Corpos profanos: rascunhos sobre a heterossexualidade compulsória e um feminismo lésbico

  • Beatriz de Lima MORAIS Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Brasília
Palavras-chave: Sociologia

Resumo

O objetivo do trabalho é sondar os fatores que levam ao apagamento e à deslegitimação da homossexualidade feminina e analisar as relações entre misoginia e homofobia na opressão da mulher lésbica ou bissexual através de uma perspectiva teórica. Essa análise terá como ponto de partida o controle do patriarcado sobre os corpos feminilizados, em conjunto com a repressão da sexualidade feminina, com forte diálogo com os conceitos utilizados pela teórica feminista Adrienne Rich. Por fim, analisarei a possibilidade de se discutir um feminismo em termos lésbicos, ou seja, de um feminismo que questione a heterossexualidade compulsória.

Abstract: This paper reviews some of the main issues regarding the systemic erasure of female homosexuality, and analyses the relations between misogyny and homophobia inflicted upon homosexual and bisexual women under a theoretical perspective. This analysis will expose patriarchal control over feminine bodies, along with the repression of female sexuality in Brazilian society. Adrienne Rich’s contributions to feminist theory will be used to situate the discussion within the context of compulsory heterosexuality. Lastly, it will discuss the possibility of a lesbian feminism, that is, a feminism that questions compulsory heterosexuality and the sexual exploration of women.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BORRILLO, Daniel. (2010). Homofobia: história e crítica de um preconceito. É Guilherme João de Freitas Teixeira, 1ª edição, Belo Horizonte, Autêntica.

BOURDIEU, Pierre. (2012). A Dominação Masculina. Tradução de Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro, Editora BestBolso.

BUTLER, Judith. (1993). Bodies That Matter. 1ª edição, Nova Iorque, Routledge,.

DINIZ, Rozeane Porto. (2013). As representações léxico-semânticas das lesbianidades no cordel. Tese de Mestrado em Literatura e Interculturalidade, Universidade Estadual da Paraíba, datilo.

HOOKS, Bell. (2001). Feminism is for everybody: passionate politcs. Cambridge, South End Press.

LEEDS REVOLUTIONARY FEMINIST GROUP. (1981). Love your enemy? The debate between heterosexual feminism and political lesbianism. London, Only Women Press.

LÉVI-STRAUSS, CLAUDE. (1985). As Estruturas Elementares do Parentesco. Tradução de Mariano Pereira, 3ª edição, Petrópolis, Vozes.

MAGALHÃES, Maria José. (2010). Feminismos e Lesbianismo: Derrubando o mito da Lavender Menace. LES Online, Vol. 2, No 1.

PRECIADO, Beatriz. (2011). Multidões queer: notas para uma políticados “anormais”. Rev. Estudos Feministas, 19, 11-20.

RICH, Adrienne. (2010). Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Revista Bagoas, 5, 18-44.

RUBIN, Gayle. (1975). “The Traffic In Women: Notes In The Political Economy Of Sex”. In: REITER, Rayna (Org.). Toward an Anthropology of Women. New York, Monthly Review Press.

SEGATO, Rita. (2003). Las Estructuras Elementales de la Violencia. 1ª edição, Bernal, Universidad Nacional de Quilmes.

UNITED STATES HOLOCAUST MUSEUM. <http://www.ushmm.org/wlc/en/article.phpModuleId=10005478>. Acessado entre 13/10 de 2015 e 10/07 de 2016.

WITTIG, Monique. (1992). The Straight Mind and Other Essays. 2ª edição, Boston, Beacon Press, 1992.

Publicado
2017-12-24