CARACTERIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA BIOLÓGICA DA MADEIRA SOBRE O ATAQUE DE FUNGOS

  • Rose Meire Leao Universidade de Brasilia-UnB
  • Sandra . Luz UnB
  • A S Moura Universidade de Brasilia-UnB
  • C.H.S Del Menezzi Universidade de Brasilia-UnB
Palavras-chave: Tratamento termomecânico, madeira

Resumo

Resumo: O tratamento termomecânico consiste em um processo que combina tratamento
térmico com compressão mecânica sobre a madeira, com a finalidade de se produzir um material
com menor higroscopicidade. O objetivo neste trabalho é caracterizar e avaliar a resistência
biológica da madeira perante o ataque de fungos causadores de podridão parda e de podridão
branca. A fim de delinear melhor o objetivo, as amostras de madeira submetidas a tratamento
termomecânico foi feito em uma prensa hidráulica a temperaturas de 140°C e 180°C, tempos de
um e dois minutos e pressão constante de 2,7 N/mm2
. Foi avaliada a resistência biológica desses
painéis sobre o ataque de fungos causadores de podridão parda (Gloeophyllum trabeum) e de
podridão branca (Trametes versicolor). Depois, as amostras foram caracterizadas por análises de
FTIR (espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier), MEV (microscopia
eletrônica de varredura) e TGA (análise termogravimétrica). A análise de FTIR identificou
claramente nos espectros, uma redução do pico em 1700 cm
-1
com o tratamento termomecânico
e atacados pelos fungos, ocorrendo à diminuição da lignina. A caracterização por MEV mostrou
mudança na morfologia das amostras. As curvas termogravimétricas (TG) mostraram boa
estabilidade térmica para as amostras com tratamento termomecânico. Mostrou também uma
diminuição do teor de umidade de equilíbrio, mostrando que o tratamento foi eficiente em
reduzir a higroscopicidade da madeira, podendo assim melhorar as propriedades mecânicas.
Palavras-chave: Tratamento termomecânico, madeira, resistência biológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rose Meire Leao, Universidade de Brasilia-UnB

Resumo: O tratamento termomecânico consiste em um processo que combina tratamento
térmico com compressão mecânica sobre a madeira, com a finalidade de se produzir um material
com menor higroscopicidade. O objetivo neste trabalho é caracterizar e avaliar a resistência
biológica da madeira perante o ataque de fungos causadores de podridão parda e de podridão
branca. A fim de delinear melhor o objetivo, as amostras de madeira submetidas a tratamento
termomecânico foi feito em uma prensa hidráulica a temperaturas de 140°C e 180°C, tempos de
um e dois minutos e pressão constante de 2,7 N/mm2
. Foi avaliada a resistência biológica desses
painéis sobre o ataque de fungos causadores de podridão parda (Gloeophyllum trabeum) e de
podridão branca (Trametes versicolor). Depois, as amostras foram caracterizadas por análises de
FTIR (espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier), MEV (microscopia
eletrônica de varredura) e TGA (análise termogravimétrica). A análise de FTIR identificou
claramente nos espectros, uma redução do pico em 1700 cm
-1
com o tratamento termomecânico
e atacados pelos fungos, ocorrendo à diminuição da lignina. A caracterização por MEV mostrou
mudança na morfologia das amostras. As curvas termogravimétricas (TG) mostraram boa
estabilidade térmica para as amostras com tratamento termomecânico. Mostrou também uma
diminuição do teor de umidade de equilíbrio, mostrando que o tratamento foi eficiente em
reduzir a higroscopicidade da madeira, podendo assim melhorar as propriedades mecânicas.
Palavras-chave: Tratamento termomecânico, madeira, resistência biológica.

Sandra . Luz, UnB

Resumo: O tratamento termomecânico consiste em um processo que combina tratamento
térmico com compressão mecânica sobre a madeira, com a finalidade de se produzir um material
com menor higroscopicidade. O objetivo neste trabalho é caracterizar e avaliar a resistência
biológica da madeira perante o ataque de fungos causadores de podridão parda e de podridão
branca. A fim de delinear melhor o objetivo, as amostras de madeira submetidas a tratamento
termomecânico foi feito em uma prensa hidráulica a temperaturas de 140°C e 180°C, tempos de
um e dois minutos e pressão constante de 2,7 N/mm2
. Foi avaliada a resistência biológica desses
painéis sobre o ataque de fungos causadores de podridão parda (Gloeophyllum trabeum) e de
podridão branca (Trametes versicolor). Depois, as amostras foram caracterizadas por análises de
FTIR (espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier), MEV (microscopia
eletrônica de varredura) e TGA (análise termogravimétrica). A análise de FTIR identificou
claramente nos espectros, uma redução do pico em 1700 cm
-1
com o tratamento termomecânico
e atacados pelos fungos, ocorrendo à diminuição da lignina. A caracterização por MEV mostrou
mudança na morfologia das amostras. As curvas termogravimétricas (TG) mostraram boa
estabilidade térmica para as amostras com tratamento termomecânico. Mostrou também uma
diminuição do teor de umidade de equilíbrio, mostrando que o tratamento foi eficiente em
reduzir a higroscopicidade da madeira, podendo assim melhorar as propriedades mecânicas.
Palavras-chave: Tratamento termomecânico, madeira, resistência biológica.

A S Moura, Universidade de Brasilia-UnB

Resumo: O tratamento termomecânico consiste em um processo que combina tratamento
térmico com compressão mecânica sobre a madeira, com a finalidade de se produzir um material
com menor higroscopicidade. O objetivo neste trabalho é caracterizar e avaliar a resistência
biológica da madeira perante o ataque de fungos causadores de podridão parda e de podridão
branca. A fim de delinear melhor o objetivo, as amostras de madeira submetidas a tratamento
termomecânico foi feito em uma prensa hidráulica a temperaturas de 140°C e 180°C, tempos de
um e dois minutos e pressão constante de 2,7 N/mm2
. Foi avaliada a resistência biológica desses
painéis sobre o ataque de fungos causadores de podridão parda (Gloeophyllum trabeum) e de
podridão branca (Trametes versicolor). Depois, as amostras foram caracterizadas por análises de
FTIR (espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier), MEV (microscopia
eletrônica de varredura) e TGA (análise termogravimétrica). A análise de FTIR identificou
claramente nos espectros, uma redução do pico em 1700 cm
-1
com o tratamento termomecânico
e atacados pelos fungos, ocorrendo à diminuição da lignina. A caracterização por MEV mostrou
mudança na morfologia das amostras. As curvas termogravimétricas (TG) mostraram boa
estabilidade térmica para as amostras com tratamento termomecânico. Mostrou também uma
diminuição do teor de umidade de equilíbrio, mostrando que o tratamento foi eficiente em
reduzir a higroscopicidade da madeira, podendo assim melhorar as propriedades mecânicas.
Palavras-chave: Tratamento termomecânico, madeira, resistência biológica.

C.H.S Del Menezzi, Universidade de Brasilia-UnB

Resumo: O tratamento termomecânico consiste em um processo que combina tratamento
térmico com compressão mecânica sobre a madeira, com a finalidade de se produzir um material
com menor higroscopicidade. O objetivo neste trabalho é caracterizar e avaliar a resistência
biológica da madeira perante o ataque de fungos causadores de podridão parda e de podridão
branca. A fim de delinear melhor o objetivo, as amostras de madeira submetidas a tratamento
termomecânico foi feito em uma prensa hidráulica a temperaturas de 140°C e 180°C, tempos de
um e dois minutos e pressão constante de 2,7 N/mm2
. Foi avaliada a resistência biológica desses
painéis sobre o ataque de fungos causadores de podridão parda (Gloeophyllum trabeum) e de
podridão branca (Trametes versicolor). Depois, as amostras foram caracterizadas por análises de
FTIR (espectroscopia de infravermelho com transformada de Fourier), MEV (microscopia
eletrônica de varredura) e TGA (análise termogravimétrica). A análise de FTIR identificou
claramente nos espectros, uma redução do pico em 1700 cm
-1
com o tratamento termomecânico
e atacados pelos fungos, ocorrendo à diminuição da lignina. A caracterização por MEV mostrou
mudança na morfologia das amostras. As curvas termogravimétricas (TG) mostraram boa
estabilidade térmica para as amostras com tratamento termomecânico. Mostrou também uma
diminuição do teor de umidade de equilíbrio, mostrando que o tratamento foi eficiente em
reduzir a higroscopicidade da madeira, podendo assim melhorar as propriedades mecânicas.
Palavras-chave: Tratamento termomecânico, madeira, resistência biológica.

Referências

CALLUM, A. S. Wood Modification: Chemical, Thermal and Other Processes. John Wiley & Sons; 2006.

VAZ, S. S. Resistência biológica de painéis compensados de Trattinnickia burseraefolia (Mart.) Willd produzidos com lâminas modificadas Termomecanicamente. Monografia em Engenheiro Florestal, Universidade de Brasília, 2013.

FENGEL, D.; WEGENER, G. Wood: Chemistry, Ultrastructure, Reactions. Germany: Walter de Gruyter, 2003.

MONTE, J. R. Sacarificação da polpa celulósica do bagaço de cana-de-açúcar com celulases e xilanases de Thermoascus aurantiacus. Dissertação de Mestrado em Biotecnologia Industrial, Universidade de São Paulo, 2009.

KUMAR, R.; OBRAI, S.; SHARMA, A. Chemical modifications of natural fiber for composite material. Pelagia Research Library: Der Chemica Sinica, v. 2, 219-228, 2011.

COELHO, T. C. Avaliação das condições de imobilização de células de Candida guilliermondii FTI 20037 em bucha vegetal (Luffa cylindrica) visando à produção de xilitol.

Dissertação de Mestrado em Biotecnologia Industrial, Universidade de São Paulo, 2007.

SILVEIRA, M. S. Aproveitamento das cascas de coco verde para produção de briquete em salvador. Dissertação de Mestrado em Gerenciamento e Tecnologias Ambientais no Processo Produtivo, Universidade Federal da Bahia, 2008.

MASARIN, F. Estudo da degradação de lignina iniciada por metabólitos extracelulares extraídos de cultivos de Ceriporiopsis subvermispora. Dissertação de Mestrado em Biotecnologia industrial, Universidade de São Paulo, 2010.

ARRUDA, L. M. Modificação termomecânica da madeira de amescla (trattinnickia burseraefolia (mart.) willd.): efeito sobre as propriedades de lâminas e compensados. Dissertação de Mestrado em Ciências Florestais, Universidade de Brasília, 2012.

ADEL, A. M et al. Characterization of microcrystalline cellulose prepared from lignocellulosic materials. Part I. Acid catalyzed hydrolysis. Bioresource Technology, v. 101, 4446–4455, 2010.

JONOOBI, M. et al. Chemical composition, crystallinity, and thermal degradation of bleached end unbleached kenaf bast (Hibiscus cannabinus) pulp and nanofibers. BioResouces, v. 4, 26-639, 2009.

ROSA, M. F. et al. Cellulose nanowhiskers from coconut husk fibers: Effect of preparation conditions on their thermal and morphological behavior. Carbohydrate Polymers, v. 81, 83–92, 2010.

HERRERA-FRANCO, P. J.; VALADEZ-GONZÁLEZ, A. A study of the mechanical properties of short natural-fiber reinforced composites. Composites: Part B, v. 36, 597–608, 2005.

BENINI, K. C. C. C. Desenvolvimento e caracterização de compósitos poliméricos reforçados com fibras lignocelulósicas: hips/fibra da casca do coco verde e bagaço de cana de açúcar. Dissertação de Mestrado em Engenharia Mecânica, Universidade Estadual Paulista, 2011.

ALVES, M. V. S et al. Resistência natural de seis espécies de madeiras da região amazônica a fungos apodrecedores, em ensaios de laboratório. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, 17-26, 2006.

CORDEIRO, R. C.; VIANA, H. M.; SIMÃO R. A. Melhoria das propriedades mecânicas de compósitos de PP com fibras naturais devido ao tratamento superficial por plasma da fase de reforço. PEMM/COPPE/UFRJ, p. 1-2, 2012.

ZIGLIO, A. C. Uso da capsaicina como preservante de madeiras ao ataque de fungo apodrecedor. Dissertação de Mestrado em Ciência, Universidade de São Paulo, 2010.

LUZ, S. M. et al. Cellulose and cellulignin from surgarne bagasse reinforced polypropylene composites: Effect of acetylation on mechanical and thermal properties. Composites: Part A, v. 39, 1362–1369, 2008.

LEÃO, R. M. et al. Surface Treatment of Coconut Fiber and its Application in Composite Materials for Reinforcement of Polypropylene. Journal of Natural Fiber, v. 12, p.574-586, 2015.

YANG, H. S. et al. Properties of lignocellulosic material felled polypropylene bio-composites made with diferente manufacturing processes. Polymer Testing, v. 25, 668-676, 2006.

DEVALLENCOURT, C. et al. Characterization of recycled celluloses: thermogravimetry/Fourier transform infra-red coupling and thermogravimetry investigations. Polymer Degradation and Stability, v. 52, 327-334, 1996.

Publicado
2018-12-19
Como Citar
Leao, R., Luz, S., Moura, A., & Menezzi, C. (2018). CARACTERIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA BIOLÓGICA DA MADEIRA SOBRE O ATAQUE DE FUNGOS. Revista Interdisciplinar De Pesquisa Em Engenharia, 4(2), 1-22. https://doi.org/10.26512/ripe.v4i2.20826