STRATEGIES AND HOSPITAL ARRANGEMENTS: Study at a philanthropic hospital

Lara Jamille Silveira Silva, Wendel Alex Castro Silva

Resumo


 

This study aimed to describe and analyze how philanthropic hospitals organize themselves in strategic terms, in the perception of managers who work in the hospital. A qualitative descriptive research was carried out, using the case study method. From the data collected, the following categories of analysis were defined: management model, organizational strategies, network architecture and hospital arrangements. The results show that, in terms of the management model, the hospital has a multiprofessional team, divided into management and administrative management. Regarding organizational strategies, maternal and child care was considered as a competitive differential of the hospital. It was observed that, among the several strategic indicators used, those linked to the care area are considered more important, since it makes it possible to evaluate the services provided by the institution. In relation to network architecture and hospital arrangements, it was identified that the institution establishes a partnership with only two agencies, the main reasons being: follow-up and monitoring of hospital management, exchange of experiences and discussion of indicators. The positive influence of the relationship networks on the financial economic performance of the hospital is emphasized, since they contribute to the production growth with more quality and humanization, revenue growth and cost reduction. 

 


Palavras-chave


Strategies. Voluntary hospitals. Hospital Administration.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


. Hansen P B, Guimaraes F M. Análise da implementação de estratégia em empresa hospitalar com uso de mapas cognitivos. RAE-Revista de Administração de Empresas. 2009;49(4):434-446.

Pinho D L M, et al. As Estratégias Operatórias e a gestão da informação no trabalho de enfermagem, no contexto hospitalar. Rev latino-am enfermagem. 2003;11(2):168-76.

Araújo ÉA. Estrutura organizacional e atividades logísticas: um estudo de caso em hospital universitário e ensino de público [dissertação]. São Carlos: Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo; 2010.

Zanon U. Qualidade da assistência médico hospitalar: conceito, avaliação e discussão dos indicadores de qualidade. Rio de Janeiro: Medsi; 2001.

Bouer R, Carvalho MM. Metodologia singular de gestão de projetos: condição suficiente para a maturidade em gestão de projetos. Revista Produção. 2005;15(3):347-361.

Forgia GM, Couttolenc BF. Desempenho hospitalar no Brasil: em busca da excelência. São Paulo: Singular; 2009.

Lopes FD, Baldi M. Laços Sociais e Formação de Arranjos Organizacionais Cooperativos: proposição de um modelo de análise. Revista de administração contemporânea. 2005;9(2):81-101.

Mizumoto FM, Zylbersztajn D. A coordenação simultânea de diferentes canais como estratégia de distribuição adotada por empresas da avicultura de postura. Organizações Rurais & Agroindustriais. 2011;8(2):147-159.

Lima Gonçalves E, et al. Gestão Hospitalar: administrando o hospital moderno. São Paulo: Saraiva; 2009.

Trivelato PV, et al. Avaliação da eficiência na alocação dos recursos econômicos financeiros no âmbito hospitalar. RAHIS. 2015;12(4):62-79.

Brasil. Decreto n. 76.973, de 31 de dezembro de 1975. Dispõe sobre normas para prédios destinados a serviços de saúde, credenciação e contratos com os mesmos e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 31 dez. 1975.

Ruas EB. Criação de indicadores estratégicos para o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. RAE electron. 2003;2(1):1-18.

Bruxel R. Monitoramento da gestão estratégica com o emprego de indicadores: o caso de três hospitais [dissertação]. Escola de Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.1997.

Bittar OJNV. Indicadores de qualidade e quantidade em saúde. RAS. 2001;3(12):21-28.

Rotta CSG. Utilização de indicadores de desempenho hospitalar como instrumento gerencial [tese]. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. 2004.

Kaplan RS, Norton DP. A Estratégia em Ação: Balanced Scorecard. Rio de Janeiro: Campus; 1997.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2011.

Ribeiro B, Prieto VC. Alianças estratégicas no varejo farmacêutico: vantagens e desvantagens na percepção do gestor. In: Anais do 34º Encontro Nacional de Pos-Graduação e Pesquisa em Admisistração; 2010, setembro. Rio de Janeiro: Anpad; 2010. p. 1-15.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v9i1.25614

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados