A REDUÇÃO DE PERÍCIAS MÉDICAS BASEADO NA GESTÃO DE ABSENTEÍSMO, ROTATIVIDADE E QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

Beatriz Maria dos Santos Santiago Ribeiro, VICTOR HIDEAKI GOTO HIRAI, Elen Ferraz Teston

Resumo


A perícia médica realizada no Instituto Nacional do Seguro Social possui diversas finalidades médicas baseadas na legislação vigente, concedendo ou não o benefício ao trabalhador. Dentre os benefícios está o auxílio doença acidentário (B-91) que é um benefício devido ao segurado que ficar incapacitado para o trabalho ou atividade habitual, por motivo de doença possivelmente ocupacional, por mais de 15 dias. O objetivo deste trabalho foi expor a relação do absenteísmo, rotatividade, qualidade de vida no trabalho com o afastamento do trabalho, concessão de benefício (B-91) e apresentar a importância do controle de absenteísmo na redução de perícia médica. Trata-se de um estudo bibliográfico, sendo realizado a busca dos artigos através da biblioteca virtual SciELO. É de extrema importância o uso de ferramentas que busquem a melhora contínua na qualidade de vida do trabalhador. Sendo assim, quanto maior o investimento em condições de trabalho e qualidade de vida, maior será o retorno financeiro para a empresa.

Descritores: Perícias Médicas. Absenteísmo. Rotatividade. Qualidade de Vida no Trabalho


Palavras-chave


Gestão da Saúde

Texto completo:

PDF

Referências


JORGE RM. Perícia médica na concessão de benefícios do INSS. 2010. 50 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) – Setor de Ciências Jurídicas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar Metodologia do trabalho cientifico [recurso eletrônico]:métodos e técnicas da pesquisa. 2. ed. acadêmico – Novo Hamburgo: 2013.

MARQUES NAD. Absenteísmo nas empresas. 2006. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Administração) – Faculdade de Ciências Aplicadas, Centro Universitário de Brasília, Brasília.

CARDOZO LS. Absenteísmo: avaliação do impacto financeiro gerado por afastamentos na rede municipal de educação de Tubarão. 2014. 27 f. Monografia (Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho), Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão.

CARVALHO, Cristiane Miranda; COELHO, Marina Pereira; RADICCHI, Ronaldo. Absenteísmo por causas odontológicas em cooperativa de produtores rurais do Estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde/Brazilian Journal of Health Research, 2007.

SIMÕES MRL, ROCHA AM. Absenteísmo-doença entre trabalhadores de uma empresa florestal no Estado de Minas Gerais, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 39, n. 129, p. 17-25, 2014.

OENNING NSX, CARVALHO FM, LIMA VMC. Fatores de risco para absenteísmo com licença médica em trabalhadores da indústria de petróleo. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 48, n. 1, fev., 2014.

SANTANA LL, SARQUIS LMM, BREY C, MIRANDA, Fernanda Moura D’Almeida; FELLI, Vanda Elisa Andres. Absenteísmo por transtornos mentais em trabalhadores de saúde em um hospital no sul do Brasil. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 37, n. 1, p. 1-8, mar., 2016.

MORAES, Keille Neves et al. Fatores relacionados ao absenteísmo por doença em profissionais de enfermagem: uma revisão integrativa. Revista Eletrônica Gestão & Saúde, v. 6, n. 1, p. 565-590, 2015.

FERREIRA RC, GRIEP RH, FONSECA MJM, ROTENBERG L. Abordagem multifatorial do absenteísmo por doença em trabalhadores de enfermagem. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 46, n. 2, abr., 2012.

MARTINATO MCMB, SEVERO DF, MARCHAND EAA, SIQUEIRA HCH. Absenteísmo na enfermagem: uma revisão integrativa. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p. 160-166, mar., 2010.

PINHEIRO AP, SOUZA, DA. Causas e efeitos da rotatividade de pessoal/turnover: estudo de caso de uma microempresa do setor de educação. In: SEGet – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 10., 2013, Resende. Anais eletrônicos... Resende: SEGet, 2013.

MARIOTI BR, PEREIRA CA, PAVÃO, YMP. Fatores que influenciam na rotatividade de pessoal numa rede de supermercados de Campo Mourão. In: Encontro de Produção Científica e Tecnológica, 8., 2013, Campo Mourão. Anais eletrônicos. Campo Mourão: EPCT, 2013.

NASCIMENTO KP, COSTA, DVF, ALTAF, JG, CASTRO DR. Rotatividade nas organizações: as causas dos desligamentos voluntários em uma empresa de serviços de Juiz de Fora. Revista Vianna Sapiens, Juiz de Fora, v. 3, n. 1, jan./jul., 2012.

STRAPASSON AMH, CONCOLATTO CP, FERREIRA GMV. Rotatividade de Pessoal: Um estudo de Caso na Agroindústria. In: EnGPR – Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho,. Anais eletrônicos. Natal: 2007.

CARVALHO JF, MARTINS, ÉPT, LÚCIO L, PAPANDRÉA PJ. Qualidade de vida no trabalho e fatores motivacionais dos colaboradores nas organizações. Educação em Foco, Juiz de Fora, n. 7, p. 21- 31, set., 2013.

MORETTI S. Qualidade de vida no trabalho x Autor-realização humana. 2008.

ALMEIDA PCA, BRANCO AB. Acidentes de trabalho no Brasil: prevalência, duração e despesa previdenciária dos auxílios-doença. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 36, n. 124, p. 195-207, 2011.

MELLO TA, BRANCO AB. Prevalência de benefícios auxílio-doença entre trabalhadores da Construção no Brasil em 2009. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 39, n. 130, jul./dez., 2014.

PAOLUCCI AMG. Aplicação do Fator Acidentário de Prevenção – FAP. 2011. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Direito) – Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais de Barbacena, Universidade Presidente Antônio Carlos, Barbacena.

PENATTI I, ZAGO JS, QUELHAS O. Absenteísmo: as consequências na gestão de pessoas. In: SEGet – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 3., 2006, Resende. Anais eletrônicos... Resende: SEGet, 2006.

ORGANIZAÇÃO MS. Ambientes de trabalho saudáveis: um modelo para ação: para empregadores, trabalhadores, formuladores de política e profissionais. Tradução do Serviço Social da Indústria. Brasília: SESI/DN, 2010 27 p.

CARDOSO MF, NOVAIS CF. Rotatividade e absenteísmo de pessoal como fatores de variação no custo do produto. 2011.

FREIRE, Matheus Guedes. Qualidade de vida no trabalho. 2013.

CONTE AL. Qualidade de vida no trabalho – funcionários com qualidade de vida no trabalho são mais felizes e produzem mais. Revista Fae Business, Curitiba, n. 7, nov., 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v9i3.28626

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados