Substituição de agregados minerais por resíduos de concreto na fabricação de pavimento asfáltico

  • Gabriela Di Mateos Garcia Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.
  • Marliton Rocha Barreto Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.
  • Flávio Alessandro Crispim Universidade do Estado de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.
Palavras-chave: Sustentabilidade; Resíduos Sólidos; Agregados; Mistura Asfáltica.

Resumo

Pesquisas de materiais que estejam alinhados com os princípios da sustentabilidade têm gerado grande interesse devido ao apelo ambiental. Entre esses materiais destacam-se compósitos produzidos a partir de resíduos de construção civil (RCC), em que o resíduo de concreto contribui significativamente. Este artigo apresenta a análise da viabilidade técnica do emprego de resíduos de blocos de concreto em substituição aos agregados minerais em pavimentação asfáltica do tipo concreto betuminoso usinado a quente (CBUQ). Foram realizados ensaios de caracterização física e mecânica de acordo com as normas técnicas vigentes. Os resultados demonstraram que os compósitos com substituições de agregados minerais, de até 40% em massa, atendem aos requisitos estabelecidos e podem ser utilizados na pavimentação asfáltica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Di Mateos Garcia, Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.

Mestre em Ciências Ambientais, Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.

Marliton Rocha Barreto, Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.

Professor Associado da Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.

Flávio Alessandro Crispim, Universidade do Estado de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.

Professor Adjunto da Universidade do Estado de Mato Grosso, Sinop, MT, Brasil.

Referências

ABDOU, M. R.; BERNUCCI, L. L. B. Pavimento ecológico: uma opção para a pavimentação de vias das grandes cidades. Revista Sinal de Trânsito. 2007. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2018.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO. Resolução Nº 19, de 11.07.2005 – REGULAMENTO TÉCNICO Nº 3/2005. 2005. Disponível em: <http://www.abeda.org.br/wp-ontent/uploads/2017/03/RESOLU%C3%87%C3%83O-ANP-N%C2%BA-19-DE-11.7.2005-DOU-12.7.2005-REPUBLICADA-DOU-13.7.2005-RETIFICADA-DOU-25.7.2005-RETIFICADA-DOU-17.3.2006.pdf>. Acesso em: 30 mai. 2017.

ARABANI, M.; TAHAMI, S. A.; TAGHIPOOR, M. Laboratory investigation of hot-mix asphalt containing waste materials. Roads Materials and Pavement Design, v. 18, n. 3, p. 713-729, mai. 2016.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DISTRIBUIDORAS DE ASFALTOS. Manual Básico de Emulsões Asfálticas. Rio de Janeiro, 2001. 2. ed. 2010.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7211. Agregados para concreto – Especificação. 11p. Rio de Janeiro, 2005.

BAPTISTA, J.; VIEIRA, J.; ROMANEL, C. Sustentabilidade na indústria da construção: uma logística para reciclagem dos resíduos de pequenas obras. Revista Brasileira de Gestão Urbana, Curitiba, v. 5, n. 2, p. 27-37, dez. 2013.

BERNUCCI, L. B. et al. Pavimentação Asfáltica – Formação Básica para Engenheiros. 2010. 504p. Rio de Janeiro: Petrobras e Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfalto (Abeda), 2010.

BONET, I. I. Valorização do resíduo areia de fundição (RAF), incorporação nas massas asfálticas do tipo CBUQ. 2002. 142f. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

BRASILEIRO, L. L. et al. Analysis of the Properties of Asphaltic Concrete Using Recycled Aggregates of CDW. Materials Science Forum, v. 775-776, p. 613-618, 2014.

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. Catálogo de Composições Analíticas. Nov. 2017. Disponível em: <http://www.caixa.gov.br/site/Paginas/downloads.aspx#categoria_650>. Acesso em: 10 jan. 2018.

COBBOLD, P. R. et al. Radial patterns of bitumen dykes around Quaternary volcanoes, provinces of northern Neuquén and southernmost Mendoza, Argentina. Journal of South American Earth Sciences. Mendoza, Argentina, v. 56, p. 454-467. 2014.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução n º 307, de 05 de julho de 2002: Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da Construção Civil. Diário Oficial da União, 17 jul. 2002. Brasília, DF.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. DNER-ME 093. Determinação de Densidade Real – Método de Ensaio. Rio de Janeiro, 1994.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. DNER-ME 043. Misturas betuminosas a quente – Ensaio Marshall – Método de Ensaio. Rio de Janeiro, 1995.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. DNER-ME 054. Equivalente de Areia – Método de Ensaio. Rio de Janeiro, 1997.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. DNER-ME 195. Determinação da Absorção e Massa Específica de Agregado Graúdo – Método de Ensaio. Rio de Janeiro, 1997.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. EM 367. Material de enchimento para misturas betuminosas: Especificação de Material. Rio de Janeiro, 1997.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. ME 035. Agregados: determinação da abrasão “Los Angeles”. Rio de Janeiro, 1998.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. DNER-ME 083. Agregados: análise granulométrica – Método de Ensaio. Rio de Janeiro, 1998.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES. DNIT-ES 031. Pavimentos Flexíveis – Concreto Asfáltico – Especificação de Serviço. Rio de Janeiro, 2006.

DIAS, T. W.; JÚNIOR, L. R. Análise da viabilidade de implantação de um sistema de gerenciamento de resíduos da construção civil na obra da escola Pro-infância creche Damasco no município de Varginha – MG. REEC – Revista Eletrônica de Engenharia Civil, v. 11, n. 2, mar. 2016.

GARCIA, G. M. Uso de resíduos de concreto na fabricação de pavimento asfáltico. 2018. 78f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais. Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Diagnóstico dos Resíduos Sólidos da Construção Civil – Relatório de Pesquisa. Brasília, 2012. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/120911_relatorio_construcao_civil.pdf>. Acesso em: 30 mai. 2017.

LIMA, A. S.; CABRAL, A. E. B. Caracterização e classificação dos resíduos de construção civil da cidade de Fortaleza (CE). Engenharia Sanitária e Ambiental, Cratéus, v. 18, n. 2, p. 169-176, abr./jun. 2013.

MATO GROSSO. Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística. Pregão Eletrônico n. 002/2017 (Superintendência de Aquisições e Licitações – Sual). Cuiabá, 2017. Disponível em: <http://www.sinfra.mt.gov.br/-/6428019-pregao-eletronico-n.-002/2017-superintendencia-de-aquisicoes-e-licitacoes-sual->. Acesso em: 15 mar. 2018.

PAIVA, T. S.; CARTAXO, E. F. Misturas asfálticas quentes: impactos ambientais e utilização do RCD. Revista T&C Amazônia, nov. 2014. Disponível em: <http://www.fucapi.br/tec/2014/01/31/misturas-asfalticas-quentes-impactos-ambientais-e-utilizacao-do-rcd/>. Acesso em: 13 dez. 2017.

PASSADÍN, A. R.; PÉREZ, I. Laboratory evaluation of hot-mix asphalt containing construction and demolition waste. Construction and Building Materials, v. 43, p. 497-505, jun. 2013.

PEREIRA, R. S. Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável: da teoria à prática. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 6, p.1174-1176, dez. 2010.

PERSICH, J. C.; SILVEIRA, D. D. Gerenciamento de Resíduos Sólidos – A importância da educação ambiental no processo de implantação da coleta seletiva de lixo – O caso de Ijuí/RS. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, Santa Maria, v. 4, n. 4, p. 416-426, 2011.

PESTANA, R. Contribuição para o Estudo do Comportamento Mecânico de Resíduos de Construção e Demolição Aplicados em Estradas de Baixo Tráfego. 2008. 193f. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Engenharia Civil do IST da Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa.

PINTO, S. Materiais Pétreos e Concreto Asfáltico: conceituação e dosagem. Rio de Janeiro: Instituto Militar de Engenharia, 2006.

REYES-ORTIZ, O. J.; ALVAREZ, A.; VALDES-VIDAL, G. A. Evaluation mecánica de mezclas asfálticas frías fabricadas con reemplazo de llenante mineral. Información Tecnológica. v. 25, n. 2, p. 93-102, out. 2014.

RODRIGUES, C. R. S.; FUCALE, S. Dosagem de concretos produzidos com agregado miúdo reciclado de resíduo da construção civil. Ambiente Construído, v. 14, p. 99-111, jan./mar. 2014.

SANTOS, M. R.; DEMUELENAERE, R. G. A. Reciclagem de Pavimento Asfáltico a Quente In Situ. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. v. 01, p. 5-16, jan. 2018.

SILVA, V. A. D.; FERNANDES, A. L. T. Cenário do gerenciamento dos resíduos da construção e demolição (RCD) em Uberaba-MG. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v. 24, n. 2, p. 333-344, ago. 2012.

SOUZA, J. A.; SOUSA, J. M.; KATO, R. B. Análise do desempenho de concreto betuminoso usinado a quente com adição de rejeito da mineração do cobre segundo os parâmetros Marshall. Engineering and Science, v. 2, n. 4, p. 3-12, out. 2015.

SOUZA, L. M. de; ASSIS, C. D. de; SOUTO, S. B. G. Agregado reciclado: um novo material de construção civil. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental – Reget. Santa Maria: Centro de Ciências Naturais e Exatas – UFSM, v. 18, n. 1, p. 273-278, abr. 2014.

WESSELING, D. H. Estudo do comportamento mecânico de misturas em concreto asfáltico com incorporação de resíduos industriais. 2005. 144f. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Publicado
2018-12-28
Como Citar
Garcia, G., Barreto, M., & Crispim, F. A. (2018). Substituição de agregados minerais por resíduos de concreto na fabricação de pavimento asfáltico. Sustentabilidade Em Debate, 9(3), 185 - 197. https://doi.org/10.18472/SustDeb.v9n3.2018.18541
Seção
Artigos - Varia