AS DIFICULDADES VIVENCIADAS PELOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM NO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR

Cristian Dornelles, Bruno Chaves Novack, Jonatan Rodrigues da Silva, Simone Coelho Amestoy

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo principal conhecer as principais dificuldades vivenciadas por profissionais de enfermagem durante o atendimento pré-hospitalar. Consiste em um estudo qualitativo, de caráter descritivo e exploratório, no qual participaram da pesquisa quatro enfermeiros e oito técnicos em enfermagem, vinculados a duas prestadoras de atendimento pré-hospitalar de uma cidade do extremo sul do país. O estudo evidenciou as principais dificuldades que a equipe de enfermagem possui no que se refere a recursos materiais e humanos, além de demonstrar como estes acabam por vezes prejudicando a execução dos procedimentos das equipes de saúde, visto que, muitos dos materiais básicos para a realização das atividades ocasionalmente se encontram fora de seu perfeito estado de funcionamento ou em algumas situações o número destes materiais é insuficiente, além de relacionar a importância da capacitação destes profissionais neste tipo de atendimento de saúde. A pesquisa permitiu conhecer as fragilidades que os serviços de atendimento pré-hospitalar possuem no que se refere a recursos materiais e gestão de pessoas.

Descritores: Acidente de Trânsito, Socorro de Urgência, Equipe De Assistência ao Paciente.


Texto completo:

PDF

Referências


O’Dwyer, G. et. al. The current scenario of emergency care policies in Brazil. BMC Health Serv. Res., v.13(70), 2013.

Marques, GQ; Lima, MADS; Ciconet, RM. Agravos clínicos atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Porto Alegre, RS. Acta Paulista Enferm., v.24, n.2, p. 185-191, 2011.

Silva, EAC et. al. Aspectos históricos da implantação de um serviço de atendimento pré-hospitalar. Revista Eletr. Enf., v.12(3): 571-7, 2010.

Bueno, AA; Bernardes, A. Percepção da equipe de enfermagem de um serviço de atendimento pré-hospitalar móvel sobre o gerenciamento de enfermagem. Texto Contexto Enferm., Florianópolis, v. 19,n. 1, p. 45-53, 2010.

O’Dwyer, G; Mattos, RAO. SAMU, a regulação no Estado do Rio de Janeiro e a integralidade segundo gestores dos três níveis de governo. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.22, n.1, p. 141-160, 2012.

Minayo, MCS. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciênc. Saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3,p. 621-626, 2012.

Mello, BD. Violência no trabalho em um service móvel de urgência. Porto Alegre: UFRGS, 77f. Trabalho de Conclusão de Curso – Escola de Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

Bigham, BL et. al. Paramedic self-reported exposure to violence in the emergency medical services(ems) workplace: A mixed-methods cross-sectional survey, Prehospital Emergency Care, Toronto, v.18, nº.4, p.489-494, 2014.

Santana, JCB et. al. Cotidiano laboral da equipe de enfermagem em um service de atendimento móvel de urgência: influências na qualidade de vida. Revista Nursing, v.15(173), p.531-7, 2012.

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº. 2048, de 05 de novembro de 2002: Regulamento Técnico dos Sistemas de Urgência e Emergência. 3ª. ed. Brasília (DF): MS, 2006.

Machado, CV; Ferreira, FG; O’Dwyer, G. Serviço de Atendimento Móvel de Urgência no Brasil: análise da política nacional. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.45, nº.3, p.518-528, 2011.

Velloso, ISC; Araujo, MT; Nogueira, JD; Alves, M. Gerenciamento da diferença: relações de poder e limites profissionais no service de atendimento móvel de urgência. Revista de Enfermagem Referência, v.4(2), p.71-9, 2014.

Santana JCB, Campos JP, Dutra BS, Campos ACV. Desafios enfrentados pelos técnicos de enfermagem que atuam em um Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Rev Enfermagem Revista [Internet], v. 15(1), p. 4-15, 2012.

Romanzini EM, Bock LF. Conceptions and Feelings of Nurses Working in Emergency Medical Services about their Professional Practice and Training. Rev latino am enferm [Internet], v.18(2), p.240-6, 2010.

Abreu KP, Pelegrini AHW, Marques GQ, Lima MADS. Percepções de urgência para usuários e motivos de utilização do serviço de atendimento pré-hospitalar móvel. Rev Gaúcha Enferm [Internet], v. 33(2), p.146-52, 2012.

Pires, MRGM. et. al. Diálogos entre a arte e a educação: uma experiência no ensino da disciplina de administração em saúde. Texto Contexto Enfermagem, v.18(3), p.559-67, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.18673/gs.v8i3.24229

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Gestão & Saúde (ISSN 19824785)

Revista coordenada pelo Nucleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB).

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados