Experiências de gestão hospitalar realizadas em Portugal: uma perspectiva comparada

Alexandre Morais Nunes, Andreia Afonso de Matos

Resumo


Em Portugal na década de 90 foram encontrados problemas nos resultados da gestão hospitalar como a ineficiência, o aumento de custos, o desperdício e a baixa produção dos serviços de prestação de cuidados. Perante os factos, o Governo foi obrigado a proceder a uma profunda reforma. Seguindo o modelo europeu da New Public Management foram repensadas as práticas de administração reforçando o poder e a responsabilidade dos gestores e o formato jurídico. Todas essas questões tinham como objetivo o reforço da eficiência, da produtividade, o aumento dos ganhos em saúde e da satisfação dos pacientes. No entanto, para equacionar qual o modelo a aplicar em todo o país, foram desenvolvidas experiências piloto considerando a concessão a entidades privadas, o modelo de gestão integrado de cuidados hospitalares com atenção primária e ainda o modelo de gestão empresarial. Neste artigo, faz-se uma revisão da literatura sobre cada modelo testado, com o objetivo de os comparar, analisando qual a opção mais adequada à busca da eficiência. Em conclusão, se verificou que a opção pelo modelo de gestão empresarial foi a que oferecia a melhor resposta para a melhoria dos resultados, o que vai ao encontro da decisão política que optou por esse modelo.


Texto completo:

PDF

Referências


Campos A. Por um sistema de saúde mais eficiente. Cadernos de economia. 2007; 80: 9-15.

Campos A, Simões J. O percurso da saúde: Portugal na Europa. Coimbra: Almedina, 2011.

Nunes R, Rego G. Gestão da saúde. Lisboa: Prata e Rodrigues, 2010.

Fernandes AC. A combinação público-privado. In: Campos A, Simões J, editores. 40 anos de abril na saúde. Coimbra: Almedina; 2010. p.213-231.

Instituto Nacional de Estatística (INE). Conta Satélite da Saúde (2000-2012), 2014.

Campos A. Reformas da saúde – o fio condutor. Coimbra: Edições Almedina, 2008.

Barros P. Economia da saúde - conceitos e comportamentos (3ª edição). Coimbra: Almedina, 2013.

Folland S, Goodman A, Stano M. The economics of health and health care. New Jersey: Prentice hall, 2007.

Jacobs R, Smith P, Street A. Measuring Efficiency in Health Care: Analytic. Cambridge: University Press, 2006.

Alves A. A inovação em Gestão Hospitalar. In: Campos A, Simões J, editores. 40 anos de abril na saúde. Coimbra: Almedina; 2010. p.273 - 320.

Harfouche A. Hospitais transformados em empresas. Análise do impacto na eficiência: Um estudo comparativo. Lisboa: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), 2008.

Harfouche A. Opções políticas em saúde. Efeitos sobre a eficiência hospitalar. Coimbra: Edições Almedina, 2012.

Nunes A. Reformas na gestão hospitalar: análise dos efeitos da empresarialização. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2016

Bilhim J. Ciência da administração. Lisboa: Universidade Aberta, 2014.

Fernandes AC. Hospitais: um novo modelo de gestão hospitalar. Revista XXI, Ter Opinião; 2012;1: 80-85.

Vaz A. Hospitais públicos portugueses. In: Simões J, editor. 30 Anos de Serviço Nacional de Saúde: um percurso comentado. Coimbra: Almedina; 2010. p. 297-353.

Portaria n.º 27/95. Diário da República n.º 9, I Série B, 8 de setembro, p. 142.

Decreto-Lei n.º 151/98. Diário da República n.º 130, I Série A, 5 de junho, p.1998.

Decreto-Lei n.º 76/2001. Diário da República n.º 49, I Série A, 27 de fevereiro p. 1089.

Decreto-Lei n.º 207/99. Diário da República n.º 133, I Série A, 9 de junho, p. 3290.

Ministério da Saúde. Saúde: um compromisso. A estratégia de saúde para o virar do século. Lisboa: Ministério da Saúde, 1999.

Decreto-Lei n.º 11/93. Diário da República n.º 12, I Série A, de 15 de janeiro, p.129.

Simões J. Retrato político da saúde - dependência do percurso e inovação em saúde: da ideologia ao desempenho. Coimbra: Livraria Almedina, 2004.

Instituto Nacional de Administração (INA). Avaliação comparada do Hospital Fernando da Fonseca e de Garcia de Orta. Oeiras: INA, 1999.

Decreto-Lei n.º 185/2002. Diário da República n.º 191, I Série A, 20 de agosto, p. 5852.

Decreto-Lei n.º 86/2003. Diário da República n.º 97, I Série A, 26 de abril, p.2682.

Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS). Um ano de governação em saúde: sentidos e significados. Relatório Primavera. Lisboa: OPSS, 2006.

Barros P. O mixed bang das reformas do sector da saúde pós-2002. Revista Portuguesa de Saúde Pública; 2004; 4: 51-56.

Tribunal de contas. Auditoria operacional ou de resultados à execução do contrato de gestão do HFF. Relatório de Auditoria n.º 46/2008. Lisboa: Tribunal de Contas, 2008.

Conselho de Reflexão sobre a Saúde (CRES). Recomendações para uma Reforma Estrutural. Lisboa: Ministério da Saúde, 1998.

Nunes AM, Harfouche AP. A Reforma da Administração Pública aplicada ao setor da saúde: a experiência portuguesa. Brasil. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde. 2015; 4: 1-8.

Decreto-Lei n.º 370/98. Diário da República n.º 130, I Série A, 23 de novembro, p.6361.

Reis V. O Sistema de Saúde Português: donde vimos, para onde vamos. In: Barros P, Simões J, editores. Livro de Homenagem a Augusto Mantas. Lisboa: Principia Lisboa; 1999.p.261-297.

Reis V, Falcão E. Hospital público português: da crise à renovação? Revista Portuguesa de Saúde Pública. 2003; 21(2): 5-14.

Rego G. Gestão empresarial dos serviços públicos. Uma aplicação ao sector da saúde. Porto: Vida Económica, 2011.

Campos A. Hospital-empresa: crónica de um nascimento retardado. Revista portuguesa de saúde pública; 2003; 21(1): 23-33.

Fernandes AC. A combinação público-privado em saúde: impacto no desempenho no sistema e nos resultados em saúde no contexto português. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2015

Barreiro S. Referenciação e comunicação entre cuidados de saúde primários e secundários. Revista Portuguesa de Clínica Geral; 2005; 21: 545-553.

Decreto-Lei n.º 156/99. Diário da República n.º 108, I Série A, 10 de maio, p.2421

ULS - Unidade Local de Saúde de Matosinhos. Plano de atividades para o ano 2001. Matosinhos: Unidade Local de Saúde, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v8i2.24601

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados