Implantação de um sistema de custeio híbrido em uma clínica de saúde no Ceará

Maxweel Veras Rodrigues, Maiara Musy Araújo, Marcelo Elias Oka de Lima, Manuelle Soares Rodrigues, Larissa Queiroz Lima Verde

Resumo



Esse artigo tem como objetivo discutir a aplicação de uma sistemática de custeio híbrida em uma clínica de saúde, onde são realizados exames médicos e são disponibilizados consultórios médicos para aluguel, utilizando o Activity-Based Costing (ABC) e a filosofia de custeio por absorção. Para a obtenção dos custos dos exames médicos da clínica foi utilizada a metodologia adaptada da sistemática ABC e para o custeio das salas a serem locadas por outros profissionais foi utilizada a metodologia de custeio por absorção. Na implementação desse sistema, os custos indiretos foram divididos entre os exames e os consultórios com base em vários critérios de apropriação. Foram levantadas todas as atividades ligadas diretamente aos procedimentos executados, assim como aquelas que se relacionam indiretamente com os objetos de custeio. Posteriormente, foi calculado o custo unitário das atividades, sendo obtidos os custos dos dez procedimentos realizados pela empresa. O sistema híbrido foi finalizado com o rateio dos custos indiretos por absorção a cada sala e a obtenção do seu custo de disponibilização.

 

Descritores: Custos de Cuidados de Saúde; Custos e Análise de Custo; Exames Médicos; Aluguel de Propriedade.


Texto completo:

PDF

Referências


Martins E. Contabilidade de Custos. 10ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.

Arashiro LA. Gestão do custo hospital: estudos de caso do município de São Paulo [dissertação na internet]. São Paulo: Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúvio Vargas; 2004. Disponível em:http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/2356/42986.pdf?sequence=2.

Kremer AW, Borgert A, Richartz F. Desenvolvimento de um modelo de custeio híbrido para empresas prestadoras de serviço por encomenda. Revista Catarinense da Ciência Contábil. 2012; 11(31):57-71.

Borgert A, Silva MZ. Método de custeio híbrido para gestão de custos em uma empresa prestadora de serviços. In: IX Congresso Internacional de Custos; 2005 nov. 28-30; Florianópolis.

Belli AP, Andruchechen JR, Richartz F, Borgert A. Estruturação de um sistema de custeio híbrido em uma empresa prestadora de serviços de colheita florestal. Custos e @gronegócio on line [periódico na internet]. 2013; 9(3):174-195. Disponível em: http://www.custoseagronegocioonline.com.br/numero3v9/custeio.pdf.

Beuren IM, Oliveira HV. Mensuração das atividades empresariais: custeio baseado em atividades x método da unidade de esforço de produção [monografia na internet]. Santa Catarina: Centro Sócio-Econômico; 1996. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/108960/CCN0383-M.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

Nakagawa M. ABC: custeio baseado em atividades. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2001.

Bruni AL, Famá R. Gestão e Custos e Formação de Preços: com aplicação na calculadora HP12C e Excel. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2012.

Martins D. Custos e orçamentos hospitalares. São Paulo: Atlas, 2000.

Kaplan RS, Anderson SR. Time-driven activity-based-costing. Havard Business Review [serial on the internet]. 2004. Available from: https://hbr.org/2004/11/time-driven-activity-based-costing.

Martins E. Contabilidade de custos. 9ª ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Wernke R. Análise de custos e preços de venda. São Paulo: Saraiva, 2006.

Dubois A, Kulpa L, Souza LE. Gestão de Custos e Formação de Preços. Editora Atlas, 2009.

Gil AC. Como elaborar projetos de pesquisa/Antônio Carloskaplan. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2002.

Urdan FT, Urdan AT. Gestão do composto de marketing. 2ª ed. São Paulo: Atlas,2013.

Souza MA, Diehl CA. Gestão de custos: uma abordagem integrada entre contabilidade, engenharia e administração. São Paulo, Atlas: 2009.

Crepaldi SA. Curso básico de contabilidade de custos. 5ª ed. São Paulo: Atlas,2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v8i2.24251

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados