Utilização de macroinvertebrados bêntonicos como bioindicadores em córrego urbano de Conceição do Araguaia-PA

  • Maria Elisa Ferreira de Queiroz Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil.
  • Alexandre Luiz Schäffer Universidade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, RS, Brasil.
  • Ana Carolyna Aparecida Silva Villela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR, Brasil.
  • Danilo Epaminondas Martins e Martins Universidade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, RS, Brasil.
  • Paulo Henrique Teles da Silva Universidade Federal do Tocantins, Porto Nacional, TO, Brasil.
Palavras-chave: Biomonitoramento; Índice BMWP; Emerêncio; Qualidade ambiental.

Resumo

Os macroinvertebrados bentônicos têm sido utilizados para avaliar a
qualidade da água de rios e lagos, visto que sua distribuição e
ocorrência relacionam-se a diferentes fatores ambientais. Desse
modo, objetivou-se avaliar as condições ambientais e de qualidade da água
de um córrego urbano no estado do Pará (Brasil), por meio da captura desses organismos e posterior classificação pelo índice Biological Monitoring Working Party Score System (BMWP). Esse método se baseia na tolerância dos organismos ao impacto no meio, gerando pontuações àqueles presentes no ambiente e assim constituindo um índice da qualidade da água no local. Como resultados, os 2.288 indivíduos coletados (8 ordens e 23 famílias), pertencentes aos filos Mollusca, Anelida e Arthropoda, apresentaram baixa pontuação e a maioria dos pontos amostrados (73%) foram classificados como contaminados, refletindo as consequências oriundas do crescimento urbano desordenado e das precárias condições de saneamento básico que o estado apresenta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Elisa Ferreira de Queiroz, Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil.

Doutoranda no Programa de Ciências Ambientais da Universidade Federal do Pará, Belém, PA, Brasil.

Alexandre Luiz Schäffer, Universidade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, RS, Brasil.

Mestrando em Ambiente e Tecnologias Sustentáveis pela Universidade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, RS, Brasil.

Ana Carolyna Aparecida Silva Villela, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR, Brasil.

Mestranda em Engenharia Agrícola pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR, Brasil.

Danilo Epaminondas Martins e Martins, Universidade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, RS, Brasil.

Mestrando em Ambiente e Tecnologias Sustentáveis pela Universidade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, RS, Brasil.

Paulo Henrique Teles da Silva, Universidade Federal do Tocantins, Porto Nacional, TO, Brasil.

Mestrando em Biodiversidade, Ecologia e Conservação pela Universidade Federal do Tocantins, Porto Nacional, TO, Brasil.

Referências

ALBA-TERCEDOR, J. Macroinvertebrados acuáticos y calidade de las aguas de los rios. IV SIMPOSIO DEL AGUA EM ANDULACIA (SIAGA). Anais… Almeria, v. 2, p. 203-213, 1996.

ALBA-TERCEDOR, J.; SÁNCHEZ-ORTEGA, A. Un método rápido y simples para evaluar la calidad biológica de las aguas corrientes basado en el Hellawell. (1978). Limnética 4, p. 51-56, 1988.

ANGRISANO, E. B. Insecta Trichoptera. In: LOPRETTO, E. C.; TELL, G. (Ed.). Ecossistemas de águas continentales: metodologias para su estúdio. La Plata: EdicionesSur. v. 3, p. 1199-1237, 1995.

AZEVEDO, C. A. S.; HAMADA, N. Megaloptera. In: Guia on-line: identificação de larvas de insetos aquáticos do estado de São Paulo. Disponível em: <http://sites.ffclrp.usp.br/aguadoce/guiaonline>. Acesso em: 15 out. 2017.

BARRILLI, G. H. C.; ROCHA, O.; DE LUCCA, J. V. Avaliação da qualidade da água nos córregos Fazzari e Monjolinho no campus da UFSCar. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 8, n. 2, 2012.

BOAS, A. H. V.; CAMARGO, F. V. Avaliação rápida da qualidade da água utilizando invertebrados bentônicos, através dos índices bióticos BMWP’ e ASPT no Ribeirão São Bernardo, Piranguçu, Sul de Minas Gerais. CES Revista, v. 31, n. 1, p. 7-25, 2017.

BUSS, D. F.; BAPTISTA, D. F.; NESSIMIAN, J. L. Bases conceituais para a aplicação de biomonitoramento em programas de avaliação da qualidade da água de rios. Cadernos de Saúde Pública. v. 19, n. 2, p. 465-473, 2003.

CALLISTO, M.; MORETTI, M.; GOULART, M. Macroinvertebrados bentônicos como ferramenta para avaliar a saúde de riachos. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 6, n. 1, p. 71-82, 2001.

CALOR, A. R. Trichoptera. In: Guia on-line de Identificação de larvas de Insetos Aquáticos do Estado de São Paulo. Disponível em: <http://sites.ffclrp.usp.br/aguadoce/index_trico>. Acesso em: 20 nov. 2017.

CHAGAS, F. B. et al. Utilização da estrutura de comunidades de macroinvertebrados bentônicos como indicador de qualidade da água em rios no sul do Brasil. Revista Ambiente e Água. v. 12, n. 3, p. 416-425, 2017.

EPLER, J. H. Identification manual for the larval Chironomidae (Diptera) of Florida. Tallahassee: Department of Environmental Protection. Division of Water Facilities, 319 p., 2001.

ESTEVES, F. A. Fundamentos de Limnologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Interciência, p. 581-597, 2011.

FANTIN-CRUZ, I.; TONDATO, K. K.; MOTTA-MARQUES, D. Regime térmico em águas correntes e sua importância na estrutura do hábitat e na biologia de organismos aquáticos. Caminhos de Geografia, v. 11, n. 36, 2010.

FERNÁNDEZ, H. R.; DOMÍNGUEZ, E. Guía para la determinacíon de losartrópodos bentônicos sudamericanos. Tucumán: Editorial Universitario de Tucumán. 282 p., 2001.

GONÇALVES, F. B. Análise comparativa de índices bióticos de avaliação de qualidade de água, utilizando macroinvertebrados, em um rio litorâneo do Estado do Paraná. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Paraná. 2009.

GOULART, M. D.; CALLISTO, M. Bioindicadores de qualidade de água como ferramenta em estudos de impacto ambiental. Revista da Fapam, v. 2, n. 1, p. 153-164, 2003.

HEPP, L. U.; RESTELLO, R. M. Macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores da qualidade das águas do Alto Uruguai Gaúcho. Edifapes, Erechim, p. 75-86, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2016.

IVANAUSKAS, N. M.; RODRIGUES, R. R.; NAVE, A. G. Aspectos ecológicos de um trecho de floresta de brejo em Itatinga, SP: florística, fitossociologia e seletividade de espécies. Brazilian Journal of Botany, v. 20, n. 2, p. 139-153, 1997.

LECCI, L. S.; FROEHLICH, C. G. Plecoptera. In: Guia on-line: identificação de larvas de insetos aquáticos do estado de São Paulo. Disponível em: <http://sites.ffclrp.usp.br/aguadoce/guiaonline> Acesso em: 14 set. 2017.

LIMA, B. P.; MAMEDE, G. L.; NETO, I. E. L. Monitoramento e modelagem da qualidade de água em uma bacia hidrográfica semiárida. Eng. sanit. ambient, v. 23, n. 1, p. 125-135, 2018.

LINS, J. A. P. N. et al. Uso de peixes como biomarcadores para monitoramento ambiental aquático. Rev. Acad. Ciên. Agrár. Ambient, v. 8, p. 469-484, 2010.

MARIANO, R.; FROEHLICH, C. G. Ephemeroptera. In: Guia on-line: identificação de larvas de insetos aquáticos do estado de São Paulo. Disponível em: <http://sites.ffclrp.usp.br/aguadoce/guiaonline>. Acesso em: 12 mar. 2017.

MARTINS, D. E. M. et al. Percepção Ambiental dos moradores residentes na área de preservação permanente do córrego Emerêncio no município de Conceição do Araguaia-PA. IV CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL, Salvador-BA, 2013.

MONTEIRO, T. R.; OLIVEIRA, L. G.; GODOY, B. S. Biomonitoramento da qualidade de água utilizando macroinvertebrados bentônicos: adaptação do índice biótico BMWP à bacia do Rio Meia Ponte-GO. Oecol. Bras., v. 12, n. 3, p. 553-563, 2008.

MORAES, D. S. L.; JORDÃO, B. Q. O. Degradação de Recursos Hídricos e seus efeitos sobre a saúde humana. Revista Saúde Pública, v. 36, n. 3, 2002.

NASCIMENTO, T. P. A.; SANTOS, M. L. Diagnóstico das condições florísticas das margens do Emerêncio, afluente do Rio Araguaia no sul do Pará. Biodiversidade, v. 11, n.1, 2012.

PES, A. M. O.; HAMADA, N.; NESSIMIAN, J. L. Chaves de identificação de larvas para famílias e gêneros de Trichoptera (Insecta) da Amazônia Central, Brasil. Revista Brasileira de Entomologia, v. 49, n. 2, p. 181-204, 2005.

PINHO, L. C. Diptera. In: Guia on-line: identificação de larvas de insetos aquáticos do estado de São Paulo. Disponível em: <http://sites.ffclrp.usp.br/aguadoce/guiaonline> Acesso em: 16 abr. 2017.

POTT, V. J.; POTT, A. Potencial de uso de plantas aquáticas na despoluição da água. Embrapa Gado de Corte, 2002.

RIBEIRO, L. O.; UIEDA, V. S. Estrutura da comunidade de macroinvertebrados bentônicos de um riacho de serra em Itatinga, São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, v. 22, p. 613-618, 2005.

SANSEVERINO, A. M.; NESSIMIAN, J. L. Hábitats de larvas de Chironomidae (Insecta, Diptera) em riachos de Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro. Acta Limnologica Brasiliensia, v. 13, n. 1, p. 29-38, 2001.

SANTOS, L. B.; CORREIA, D. L. S.; SANTOS J. C. Macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores do impacto urbano sobre o Rio Uberaba (MG). Journal of Environmental Analysis and Progress, v. 1, n. 1, p. 34-42, 2016.

SANTOS, M. L. et al. Levantamento das condições do saneamento básico no bairro Emerêncio e Jardim Petrópolis do município de Conceição do Araguaia – PA. In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL. Londrina, 2011.

SILVA, F. L. et al. Desempenho de dois índices biológicos na avaliação da qualidade das águas do Córrego Vargem Limpa, Bauru, SP, através de macroinvertebrados bentônicos. Pan-American Journal of Aquatic Sciences, v. 2, n. 3, p. 231-234, 2007.

SILVA, N. T. C. Macroinvertebrados bentônicos em áreas com diferentes graus de preservação ambiental na Bacia do Ribeirão Mestre d’Armas, DF. Dissertação (Mestrado em Ecologia) – Universidade de Brasília. 99 p. 2007.

SILVEIRA, M. P.; QUEIROZ, J. F.; BOEIRA, R. C. Protocolo de Coleta e Preparação de Amostras de Macroinvertebrados Bentônicos em Riachos. Jaguariúna: Emprapa. 7 p. (Comunicado Técnico 19), 2004.

SOUZA, L. O. I.; COSTA, J. M.; OLDRINI, B. B. Odonata. In: Guia on-line: identificação de larvas de insetos aquáticos do estado de São Paulo. Disponível em: <http://sites.ffclrp.usp.br/aguadoce/Guia_online>. Acesso em: 24 abr. 2017.

TRIVINHO-STRIXINO, S. Larvas de Chironomidae: guia de identificação. São Carlos, UFSCar. 371 p, 2011.

Publicado
2018-12-28
Como Citar
Queiroz, M. E., Schäffer, A. L., Villela, A. C., Martins, D., & Silva, P. H. (2018). Utilização de macroinvertebrados bêntonicos como bioindicadores em córrego urbano de Conceição do Araguaia-PA. Sustentabilidade Em Debate, 9(3), 96 - 110. https://doi.org/10.18472/SustDeb.v9n3.2018.18378
Seção
Artigos - Varia