Cultura negra e empreendedorismo

sensibilidades políticas a reivindicações econômicas e o engajamento através do mercado

  • Gleicy Mailly da Silva
Palavras-chave: Feira Preta, relações raciais, cultura negra, empreendedorismo, mercado

Resumo

O presente artigo busca refletir a respeito das relações entre empreendedorismo e engajamento político, observadas a partir da Feira Preta, um evento organizado anualmente na cidade de São Paulo e que tem como objetivo promover atividades de cultura e comércio voltadas à comunidade negra. Constituídas a partir da conjunção de redes de solidariedade entre sujeitos, em sua maioria com ensino superior, engajados em coletivos culturais e/ou identificados como empreendedores, tais interações têm sido estimuladas por um conjunto de transformações político-econômicas dos últimos vinte anos. Atentando para esse cenário etnográfico, chamo atenção, portanto, para o modo como o mesmo tem constituído formas renovadas de reconhecimento e trocas culturais, promovendo a emergência de novos atores econômicos e políticos no contexto nacional. Interessa-me, particularmente, compreender as diferentes lógicas econômicas em ação, que têm articulado reivindicações e novos sujeitos de direitos no Brasil contemporâneo, bem como, identificar os limites desse campo de possibilidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGIER, Michel. 2011. Antropologia da cidade: lugares, situações e movimentos. São Paulo: Editora Terceiro Nome.

APPADURAI, Arjun (org.). 2008 [1986]. A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural., Niterói:, EDUFF.

BOLTANSKI, Luc e CHIAPELLO, Ève. 2009 [1999]. “O discurso empresarial dos anos 90”.

In: ____. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, p. 83-132. COMAROFF, Jean & COMAROFF, John. 2009. Ethnicity, Inc. Chicago/London:, University of Chicago Press.

CUNHA, Manuela Carneiro da. 2009. “ ‘Cultura’ e cultura: conhecimentos tradicionais e direitos intelectuais”. In: _____. Cultura com aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Naify, p. 311-373.

CUNHA, Olívia Maria Gomes da. 2000. “Depois da Festa: movimentos negros e ‘políticas de identidade’ no Brasil”. In. Alvarez, S.; Dagnino, E. (orgs.) Cultura e política nos movimentos sociais latino-americanos. Belo Horizonte: UFMG, p. 333-380.

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. 2004 [1979]. O mundo dos bens: para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

FIGUEIREDO, Angela. 2002. “Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada: identidade, consumo e manipulação da aparência entre os negros brasileiros”. Trabalho apresentado no XXVI Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais., Caxambu ((MG).

FRASER, Nancy. 2002. “A justiça social na globalização: Redistribuição, reconhecimento e participação”. Revista Crítica de Ciências Sociais, 63, p. 7-20. EDITOR LOCAL ????

FRY, Peter. 2007 [2002]. “Estética e política: relações entre ‘raça’, publicidade e produção de beleza no Brasil. In: Goldenberg, M. (org.). Nu & Vestido: dez antropólogos revelam a cultura do corpo carioca. Rio de Janeiro: Record, p. 303 – 326.

GOMES, Nilma Lino. 2003. “Corpo e cabelo como símbolos da identidade negra”. In: II Seminário Internacional de Educação Intercultural; Gênero e Movimentos Sociais, 2003, Anais. Florianópolis: UFSC.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio. 2001. “A questão racial na política brasileira (os últimos quinze anos) ”. Rev. Sociologia Tempo Social, São Paulo, 13(2): 121-142.

________. 2003. “Acesso de negros às universidades públicas”. Cadernos de Pesquisa, n. 118, p. 247-268. LOCAL – EDITOR???

HALL, Stuart. 2006. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A.

LIMA, Márcia. 2010. “Desigualdades raciais e políticas públicas: ações afirmativas no governo Lula”. Novos estudos - CEBRAP, São Paulo, n.87, p. 77-95.

LIMA, Luciana e ORTELLADO, Pablo. 2013. “Da compra de produtos e serviços culturais ao direito de produzir cultura: análise de um paradigma emergente”. DADOS – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, vol. 56, no 2, p. 351- a 382.

MACEDO, Márcio. 2004. “‘Serviço de Preto’: uma faceta do consumo da juventude afro- paulista”. Trabalho apresentado no XXVIII Encontro Anual da Associação Nacional de Pós- Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais, Caxambu (MG).

________. 2007. “Baladas Black e rodas de samba da terra da garoa”. In: Magnani, J.; Souza, B. (orgs.). Jovens na metrópole: etnografias de circuitos de lazer, encontro e sociabilidade. São Paulo: Editora Terceiro Nome, p. 189 –- 224.

MILLER, Daniel. 2007 [1991]. “Consumo como cultura material”. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 13, n. 28, p. 33-63.

MOUTINHO, Laura. 2014. “Diferenças e desigualdades negociadas: raça, sexualidade e gênero em produções acadêmicas recentes”. Cad. Pagu, n.42, pp. 201-248.

POCHMANN, Márcio. 2014. O mito da grande classe média: capitalismo e estrutura social. São Paulo: Boitempo.

RANCIÈRE, Jacques. 2005. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: EXO experimental org., Editora. 34.

RIOS, Flavia Mateus. 2008. Institucionalização do Movimento Negro no Brasil Contemporâneo. Dissertação de mestrado. Universidade de São Paulo.

SAHLINS, Marshall. 2003 [1976]. Cultura e razão prática. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

SANTOS, Jocélio Teles dos. 2000. “O negro no espelho: imagens e discursos nos salões de beleza étnicos”. Estud. Afro-asiáticos, n.38, pp.49-65.

SHOHAT, Ella; STAM, Robert. 2006 [1994]. Crítica da Imagem Eurocêntrica: multiculturalismo e representação. São Paulo: Cosac Naify.

SILVA, Gleicy Mailly da. 2016. Empreendimentos sociais, negócios culturais: uma etnografia das relações entre economia e política a partir da Feira Preta em São Paulo. Tese de doutorado em Antropologia Social, Universidade de São Paulo.

SOUZA, Jessé. 2012. Os batalhadores brasileiros: nova classe média ou nova classe trabalhadora? Belo Horizonte: Editora UFMG.

TOMMASI, Livia. 2016. “Culto da performance e performance da cultura: os produtores culturais periféricos e seus múltiplos agenciamentos”. Crítica e sociedade - Revista de Cultura e Política. Maio, p. 100-126.

VELHO, Gilberto. 2004 [1987]. Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

________. 2010. “Metrópole, cosmopolitismo e mediação”. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 16, n. 33, p. 15-23.

YÚDICE, George. 2013 [2003]. A conveniência da cultura: usos da cultura na era global. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Publicado
2018-07-12
Como Citar
da Silva, G. M. (2018). Cultura negra e empreendedorismo. Anuário Antropológico, 43(1), 11. https://doi.org/10.26512/anuarioantropologico.v43i1.2018/9226