Uso de belimumab em pacientes lúpicos refratários ao tratamento convencional: uma avaliação de impacto orçamentário.

Kelli Carneiro de Freitas Nakata, Bruno Sagado Riveros

Resumo


 

Resumo

 

Objetivo: Avaliar o impacto orçamentário (IO) para o Sistema Único de Saúde (SUS) no âmbito do estado de Mato Grosso de uma possível adoção de belimumab em associação ao tratamento convencional no manejo de lúpus eritematoso sistêmico (LES) ativo.

Métodos: A partir de uma modelagem estática no programa Microsoft Excel foi calculado o impacto orçamentário da incorporação de belimumab sob a perspectiva do SUS estadual num horizonte temporal de 5 anos. Tendo em vista a escassez de dados epidemiológicos locais e nacionais, dados de vida real da Secretaria Estadual da Saúde de Mato Grosso referentes a população com LES em tratamento neste estado foram utilizados para povoar o modelo pelo método da demanda aferida. Foram considerados apenas os custos diretos com a aquisição de belimumab e os custos da infusão. Para testar a robustez do modelo foi realizada análise de sensibilidade bivariada e univariada determinística.

Resultados: A população elegível para belimumab é de no mínimo 74 pacientes. Os custos unitários diretos com a aquisição e infusão da tecnologia são de R$ R$ 2.933,17. O impacto orçamentário incremental corresponde a aproximadamente R$ 1.519.382,06 no primeiro ano e a R$ 2.541.298,49 no quinto ano.

Palavras chave: Lúpus Eritematoso Sistêmico; Avaliação em Saúde; Anticorpos Monoclonais.



Texto completo:

PDF

Referências


Referências

Yu C, Gershwin ME, Chang C. Diagnostic criteria for systemic lupus erythematosus: a critical review. J Autoimmun. 2014 Feb-Mar; 48-49:10-3.

Rahman A, Isenberg DA. Systemic lupus erythematosus. N Engl J Med. 2008 Febn28; 358(9):929-39.

Cheema GS, Roschke V, Hilbert DM, Stohl W. Elevated serum B lymphocyte stimulator levels in patients with systemic immune-based rheumatic diseases. Arthritis Rheum. 2001; 44:1313–9.

Vilar MJP, Rodrigues JM, Sato EI. Incidência de Lúpus Eritematoso Sistêmico em Natal, RN – Brasil (*). [Internet]. Rev Bras Reumatol, v. 43, n. 6, p. 347-51, nov./dez., 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbr/v43n6/a05v43n6.pdf. Acesso em 01/11/2016.

Calvo-Alén J, Silva-Fernández L, Úcar-Ângulo E, Pego-Reigosa JM, Olivé A, et. al. Consenso de la Sociedad Espãnola de Reumatología sobre el uso de terapias biológicas en el lupus eritematoso sistêmico. Reumatol Clin. 2013; 9(5):281–296.

Pierotti F, Palla I, Treur M, Pippo L, Turchetti G. Assessment of the Economic Impact of Belimumab for the Treatment of Systemic Lupus Erythematosus in the Italian Setting: A Cost-Effectiveness Analysis. PLoS One. 2015 Oct 21;10(10):e0140843.

Díaz-Cerezo S, García-Aparicio ÁM, Parrondo J, Vallejo-Aparicio. Cost-effectiveness analysis of Belimumab in patients with systemic lupus erythematosus in Spain. LA.Farm Hosp. 2015 May 1;39(3):161-70.

Nikpour M, Urowitz MB, Ibañez D, Gladman DD. Frequency and determinants of

flare and persistently active disease in systemic lupus erythematosus. Arthritis Rheum. 2009 Sep 15;61(9):1152-8.

Zen M, Bassi N, Nalotto L, Canova M, Bettio S, Gatto M, et. al. Disease activity patterns in a monocentric cohort of SLE patients: a seven-year follow-up study. Clin Exp Rheumatol. 2012 Nov-Dec;30(6):856-63.

Cunha JPP, Takeda FY, Skare TL. Estudo da prevalência de distúrbios neuropsiquiátricos em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico e sua associação com manifestações clínicas e perfil de autoanticorpos. Rev. Med. Res. 2011; 13 (2) 86-96.

Maroz N, Segal MS. Lupus nephritis and end-stage kidney disease. Am J Med Sci.

Oct;346(4):319-23. doi: 10.1097/MAJ.0b013e31827f4ee3.

ANVISA. Bulário eletrônico. Benlysta. [Internet]. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=18694042016&pIdAnexo=3558455. Acesso em 23/07/2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretrizes metodológicas: análise de impacto orçamentário: manual para o Sistema de Saúde do Brasil. Brasília; 2014.

Belimumab: Drug information. Up to date. 2016. [Internet]. Disponível em: http://www.uptodate.com/contents/belimumab-drug-information?source=search_result&search=belimumab&selectedTitle=1~16. Acesso em 15/07/2016.

Mato Grosso. Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças - FIPLAN. Plano de Trabalho Anual; 2016.

Lau CS, Mak A. The socioeconomic burden of SLE. Nat Rev Rheumatol. 2009.Jul;5(7):400-4.

Figueiredo ACD de, Barbosa EG, Paloni E de M, Pinheiro MRT. Custos diretos associados ao manejo clínico de pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) no Brasil: uma análise sob a perspectiva do Sistema Suplementar de Saúde. J Bras Econ Saúde 2014;6(2):89-96.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. CONITEC. Relatório n° 218/2016. Clozapina na psicose associada à doença de Parkinson. Brasília; 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v9i1.24715

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados