A busca de autonomia nas políticas externas da Argentina e do Brasil (2003-2015)

Palavras-chave: Política Externa Comparada, Argentina, Brasil, Kirchnerismo, Partido dos Trabalhadores

Resumo

O trabalho trata das estratégias de inserção internacional da Argentina e do Brasil no período de 2003 a 2015. O objetivo do estudo foi identificar semelhanças e diferenças entre as políticas externas da Argentina e do Brasil para a obtenção de maior grau de autonomia no período de governo do Kirchnerismo e do Partido dos Trabalhadores. Para tanto, foi adotado como método de procedimento a Análise de Política Externa Comparada, utilizandoas seguintes variáveis: relacionamento com os Estados Unidos da América; relações regionais; e atuação global.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luiz Reis da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Universidade Federal do Rio Grande do Sul,  Departamento de Economia e Relações Internacionais, Porto Alegre - RS, Brazil

Gabriela Dorneles Ferreira da Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Universidade Federal do Rio Grande do Sul,  Departamento de Economia e Relações Internacionais, Porto Alegre - RS, Brazil

Referências

Bernal-Meza, Raúl. “Argentina and Brazil in the Internacional Politics: regionalism and Mercosur (strategy, cooperation and factors of tension).” Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 51, no. 2,(2008):154-178.

Busso, Anabella. “Los vaivenes de la política exterior argentina re-democratizada (1983-2013): Reflexiones sobre el impacto de los condicionantes internos.” Estudiosinternacionales (Santiago), vol. 46, no. 177, (2014): 9-33.

________. Neoliberal Crisis, Social Demands, and Foreign Policy in Kirchnerist Argentina. Contexto Internacional, vol. 38, no. 1, (2016): 95-131.

Busso, Anabella;Actis, Esteban; Novello, MaríaRocío. “La Geometríade laPolítica Exterior Argentina (1989-2015) Findeldiseño triangular e irrupción de um nuevo vértice: las relaciones con Estados Unidos, Brasil y China.” In: BUSSO, Anabella (Org.). Modelos de desarrollo e inserción internacional: aportes para elanálisis de la política exterior argentina desde laredemocratización: 1983-2011, actores y temas de agenda. Rosario: UNR Editora, 2017. Cap. 1. p. 11-51. (Tomo II).

Cervo, Amado Luiz. Inserção Internacional: formação dos conceitos brasileiros. São Paulo: Saraiva, 2008.

________; Bueno, Clodoaldo. História da Política Exterior do Brasil. Brasília: EditoraUnB, 4 ed., 2011.

Dabène, Olivier. “Consistency and Resilience Through Cycles of Repolitization.” In: RIGGIROZZI, Pía; TUSSIE, Diana. The Rise of Post-Hegemonic Regionalism: The Case of Latin America. Springer Netherlands, 2012. Cap. 3. p. 41-64.

Fernández De Kirchner, Cristina. Discurso de la Presidenta Cristina Fernández de Kirchner en la Asamblea Legislativa. Buenos Aires. 2007. Disponível em: <https://www.casarosada.gob.ar/informacion/archivo/16462-blank-35472369>. Acesso em: 25 out. 2017.

________. Palabras Cristina en la ONU. Nova York. 2008. Disponível em: <http://www.casarosada.gob.ar/informacion/discursos>. Acesso em: 15 abr. 2015.

________.Palabras de la Presidenta de la Naciòn 64ª Asamblea ONU, Nueva York. Nova York. 2009. Disponível em: <http://www.casarosada.gob.ar/informacion/discursos>. Acesso em: 15 abr. 2015.

________. Discurso de la presidenta Cristina Fernández en la Asamblea General de las Naciones Unidas. Nova York. 2010. Disponível em: <http://www.casarosada.gob.ar/informacion/discursos>. Acesso em: 15 abr. 2015.

________.66ª Asamblea General de la Organización de las Naciones Unidas: Discurso de la Presidenta de la Nación.Nova York. 2011. Disponível em: <http://www.casarosada.gob.ar/informacion/discursos>. Acesso em: 15 abr. 2015.

________.67ª Asamblea General de las Naciones Unidas: Discurso de la Presidenta de la Nación.Nova York. 2012. Disponível em: <http://www.casarosada.gob.ar/informacion/discursos>. Acesso em: 15 abr. 2015.

________. 68ª Asamblea General de las Naciones Unidas: Palabras de la Presidenta de la Nación. Nova York. 2013. Disponível em: <http://www.casarosada.gob.ar/informacion/discursos>. Acesso em: 15 abr. 2015.

________. Asamblea General de las Naciones Unidas del 24/09/2014: Palabras de la Presidenta de la Nación. Nova York. 2014. Disponível em: <http://www.casarosada.gob.ar/informacion/discursos>. Acesso em: 15 abr. 2015.

Flemes, Daniel; Saraiva, Miriam Gomes. “Potências emergentes na ordem de redes: o caso do Brasil.” Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 57, no. 2, (2014).

Frente Para La Victoria – FPV.Plataforma Electoral Frente para la Victoria. 2011.Disponível em: <https://www.pjn.gov.ar/cne/secelec/document/plataformas/1716-21-PLATAFORMA%20ELECTORAL%20FRENTE%20PARA%20LA%20VICTORIA.pdf>. Acesso em: 23 out. 2017.

Granato, Leonardo; Allende, Rafael Alvariza. “A Política Externa dos Governos Kirchneristas (2003-2011): do modelo próprio ao MERCOSUL.”Século XXI, Porto Alegre, vol. 4, no. 2, jul./dez.,(2013): 135-157.

Hirst, Monica. As relações Brasil-Estados Unidos desde uma perspectiva multidimensional: evolução contemporânea, complexidades atuais e perspectivas para o século XXI. 2011. 203 f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Estudos Estratégicos Internacionais, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

Hudson, Valerie M.; Vore, Christopher S. Foreign policy analysis yesterday, today, and tomorrow. MershonInternationalStudies Review, vol. 39, no. 2, (1995):209-238.

Jesus, Diego Santos Vieira de. “The Benign Multipolarity: Brazilian Foreign Policy Under Dilma Rousseff.” Journal of International Relations and Foreign Policy, Madison, vol. 2, no. 1, mar. (2014): 19-42.

Lechini, Gladys. “Argentina y Brasilen la cooperación Sur-Sur.”In: LECHINI, Glagys; KLAGSBRUNN, Victor; GONÇALVES, Williams (Org.). Argentina e Brasil: Vencendo os preconceitos: As várias arestas de uma concepção estratégica. Rio de Janeiro: Revan, (2009): 91-113.

Lijphart, Arend. “Comparative politics and the comparative method.” American political science review, vol. 65, no. 3, (1971): 682-693.

Lula da Silva, Luiz Inácio. Discurso na Sessão de Posse, no Congresso Nacional. Brasília. 2003. Disponível em: <http://funag.gov.br/loja/download/505-discursos_selecionados_lula.pdf>. Acesso em: 25 out. 2017.

________. Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse. Brasília. 2007. Disponível em: <http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/presidencia/ex-presidentes/luiz-inacio-lula-da-silva/discursos/2o-mandato/2007/01-01-2007-pronunciamento-a-nacao-do-presidente-da-republica-luiz-inacio-lula-da-silva-na-cerimonia-de-posse/view>. Acessoem: 25 out. 2017.

MELLO, Flávia de Campos. O Multilateralismo na Política Externa Brasileira. Carta Internacional, vol. 7, no. 2, (2012): 163-173.

Miguez, María Cecilia. “La Política Exterior Argentina y suvinculación com loscondicionamientos internos em elsiglo XXI.” Relaciones Internacionales (Heredia), vol. 89, no. 2, (2016): 125-142.

Milani, Lívia Peres. Identidade e Cooperação: os governos Kirchner e Lula e a construção de uma identidade coletiva em defesa (2003-2010). 2016. 152 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais “San Tiago Dantas” (Unesp, Unicamp e Puc-SP), Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Puc-SP), São Paulo, 2016.

Morasso, Carla. “La orientación autonomista de la política exterior argentina (2003-2015).”Cuadernos de Política Exterior Argentina (Nueva Época), vol. 123, jan/jun(2016):3-22.

Paikin, Damián. “La Argentina y el MERCOSUR em tiempos de crisis internacional: Las bases regionalesdel modelo kirchnerista.” Perspectivas: Revista de Ciências Sociais, vol. 42, (2012).

Pecequilo, Cristina Soreanu. “A new Strategic Dialogue: Brazil-US relations in Lula'spresidency (2003-2010).” Revista Brasileira de Política Internacional, v. 53, n. SPE, (2010): 132-150.

________. “As Relações Bilaterais Brasil-Estados Unidos no Governo Dilma Rousseff, 2011-2014.” Austral:Revista Brasileira de Estratégia e Relações Internacionais, (2014): 11.

Pignatta, María Eva. “Identidad y Política Exterior: Explorando el caso argentino.” In: BUSSO, Anabella (Org.). Fuerzas Profundas e Identidad: reflexiones em torno a su impacto sobre la política exterior. Rosario: Editora UNR, (2008): 139-157.

ROUSSEFF, Dilma. Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante Compromisso Constitucional perante o Congresso Nacional. Brasília. 2011a. Disponível em: http://www2.planalto.gov.br/acompanhe-o-planalto/discursos/discursos-da-presidenta/discurso-da-presidenta-da-republica-dilma-rousseff-durante-compromisso-constitucional-perante-o-congresso-nacional. Acesso em: 25 out. 2017.

________.Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, por ocasião do Debate Geral da 66ª Assembleia Geral das Nações Unidas. Nova York. 2011b. Disponível em: <http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/presidente-da-republica-federativa-do-brasil-discursos/4675-discurso-na-abertura-do-debate-geral-da-66-assembleia-geral-das-nacoes-unidas-nova-york-eua-21-09-2011>. Acesso em: 12 jul. 2016.

________.Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, por ocasião do Debate Geral da 67ª Assembleia Geral das Nações Unidas. Nova York. 2012. Disponível em: <http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/presidente-da-republica-federativa-do-brasil-discursos/4687-discurso-da-presidenta-da-republica-dilma-rousseff-na-abertura-da-67-assembleia-geral-das-nacoes-unidas>. Acesso em: 12 jul. 2016.

________.Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, por ocasião do Debate Geral da 68ª Assembleia Geral das Nações Unidas.Nova York. 2013. Disponível em: <http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/presidente-da-republica-federativa-do-brasil-discursos/4684-discurso-da-presidenta-da-republica-dilma-rousseff-na-abertura-do-debate-geral-da-68-assembleia-geral-das-nacoes-unidas>. Acesso em: 12 jul. 2016.

________.Discurso proferido pela Presidenta da República, Dilma Rousseff, por ocasião da abertura do Debate de Alto Nível da 69ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU). Nova York.2014. Disponível em: <http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/presidente-da-republica-federativa-do-brasil-discursos/5829-discurso-proferido-pela-presidenta-da-republica-dilma-rousseff-na-abertura-do-debate-de-alto-nivel-da-69-assembleia-geral-das-nacoes-unidas-onu-nova-york-24-de-setembro-de-2014>. Acesso em: 12 jul. 2016.

________. Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, durante Compromisso Constitucional perante o Congresso Nacional. Brasília. 2015a. Disponível em: <http://www2.planalto.gov.br/acompanhe-o-planalto/discursos/discursos-da-presidenta/discurso-da-presidenta-da-republica-dilma-rousseff-durante-compromisso-constitucional-perante-o-congresso-nacional-1>. Acesso em: 25 out. 2017.

________.Discurso da Presidenta da República, Dilma Rousseff, por ocasião da Abertura da Septuagésima Assembleia Geral das Nações Unidas.Nova York. 2015b. Disponível em: <http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/presidente-da-republica-federativa-do-brasil-discursos/5829-discurso-proferido-pela-presidenta-da-republica-dilma-rousseff-na-abertura-do-debate-de-alto-nivel-da-69-assembleia-geral-das-nacoes-unidas-onu-nova-york-24-de-setembro-de-2014>. Acesso em: 12 jul. 2016.

Russell, Roberto; Tokatlian, Juan Gabriel. “De laautonomía antagónica a laautonomía relacional: una mirada teórica desde elConoSur.” Perfiles Latinoamericanos, vol. 10, no. 21, (2002).

Saraiva, Miriam; Gomes, Zimmer S. Bom. “Os limites da Política Externa de Dilma Rousseff para a América do Sul.” Relaciones Internacionales, La Plata, no. 50, jan. (2016): 81-97.

SILVA, André Luiz Reis da. “Geometria variável e parcerias estratégicas: a diplomacia multidimensional do governo Lula (2003-2010).” Contexto Internacional, vol. 37, no. 1, (2015): 143.

Simonoff, Alejandro.“Estructura triangular y democracia: la política exterior argentina desde 1983 a 2013.” In: BUSSO, Anabella (Org.). Modelos de desarrollo e inserción internacional: aportes para elanálisis de la política exterior argentina desde laredemocratización: 1983-2011, actores y temas de agenda. Rosario: UNR Editora, (2017). Cap. 2. p. 52-68. (Tomo II). Disponível em: <http://rephip.unr.edu.ar/handle/2133/7602>. Acesso em: 24 nov. 2017.

Soares, Samuel Alves; Milani, Livia Peres. “Kirchnerismo e Lulismo na construção de uma identidade em Defesa e Segurança Internacional entre Argentina e Brasil.” Relaciones Internacionales, vol. 25, no. 50, jul. (2016).

Spektor, Matias. “O projeto autonomista na política externa brasileira.” In: Aristides Monteiro Neto. (Org.). Política Externa, Espaço e Desenvolvimento. 1ed. Brasília: Ipea,vol. 3, (2014): 19-60.

Vadell, Javier Alberto. “A política internacional, a conjuntura econômica e a Argentina de Néstor Kirchner.” Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 49, no. 1, (2006).

Vigevani, Tullo; Aragusuku, Juliano. A orientação da política brasileira para as Américas em tempos de vicissitudes domésticas. PensamientoProprio, (2015) 135-166.

Vigevani, Tullo; Cepaluni, Gabriel. A política externa de Lula da Silva: a estratégia da autonomia pela diversificação.Contexto Internacional, vol. 29, no. 2, (2007): 273-335.

Vigevani, Tullo; Ramanzini Júnior, Haroldo. A Ideia de Multilateralismo. (2011). 8º Fórum de Economia da Fundação Getúlio Vargas. Disponível em: <http://cnd.fgv.br/node/303>. Acesso em: 29 nov. 2017.

________. Autonomia, integração regional e política externa brasileira: Mercosul eUnasul. Dados-Revista de Ciências Sociais, vol. 57, no. 2, (2014).

Vizentini, Paulo Fagundes. Relações Internacionais do Brasil: de Vargas a Lula. 3ª edição revisada e ampliada. São Paulo: FundaçãoPerseuAbramo, 2008.

Publicado
2018-09-03
Como Citar
Silva, André Luiz, e Gabriela Costa. 2018. A Busca De Autonomia Nas Políticas Externas Da Argentina E Do Brasil (2003-2015). Meridiano 47 - Journal of Global Studies 19 (setembro). https://doi.org/10.20889/M47e19017.
Seção
Artigos