PROMOÇÃO DA SAÚDE DA MULHER E CANCER DE COLO DE ÚTERO: O FAZER DO ENFERMEIRO

Marina Braga Tavares, Sabrina Alaíde Amorim Alves, José Lucas Souza Ramos, Ana Aline Andrade Martins, Jacqueliny Barbosa Gomes, Jennifer Yohanna Ferreira de Lima Antão, Maria de Fátima Antero Sousa Machado, Mirna Neyara Alexandre de Sá Barreto Marinho, Ítalla Maria Pinheiro Bezerra

Resumo


Objetivou-se investigar as práticas dos enfermeiros acerca da educação em saúde voltadas para o câncer de colo uterino. Trata-se de um estudo descritivo, de abordagem qualitativa, tendo como sujeitos 15 enfermeiros. Utilizou-se de uma entrevista semiestruturada para coleta de dados. Os dados foram analisados e organizados de acordo com a técnica de análise temática. Evidenciou-se que a educação em saúde para mulher na qual realiza o exame preventivo de câncer do colo uterino é uma realidade presente no seu cotidiano e no âmbito dos serviços de saúde, no entanto, vale destacar que alguns profissionais detêm de uma percepção de educação em saúde tradicional, revelando ações pontuais, voltadas para doenças, realidade que pode implicar no planejamento dessas ações e implementação. Ainda foi observado que as estratégias utilizadas pelas enfermeiras para implementar as ações educativas vão de ações individuais, nas consultas de enfermagem a palestras e rodas de conversas. No entanto, embora relatassem facilidades para desenvolverem essas ações, principalmente destacando esses momentos como eficazes para promover a saúde da população, a falta de infraestrutura e recursos matérias continuam sendo dificuldades para efetivação das ações. Constatou-se que a educação em saúde representa um dos principais elementos para a promoção da saúde da mulher.

Texto completo:

PDF

Referências


Zancan SB, Fernandes CB, Bruisma JT, Ribeiro JC, Andrade VRM, Soares NV. Conhecimento de mulheres sobre o exame de Papanicolau e Papilomavírus Humano em uma estratégia da saúde da família. Nursing (São Paulo), 2016; 17(221):1229-1233.

Frigo LF, Zambarda SO. Câncer de colo de útero: efeitos do tratamento. Cinergis, 2015;16(3).

Carneiro TSG, Carneiro PS, Chaves LDP, Ferreira JBB, Pinto IC. The Pact for Health in the daily practice of Primary Health Care. Saúde em Debate, 2014;38(102):429-439.

Trindade LL, Pires DEP. Implicações dos modelos assistenciais da atenção básica nas cargas de trabalho dos profissionais de saúde. Texto & Contexto Enfermagem, 2013;22(1):36-42.

Bento PASS, Telles AC, Suzarte CTS, Moraes LEO. O câncer de colo de útero como fantasma resistente a prevenção primária e detecção precoce. Rev. Cuidado é fundamental online, 2010;2(2).

Casarin MR, Piccoli JCE. Educação em saúde para prevenção de câncer de colo do útero em mulheres do município de Santo Ângelo/RS. Ciência e saúde coletiva, 2011; 16(9).

Acioli S, Kebian LVA, Faria MGDA, Ferracicioli P, Correa VDAF. Práticas de cuidado: o papel do enfermeiro na atenção básica. Rev enferm UERJ [Internet], 2014;22(5):637-42.

Minayo MCS, Gomes SFDR. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes; 2010:29ed.

Oliveira MDB, Cavalcante EGR, Oliveira DRD, Leite CEA, Machado MDAS. Educação em saúde como prática de enfermeiros na estratégia saúde da família. Rev. Rene, 2013;14(5):894-903.

Mizukami PM. Promoção da saúde e qualidade de vida. Revista C S Col, 2010;5(1):163-77.

Freire P. Pedagogia da autonomia: saberesnecessários à prática educativa. São Paulo (SP): Paze Terra; 2009.

Flisch TMP, Alves RH, Almeida TACD, Torres HDC, Schall VT, Reis DCD. Como os profissionais da atenção primária percebem e desenvolvem a Educação Popular em Saúde?. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 2014;18:1255-1268.

Guimarães JAF, Pinheiro AKB, Moura JB, Matos B. Pesquisa brasileira sobre prevenção do câncer de colo uterino: uma revisão integrativa. Revista Rene, 2012; 13(1).

Rodrigues LBB, Silva PCDS, Peruhype RC, Palha PF, Popolin MP, Crispim JDA, Arcencio, RA. A atenção primária à saúde na coordenação das redes de atenção: uma revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva, 2014;19(2):343-352.

Cadoná E, Scarparo H. Construcionismo social na atenção básica: uma revisão integrativa. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 2015;20(9).

Câmara AMCS, Melo VLC, Gomes MGP, Pena BC, Silva APD, Oliveira KMD, Victorino LR. Percepção do processo saúde-doença: significados e valores da educação em saúde. Rev. bras. educ. med.[online], 2012;36(1 suppl 1):40-50.

Jahn AC, Guzzo PC, Costa MC, Silva EB, Guth EJ, Lima SBS. Educação popular em saúde: metodologia potencializadora das ações do enfermeiro. Revista de Enfermagem da UFSM, 2012;2(3):547-552..

Lima TM, Lessa PRA, Freitas LV, Teles LMR, Aquino PS, Damasceno AKC, Pinheiro AKB. Análise da capacidade diagnóstica dos exames preventivos do câncer de colo uterino. Acta Paul Enferm, 2012;25(5):673-8.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v1i3.24231

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados