, Bronislaw. [1926] 1949. Crime and Custom in Savage Society. London: Routledge & Keagan Paul.

MATOS, Beatriz de Almeida. 2017. “O ataque dos espíritos e a desconstituição da pessoa entre os Matses”. In: APARICIO, Miguel; CAMPO ARAÚZ (org.). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala. pp. 149-170.

MILLER, Jacques-Alain. 2009. Perspectivas do Seminário 23 de Lacan: O sinthoma. Rio de Janeiro: Zahar.

MOREIRA, Elaine. 2017. “O lugar da fala: a questão do suicídios entre os Ye’kuana”. In:

APARICIO, Miguel; CAMPO ARAÚZ (org.). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala. pp. 97-121.

NUNES, Eduardo Soares. 2013. Relatório antropológico preliminar sobre os casos de tentativa e óbito por suicídio entre os Karajá do Médio Araguaia (MT/TO). Relatório técnico. Brasília: SESAI. (Manuscrito)

_____. 2016. Transformações karajá. Os “antigos” e o “pessoal de hoje” no mundo dos brancos. Tese de Doutorado. Universidade de Brasília, Brasília.

_____. 2017. “Do feitiço de enforcamento e outras questões”. In: APARICIO, Miguel; CAMPO ARAÚZ (org.). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala. pp. 259-284.

PIMENTEL, Spensy Kimitta. 2006. Sansões e Guaxos: suicídio Guarani e Kaiowá: uma proposta de síntese. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo.

_____. 2017. “Contra o que protesta o kaiowa que vai à forca? Uma reflexão etnográfica sobre percepções não indígenas frente a intenções e sentimentos indígenas”. In: APARICIO, Miguel; CAMPO ARAÚZ (org.). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala. pp. 285-311.

SEPÚLVEDA, Rodrigo. 2008. “Vivir la ideas idear la vida: adversidad, suicidio y flexibilidad en el ethos de los emberá y wounaan de riosucio, chocó”. Antípoda - Revista de Antropología y Arqueología, 6: 245-269.

SHIEL, Helena. 2017. “Os sofrimentos do jovem Tebutxué”. In: APARICIO, Miguel;

CAMPO ARAÚZ (org.). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala, 2017. pp. 245-258.

SILVA-BUENO, Maria Isabel Cardoso. 2014. Sobre encantamento e terror: imagens das relações entre humanos e sobrenaturais numa comunidade Ticuna (Alto Solimões, Amazonas, Brasil). Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

_____. 2017. “Suicídio ou homicídio? Os múltiplos sentidos das mortes por enforcamento entre os Ticuna (Alto Solimões – Brasil)”. In: APARICIO, Miguel; CAMPO ARAÚZ (org.). Etnografías del suicidio en América del Sur. Quito: Editorial Universitaria Abya-Yala. pp. 123-147.

SOLAR LÓPEZ, Tania L. 2013. Morte pela própria mão: Estudo etnográfico de narrativas dos Mapuche Pewenche do Alto Bío Bío, no Chile, sobre suicídios acontecidos nas comunidades. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina.

SOUZA, Maximiliano Loyola Ponte de; FERREIRA, Luciane Ouriques. 2014. “Jurupari se suicidou? notas para investigação do suicídio no contexto indígena”. Saúde e Sociedade, 23(3): 1064-1076.

SOUZA, Maximiliano Loyola Ponte de. 2016. “Narrativas indígenas sobre suicídio no Alto Rio Negro, Brasil: tecendo sentidos”. Saúde e Sociedade, 25(1): 145-159.

TAYLOR, Anne-Christine. 2003. Les masques de la mémoire: essai sur la fonction des peintures corporelles jivaro. L’Homme, 165: 223-248.

TOBÓN YAGARÍ, Lina Marcela; TOBÓN YAGARÍ, María Patricia. 2014. Estudio de caso: suicídios de jóvenes Embera. In: UNICEF. Suicídio adolescente em povos indígenas. 3 ESTUDOS. São Paulo: Arte Brasil Editora. pp. 146-220.

VITENTI, Livia. 2016. Los pueblos indígenas americanos y la práctica del suicídio: uma reseña crítica. Buenos Aires: Prometeo Libros.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. 2015. “As condições intensivas do sistema”. In: Metafísicas canibais: elementos para uma antropologia pós-estrutural. São Paulo: Cosac Naify. pp. 201-113.

WICKER, Hans-Rudolf. 1997. “Taruju: Enfermedad de los Dioses que lleva al suicídio. Anotaciones provisórias para la comprensión de los suicídios entre los Paĩ Tavyterã (Guaraní) del Noreste del Paraguay”. Suplemento Antropológico, 32(1; 2): 273-315.

Publicado
2018-07-12
Como Citar
Pechincha, M. (2018). Aportes da etnografia sul-americanista ao entendimento dos suicídios indígenas. Anuário Antropológico, 43(1), 223. https://doi.org/10.26512/anuarioantropologico.v43i1.2018/9317